26.8 C
Vitória
sábado, 28 março, 2020

Uma nova maneira de pensar a economia

Leia Também

Chega a 111 mortos e quase 4 mil casos de covid-19 no Brasil

Balanço deste sábado (28) acrescentou 22 mortes e 487 casos confirmados ao total anterior. Governo vai proibir entrada de estrangeiros no país durante 30...

Governo autoriza ações de telemedicina em caráter temporário

A telemedicina foi lierada temporariamente durante a pandemia instalada no mundo e, mais recentemente, no Brasil pelo novo coronavírus (Sars-Cov-2).  

Consumo de internet aumenta 25% durante isolamento social

Por conta do isolamento social, o consumo de internet aumentou consideravelmente durante o mês de março no mundo inteiro, inclusive no Brasil e no Espírito Santo.

Festival promove apresentações de artistas nas mídias sociais

O Festival Fico em Casa, uma ideia que permite ao internauta a contemplar apresentações de nomes do rock, indie, samba, funk, MPB e muito mais.

Em tempos de mudança, é preciso perceber e acompanhar o fluxo

Muito se fala em novas economias e formas de empreender. De fato, o momento em que vivemos a todo o instante passa por mudanças e exige que nós acompanhemos essa oscilação. Se adaptar e trazer novas ideias é fundamental para se destacar no mercado e evoluir, e a fluxonomia 4D, criada pela futurista Lala Deheinzelin, se encaixa perfeitamente nisso: é o mapeamento das dimensões e negócios a fim de unir esforços e compartilhar recursos, coordenando de modo a criar fluxos que movimentem ideias e gerem retorno para além do financeiro.

Vivemos sob um modelo centralizado, isto é, funciona pelo comando e pelo controle, baseado no consumo. Enquanto a fluxonomia corre por outra instância, sob um modelo exponencial, em que há trabalho distribuído, baseado na confiança e na reciprocidade do sistema. Isso tem a ver com o compromisso, que é o que já temos, mas que só funciona se há uma mudança de estado.

Somos desde muito pequenos orientados a olhar para tudo aquilo que é tangível, que é papável. A economia criativa redireciona essa ideia para que pensemos mais naquilo que é o intangível, que é o conhecimento, as ideias e a capacidade inventiva. Isso de forma a unir esses aspectos para que tenhamos um produto com um valor econômico pertencente a essa nova economia. É basear-se no simbólico, no singular, fugindo da economia convencional.

“É basear-se no simbólico, no singular, fugindo da economia convencional.”

Em nosso país os principais setores que têm como principal matéria-prima a criatividade e o capital intelectual são os de Expressões Culturais, Artes Cênicas, Artes Visuais, Música, Filme e Vídeo, TV e Rádio, Mercado Editorial, Software e Computação, Arquitetura, Design, Moda, Publicidade, Pesquisa & Desenvolvimento e Biotecnologia. Não podemos deixar de citar as mídias sociais e os produtores de conteúdo, esses são um dos maiores exemplos de percepção da demanda de entretenimento atual da sociedade e de criatividade.

Esse “novo” pensar proposto pela Fluxonomia 4D gira em torno de quatro economias, sendo estas: a economia compartilhada, a colaborativa, a criativa e a multi moedas. A primeira diz respeito à infraestrutura e ao compartilhamento de espaços e materiais. A segunda, colaborativa, está ligada ao modelo de gestão e pensamento de que só é possível ganhar escalas com cada um fazendo sua parte. A economia criativa é todo o conhecimento adquirido, já a financeira é na verdade a economia de multi moedas, em que não se considera apenas o valor, mas o valor 4D que está atrelado às coisas. Ou seja, considerando os aspectos colaborativo, culturais, compartilháveis e de multivalor.

No entrando, sair da economia do consumo para a economia do bem comum é o grande desafio. A fluxonomia 4D trata-se da economia do cuidar, saindo do tangível para o intangível. O possuir, dessa forma, passa a ser usufruído. É um modelo que sai da competição para a colaboração.

Acompanhar esse fluxo e essa dinâmica da sociedade estabelecendo parâmetros medidores para além daqueles que já conhecemos é um dos passos da fluxonomia. É pensar de maneira futurista no mercado e na sociedade atual.

Quando esses fatores são percebidos, quando são medidos valores além do monetário, aí sim estamos de fato vendo o fluxo. As perguntas que devem ser feitas são: que recurso social ou cultural tenho comigo? Como atribuir valor? Como isso pode contribuir para a sociedade?


Sandra Mara Selleste é especialista em economia criativa.

Publicidade

ES Brasil Digital

ES Brasil 174
Continua após publicidade

Fique por dentro

Consumo de internet aumenta 25% durante isolamento social

Por conta do isolamento social, o consumo de internet aumentou consideravelmente durante o mês de março no mundo inteiro, inclusive no Brasil e no Espírito Santo.

Governo anuncia medidas econômicas contra impactos da covid-19

Nesta sexta-feira (27), o presidente da República e representantes das proincipais instituições financeiras do país anunciaram linha de crédito emergencial.

PIB capixaba fica estável no último trimestre de 2019

Comércio foi o que puxou o PIB no quarto trimestre de 2019, setores de informática e veículos tiverm maior alta. Indústria apresentou retração.

Inflação oficial registra taxa de 0,02% na prévia de março

Índice que mede a prévia da inflação oficial, ficou em 0,02% em março deste ano. Este é o menor resultado para o IPCA-15 desde o início de 1994.

Vida Capixaba

Festival promove apresentações de artistas nas mídias sociais

O Festival Fico em Casa, uma ideia que permite ao internauta a contemplar apresentações de nomes do rock, indie, samba, funk, MPB e muito mais.

Saiba como fica o tempo neste fim de semana!

De acordo com o Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper), o fim de semana será de tempo bom no Espírito Santo.

Xô, coronavírus: “Dia de Cantoria” vai levar música para quarentena

O Dia de Cantoria é um projeto de musicalização infantil nas mídias sociais. É uma iniciativa idealizada por 4 amigos com experiência em musicalização

Cursos online gratuitos durante o isolamento social. Veja!

A Universidade Vila Velha (UVV) preparou dez cursos rápidos, online e gratuitos, para auxiliar o aprendizado de quem quer se manter qualificado
Continua após publicidade