Trump inicia oficialmente campanha de reeleição

Donald Trump (Fotografia - Reprodução)

E as chandes de ocupar a Casa Branca por mais um período são reais

O presidente dos EUA, Donald Trump, deu início oficialmente a sua campanha para reeleição no próximo ano. Na noite desta terça-feira (18), Trump falou em um comício em Orlando, no estado da Flórida.

No discurso direcionado a uma enorme multidão de apoiadores que durante seu mandato, a economia americana se tornou a “inveja do mundo” e a “maior” na história do país. Trump afirmou que seu governo foi o que teve mais conquistas durante seus primeiros dois anos e meio.

Para o estudioso de relações internacionais Rafael Simões, a eleição do presidente norte-americano, Donald Trump, deve ser entendida como um fenômeno global de disruptura com padrão vigente. “Desde o fim da segunda Guerra Mundial em que instituições transnacionais como ONU, FMI e Banco Mundial, União Europeia tinham um controle, uma maior ingerência sobre assuntos nacionais. Isso tem sido questionado nos últimos anos”, explica Simões que é Coach Integral Sistêmico e graduado em Comércio Exterior pela Faesa (ES).

“Tendo dito isso há uma grande possibilidade da reeleição do presidente Trump, uma vez que ele conseguiu implementar políticas de crescimento e aumento de emprego no seu país, que dá a ele um grande capital político para pleitear uma nova temporada na Casa Branca. Para o Brasil, isso é bastante interessante, uma vez que o Governo eleito, de Jair Bolsonaro, investiu pesado nas relações diplomáticas e alinhamento com os Estados Unidos e, caso haja realmente a reeleição do presidente Trump, será de grande valia para o Brasil”, ressalta.

Já o consultor financeiro e mestre em Economia e Finanças,Abel Fiorot, já era esperado o anúncio no meio político americano. “Apesar de ser uma figura controversa nos EUA, os avanços econômicos tem o credenciado ao novo mandato. Trump ainda conta com forte apoio do americanos conservadores, principalmente da classe média. Apesar das taxas de aprovação não serem boas, não podemos subestimar a capacidade eleitoral do atual presidente dos EUA. Certamente será um páreo duro!”, diz.

No momento, mais de 20 pessoas estão buscando a nomeação do Partido Democrata para a candidatura. Pesquisas de opinião mostram o ex-vice-presidente Joe Biden como favorito.

*Da redação com informações da Agência Brasil


Leia mais:

 

Conteúdo Publicitário