29 C
Vitória
domingo, 24 janeiro, 2021

Redes sociais & Marketing: qual a novidade?

Mais Artigos

Crise sobre rodas

A era do carro movido a combustível fóssil está com seu tempo contado. A Ford não está sabendo enfrentar concorrência, também

Quando um pouco de solidariedade faz muita diferença

Num país com tantas desigualdades sociais, contribuir para a manutenção e a sobrevivência de projetos e ações que, no dia a dia, auxiliam pessoas com maior vulnerabilidade tornou-se indispensável

O mercado do disco de vinil aquece na pandemia

O tamanho dos discos de vinil nos possibilita ver melhor os detalhes das suas capas e dos lindos encartes

A humanidade há séculos vem evoluindo em sucessivos patamares de comunicação, dos folclóricos tambores indígenas até a internet… O engraçado é que as reações aos novos instrumentos é sempre a mesma. A TV vai acabar com o rádio; a internet vai acabar com o jornal; as redes sociais vão acabar com o marketing convencional. Ou então: TV faz mal para as crianças, é invasiva; o telemarketing incomoda; não aceito propaganda no Facebook… e assim por diante. A verdade é que, a cada novo invento humano de comunicação, a sociedade tem que se adaptar, e nós, profissionais de Marketing, aprender a usá-lo. Receber uma ligação de telemarketing às dez horas da noite não é culpa do telemarketing, é culpa do profissional incompetente que planejou isso sem cuidado e respeito pelo consumidor… Isso é verdade também para o Facebook, o Twitter ou qualquer outra rede social. Temos que aprender a usar esses novos instrumentos com ética, inteligência e, acima de tudo, competência!

Por isso, a primeira coisa que temos que fazer, enquanto profissionais de Marketing, é entender as redes sociais, o que elas significam, como elas funcionam na vida das pessoas e como vão funcionar no futuro. Afinal, elas vieram para ficar e vão ser para os profissionais de Marketing o melhor instrumento de ação, até que surja outra coisa…

As redes sociais são, nada mais, nada menos, o correio da internet… Ou o telefone, se assim você preferir… Quando, em 1964, fui estudar fora do país, a cada três dias eu escrevia uma carta para meus pais. Uma vez por semana, marcava hora, ia à companhia telefônica e fazia uma ligação a cobrar, que meus pais recebiam com ansiedade e alegria… E falava muito rápido porque era muito caro. Se fosse hoje, eu estaria online com meus pais no Facebook ou no Skype. Porque é de graça; porque é fácil; porque é gostoso… E assim eu faço hoje com meus dois netos, de 13 e nove anos, que moram fora do país…

Assim sendo, o profissional de Marketing competente deve entender, em primeiro lugar, que a rede social é um canal de comunicação entre pessoas, e não apenas mais um veículo onde colocar anúncios. Aliás, isso é verdade para tudo, para o telefone e até para os oficialmente chamados veículos, rádio, TV, jornal, revistas, embora as pessoas já estejam acostumadas a tolerar propaganda neles…

Portanto, para usar um processo de Marketing ético e competente nessas redes sociais, é preciso criar o programa de Marketing e sua respectiva comunicação com o entendimento da rede e das pessoas que serão seu público-alvo. Ou seja, em termos práticos, não simplesmente mandar um post. É preciso criar um processo de comunicação que “caia na rede” como um serviço relevante e útil; é preciso criar um verdadeiro processo de comunicação, que tenha a ver com a vida das pessoas, dentro e fora da rede. Não custa dizer que o velho é bom senso é arma poderosa de Marketing… Excessos são sempre perigosos…

Em suma, para usar as redes sociais bem no seu Marketing, não basta ter ao seu lado um bom “especialista”. Precisa é ser bom de Marketing, porque, desde os tambores, o Marketing na humanidade é o mesmo. O objetivo é vender bem, servindo e fidelizando o consumidor. Com tambores ou Facebook.

Ronald Z. Carvalho, consultor de marketing estratégia

ES Brasil Digital

ESBrasil-184 - Retrospectiva
Continua após publicidade

Fique por dentro

Série histórica mostra ocupação hoteleira durante a pandemia

Já estão disponíveis no Observatório do Turismo os dados relativos à taxa de ocupação hoteleira relativa ao ano de 2020, nos municípios de Vitória, Vila Velha e Serra

Sicoob inicia 2021 com recordes de movimentações financeiras

Instituição tem atuado para facilitar acesso a produtos e serviços financeiros aos seus mais de 5 milhões de cooperados

Concessão da Codesa: o que muda!

A Federação das Indústrias do Espírito Santo promoveu uma audiência para esclarecer o setor produtivo sobre o processo de desestatização da Codesa, a Companhia Docas do ES

Produção agropecuária de 2020 alcança R$ 871 bilhões

as variáveis determinantes para os resultados estão relacionadas aos preços dos produtos no mercado interno

Vida Capixaba

Mucane e Circuito Cultural de Vitória retomam aulas na próxima segunda-feira

Oficinas presenciais de percussão, cavaquinho, dança afro brasileira na modalidade “Tribal” e capoeira

TOTVS Espírito Santo foi eleita a melhor unidade do Brasil em 2020

A TOTVS é conhecida como a maior empresa de tecnologia do Brasil, e sua unidade do ES foi eleita a melhor unidade do Brasil em 2020

Queijos: segunda maior agroindústria capixaba

Queijos com adição de especiarias e ervas finas, com recheio de geleias de frutas, doce de leite e embutidos, ou até defumados, são algumas versões de queijos capixabas que demonstram a potencialidade do setor