PM recebe reforço de equipamento

(Fotografia - Hélio Filho/Divulgação)

As armas estão sendo distribuídas às forças táticas e unidades especializadas

A Polícia Militar do Espírito Santo recebeu, na manhã desta quarta-feira (05), um reforço de equipamento. Foram entregues 2905 pistolas modelo Glock, calibres ponto 40 e nove milímetros, durante solenidade realizada no auditório do Departamento de Imprensa Oficial (DIO-ES), em Vitória.

O evento teve a participação do governador do Estado, Renato Casagrande, do secretário da Segurança Pública e Defesa Social, Roberto Sá, e do comandante-geral da PM, coronel Barreto, além de diversas autoridades e comandantes de unidades da Corporação.

As armas fazem parte de um primeiro lote adquirido e estão sendo distribuídas às forças táticas e unidades especializadas da PM no Espírito Santo. Há previsão de aquisição de mais pistolas do mesmo modelo no futuro, tanto para militares, quanto para a Polícia Civil. De acordo com o governador, Renato Casagrande, a compra faz parte de uma série de investimentos estruturais das forças de segurança realizados pelo Governo do Estado.

“O ato de entregar armas modernas e mais seguras passa pelo nosso pensamento de investimento e reestruturação das forças policiais. Entregamos 50 viaturas para a Polícia Civil e vamos entregar mais 50 caminhonetes. Estamos em processo de compra de armas, além de 67 carros descaracterizados para a PC”, destacou o governador.

(Fotografia – Hélio Filho/Divulgação)

Casagrande ainda reafirmou o compromisso de enfrentamento à violência do Programa Estado Presente em Defesa da Vida e garantiu que está atento aos anseios dos policiais militares e civis.

“Se a gente encaminhar e engrenar uma economia que vá se recuperando, vamos caminhar para a valorização salarial. A gente dá o passo de acordo com a nossa possibilidade. Eu gosto da área de segurança e de trabalhar com os policiais. Reconheço e sei da importância na hora de dar segurança à sociedade. Não temos uma política de enfrentamento, mas sim de proteção à sociedade. Os comandantes estão autorizados a fazer planos de estruturação, pois precisamos da Polícia Militar bem estruturada. Essas armas precisam ficar nas mãos dos policiais que são treinados. Menos armas nas mãos de quem não tem preparo e mais armas nas mãos dos policiais”, ressaltou.

Conteúdo Publicitário