20 C
Vitória
sexta-feira, 14 agosto, 2020

Proteína liberada por exercícios pode combater o Alzheimer

Leia Também

TSE aprova resoluções com novas datas para o processo eleitoral

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) aprovou hoje (13) os ajustes em suas resoluções com as novas datas dos eventos eleitorais e votações das eleições...

Distribuição de máscaras a estudantes da rede estadual do Amazonas gera polêmica

A compra foi firmada no dia 4 entre Secretaria de Estado de Educação e Desporto do Amazonas (Seduc-AM) com a empresa Nilcatex Têxtil Ltda, sediada no Mato Grosso do Sul

Investimento em inovação pode chegar a R$ 10 milhões

O Banco de Desenvolvimento do Espírito Santo (Bandes) anunciou oportunidades de negócios para investimentos de olho na introdução de práticas inovadoras, no incentivo e...

A irisina é liberada após a realização de exercícios físicos e atua no cérebro protegendo os neurônios

Pesquisadores da Universidade Federal do Rio de Janeiro fizeram uma descoberta significante que pode ajudar no tratamento contra o Alzheimer. Os resultados do estudo foram publicados nessa segunda-feira (07), na revista Nature Medicine.

De acordo com o levantamento, a proteína irisina é liberada após a realização de exercícios físicos e atua no cérebro protegendo os neurônios e facilitando a comunicação entre eles. Essa evolução melhora a memória, a principal característica afetada nos portadores da doença.

Até o momento, os resultados foram obtidos apenas em camundongos. Os animais foram expostos a uma hora de natação por dia, ao longo de cinco semanas, ou receberam doses de irisina manipulada em laboratório.

De acordo com os cientistas, o resultado não impede que seja efetivo em seres humanos Isso porque os cientistas descobriram que a proteína é liberada pelos músculos após a realização da atividade física e, por isso, chega ao cérebro. Entretanto, eles descobriram que o próprio cérebro também produz a substância quando os animais se exercitam.

O neurocientista Sergio Ferreira, líder da pesquisa, disse ao jornal Estado de São Paulo que “os animais com modelo da doença não têm memória, são incapazes de aprender tarefas. Com o tratamento isso volta. Eles ficavam indistinguíveis dos animais normais. Observamos em 100% deles que a irisina, além de ser boa para a memória, evita a degeneração nos neurônios dos camundongos – tem um efeito neuroprotetor e fortalece as sinapses. Ou seja, permite que o cérebro funcione”.

Prevenção

Ferreira destacou que nem tudo o que é considerado um resultado positivo nos animais de laboratório são eficazes para os seres humanos. “Não sabemos se a irisina tem o mesmo papel no cérebro da gente. A proteína nunca tinha sido estudada no cérebro antes desse trabalho”, disse.

Porém, ele apresenta uma possível solução para o futuro. “Mas o que nosso estudo sugere é que, futuramente, se os benefícios da irisina forem replicados para humanos, ela poderia ser adotada em uma espécie de reposição hormonal, como se faz com insulina para diabéticos”, diz. Para o pesquisador, como a doença atinge pessoas mais velhas, a atividade física serviria como prevenção, mas não como tratamento.

*Da redação com informações do Estado de São Paulo

 

Continua após a publicidade

ES Brasil Digital

ESB 179 Digital
Continua após publicidade

Fique por dentro

Bater ponto de trabalho a distância vira questão com pandemia

A Reforma Trabalhista de 2017 regulamenta o teletrabalho como uma prestação de serviços fora das dependências do empregador

Setor de serviços cresce 5% de maio para junho, diz IBGE

O volume de serviços no país cresceu 5% em junho na comparação com o mês anterior. A alta veio depois de quatro quedas consecutivas...

Setores mais afetados pelo distanciamento social seguem deprimidos, diz BC

Ao avaliar o futuro da atividade econômica, o BC repetiu a ideia de que "a incerteza sobre o ritmo de crescimento da economia permanece acima da usual

Safra deste ano deve ser 3,8% superior à de 2019, prevê IBGE

A produção brasileira de cereais, leguminosas e oleaginosas deve fechar o ano de 2020 em 250,5 milhões de toneladas. Com informações da Agência BrasilCaso a...

Vida Capixaba

Durante a pandemia, a pele também precisa de cuidados

Entre o medo do contágio e a vontade de que tudo volte à normalidade, a pandemia despertou nas pessoas uma maior preocupação e cuidados...

O Pequeno Príncipe traz poesia às telas em espetáculo ao vivo

Conhecido do público infantil e adulto, o conto ‘O Pequeno Príncipe’, do escritor francês Antoine de Saint-Exupéry, sai dos livros e chega aos palcos,...

Bike se populariza em tempos de coronavírus

Para fugir das lotações, dos atrasos e riscos de contaminação do transporte público, muitas pessoas se tornaram adeptas das bicicletas neste período Que táxi, que...

31ª Dez Milhas Garoto é adiada para 2021

Com a insegurança em relação a propagação do vírus do Covid-19 pelo Brasil, os principais players do mercado de eventos, feiras e congressos do...
Continua após publicidade