21.6 C
Vitória
terça-feira, 23 DE julho DE 2024

Projeto Tarok finalmente pode sair da gaveta

O projeto foi desenvolvido no Brasil, mas acabou “congelado” no início da pandemia

Por Diogo de Oliveira (AE)

A Volkswagen produzirá mais veículos sobre a plataforma MQB na Argentina. A confirmação foi feita na semana passada pelo CEO da montadora na América Latina, o argentino Pablo Di Si. Durante a apresentação do inédito SUV Taos pela internet, o executivo afirmou que a arquitetura modular permitirá a produção de novos produtos na fábrica de General Pacheco. E o nome da picape Tarok ressurgiu.

- Continua após a publicidade -

“O Taos faz parte de um importante investimento da Volkswagen na região, e principalmente na Argentina. Investimos US$ 650 milhões (cerca de R$ 3,6 bilhões) para modernizar os equipamentos e a estrutura da fábrica, com a implantação da plataforma MQB. Essa tecnologia nos permitirá produzir novos modelos da mais alta qualidade e conectividade no futuro”, antecipou Di Si.

Apresentada como conceito no Salão do Automóvel de São Paulo de 2018, a Tarok foi um dos destaques daquela edição. O projeto foi desenvolvido no Brasil, mas acabou “congelado” no início da pandemia.

Feita em monobloco, a Tarok tem porte similar ao da Fiat Toro. A picape da Fiat chegou logo depois da Renault Duster Oroch, que inaugurou o segmento. Só que o modelo da marca francesa nunca decolou nas vendas. Já o da italiana, feito ao lado dos Jeep Renegade e Compass, em Pernambuco, tornou-se um enorme sucesso em vendas.

Como 2021 será dedicado ao lançamento e produção do Taos, 2022 deve ser o ano em que a montadora começará a fabricar o segundo veículo sobre a plataforma MQB-A em General Pacheco. A arquitetura é uma das mais utilizadas atualmente no portfólio do grupo Volkswagen. Serve do Golf ao cupê Audi TT. E o chassi maior que o MQB-A0, de Polo e T-Cross, ficará na medida certa para a Tarok.

Embora o projeto da inédita picape média-compacta ainda não esteja oficialmente confirmado, ele nasceu sob a liderança de Pablo Di Si, o que pode fazer a diferença na decisão final. Além disso, o segmento de picapes conta atualmente com números positivos e promissores. A picape ficará posicionada entre a Saveiro e a Amarok.

‘INDOMADA’

A Amarok V6 chegará ao Brasil com motor mais potente, finalmente O lançamento virtual da nova versão, definida pela fabricante como “a mais indomada das picapes”, está marcado para o dia 29, quinta-feira que vem. Na Argentina, onde é produzida, a versão chama-se Black Style.

O principal destaque do modelo é o motor 3.0 turbodiesel com seis cilindros em V. Nele, a potência foi ampliada em 33 cv. Foi de 225 para 258 cv. O torque aumentou de 56,1 para 59,1 mkgf. A transmissão continua automática de oito marchas, e a tração é integral.

Na estética, como sugere a denominação da versão, detalhes em tom negro estão em toda a picape. É o caso, por exemplo, da grade dianteira e das rodas de 20 polegadas, que receberam acabamento brilhante. O mesmo tom reveste peças como capa dos retrovisores, estribos laterais e para-choques (o traseiro é cromado nas demais configurações). Assim como no modelo Extreme, o santantônio é item de série.

A nova opção dever ficar mais cara que a Extreme V6, atual versão de topo da linha no Brasil. O preço sugerido da configuração parte de R$ 241 mil. Ou seja, a novata não deve custar muito menos que R$ 250 mil.

Entre para nosso grupo do WhatsApp

Receba nossas últimas notícias em primeira mão.

Matérias relacionadas

Continua após a publicidade

EDIÇÃO DIGITAL

Edição 222

RÁDIO ES BRASIL

Continua após publicidade

Vida Capixaba

- Continua após a publicidade -

Política e ECONOMIA