25.5 C
Vitória
sábado, 18 maio, 2024

Pesquisas mostram que presença de animais ajuda em tratamentos

Contato com animais pode contribuir para a recuperação de pacientes, apontam pesquisadores do Canadá e Estados Unidos

Por Mariah Friedrich

A presença de animais de estimação não apenas traz conforto aos seus tutores, mas também pode desempenhar um papel significativo na recuperação de pacientes de todas as idades. É o que revelam estudos conduzidos por pesquisadores da Universidade de Saskatchewan, no Canadá, e dos dos Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) e do Instituto Nacional de Saúde (NIH), nos Estados Unidos.

- Continua após a publicidade -

Pesquisadores canadenses descobriram que apenas dez minutos de contato com cães ou gatos já proporciona alívio da dor, redução do estresse e até mesmo melhoras em sintomas de ansiedade e depressão. A interação com animais pode levar a uma redução da pressão sanguínea, colesterol e triglicérides, além de estimular a produção de endorfina, atuando como um analgésico natural, e serotonina, que regula o humor, sono e apetite.

A médica Marina Meireles, que atua no centro veterinário e nível hospitalar em São Paulo Nouvet, enfatiza os benefícios da presença dos animais como complemento aos tratamentos convencionais e ressalta os impactos positivos que a interação pode ter na saúde física e mental dos pacientes.

“O importante é sempre avaliar com o médico do caso qual é a abordagem mais adequada. Também é indispensável avaliar se o pet em questão está mesmo saudável e com as vacinas em dia, além de entender se a sua personalidade é compatível para essas situações. Tomados todos os cuidados, a prática tem tudo para ser proveitosa”, comenta a médica comportamentalista do Nouvet.

Conhecida como “zooterapia”, essa prática é utilizada como complemento aos tratamentos convencionais em diversas situações, desde pacientes hospitalizados até aqueles em tratamento contra o câncer.

Para isso, existem duas abordagens principais: a Terapia Assistida por Animais (TAA), que é direcionada e necessita de supervisão profissional, e a Atividade Assistida por Animais (AAA), mais recreativa e voltada para distração e recreação.

A médica Marina Meireles destaca a importância de avaliar cuidadosamente a saúde e personalidade do animal antes de sua participação nesses programas. Ela também ressalta que a presença dos pets não apenas proporciona benefícios imediatos, mas também pode resultar em melhorias duradouras na atividade física, comunicação e bem-estar geral dos pacientes.

No caso de crianças hospitalizadas, a prática pode ajudar a melhorar o humor, disposição e comunicação durante o processo de tratamento. Instituições tanto públicas quanto privadas têm adotado essa iniciativa, proporcionando momentos de alegria e conforto em um ambiente muitas vezes desafiador.

Entre para nosso grupo do WhatsApp

Receba nossas últimas notícias em primeira mão.

Matérias relacionadas

Continua após a publicidade

EDIÇÃO DIGITAL

Edição 221

RÁDIO ES BRASIL

Continua após publicidade

Vida Capixaba

- Continua após a publicidade -

Política e ECONOMIA