26 C
Vitória
quarta-feira, 1 abril, 2020

Oscilação das criptomoedas é obstáculo para investimentos

Leia Também

Livros disponibilizados gratuitamente. Confira como acessar!

A Amazon, em parceria com autores, liberou o acesso às obras mais clássicas da literatura. Basta fazer o download e lê-los onde quiser!

Novo coronavírus: 96 casos confirmados no Espírito Santo

O Espírito Santo já registra 97 casos confirmados do novo coronavírus (Sars-Cov-2), sendo que um deles é de um paciente do Rio de Janeiro.

Governo encaminha PL que cria fundo de aval para empresas

Outros quatro projetos foram encaminhados para a Assembleia Legislativa e devem ser apreciados pelos parlamentares ainda nesta semana.

País tem 201 óbitos por covid-19 e 5.717 casos confirmados

O resultado de novos 1.138 infectados em um dia foi mais que o dobro do maior registrado até agora. Número de mortos aumentou 26% em relação a ontem.

Uma criptomoeda é um meio de troca que se utiliza da tecnologia de blockchain e da criptografia para assegurar a validade das transações e a criação de novas unidades da moeda

Tida como o grande obstáculo para a adoção das criptomoedas como produtos de investimento, a volatilidade dos preços das moedas digitais se manteve forte em 2019, contrariando expectativas.

No primeiro semestre do ano passado, o preço do bitcoin – a mais famosa das criptomoedas – subiu bastante e chegou a beirar US$ 14 mil. No entanto, seguiu-se forte desvalorização que reduziu o BTC para próximo de US$ 7 mil.

Em entrevista ao Valor Investe, o gestor Glauco Cavalcanti, da Asset BLP, pontuou: “A volatilidade baixar seria mais boa notícia que o preço subir. Não dá para esperar que as criptomoedas se consolidem como recursos de poupança enquanto a variação for tão brutal”.

Até chegar à forma que conhecemos hoje, o dinheiro passou por muitas modificações. No início da civilização, o comércio era na base do escambo, ou seja, na troca de mercadorias. Só no século VII a.C. que surgiram as primeiras moedas feitas de ouro e prata.

Durante a Idade Média, surgiu o costume de guardar as moedas com ourives e, como garantia, era entregue um recibo. Era bem parecido com o processo que acontece hoje quando depositamos o dinheiro no banco e, depois, usamos o cartão para resgatar.

Aos poucos, esses comprovantes passaram a ser usados para efetuar pagamentos, circulando no comércio e dando origem à moeda de papel, com regulação pelos governos.

Com o avanço tecnológico, surgiu a criptomoeda, que é um meio de troca que se utiliza da tecnologia de blockchain e da criptografia para assegurar a validade das transações e a criação de novas unidades da moeda.

O bitcoin, a primeira criptomoeda descentralizada, foi criado em 2009. Desde então, muitas outras foram criadas.

Pelo fato de não haver regulação governamental sobre as moedas digitais, o que se assiste são dois fenômenos igualmente nocivos à saúde financeira dos mercados e das pessoas que investem no dinheiro digital.

O primeiro é o surgimento de moedas digitais aos montes, sem qualquer plausibilidade. O que se verifica, porém, é que muitas dessas novas moedas na verdade sequer existem; são golpes disfarçados com a roupagem de investimentos atrativos. Um bom vendedor difunde que criou uma nova moeda que hoje vale 1 centavo de dólar, mas que, com a explosão da demanda, os primeiros a comprarem aquele dinheiro digital verão o valor unitário chegar a milhares de dólares. Muitos são tentados, não resistem e perdem rios de dinheiro no golpe.

O segundo fenômeno nocivo é a flutuação das criptomoedas já consolidadas, como o bitcoin. Só no primeiro mês de 2020 o bitcoin já havia subido 32%, sem qualquer fato que pudesse explicar tamanha variação. É um mercado ainda muito escuro.

Enquanto essas oscilações inexplicáveis continuarem e não houver uma regulação governamental mínima, dificilmente as moedas digitais deixarão de ser um investimento de elevadíssimo risco.

Sérgio Carlos de Souza é advogado e sócio da Carlos de Souza Advogados

Publicidade

ES Brasil Digital

ES Brasil 174
Continua após publicidade

Fique por dentro

Ibovespa caminha para pior mês desde 1998

Na tarde de hoje (31), Ibovespa acumulava em março perda de cerca de 28%, que se mantida representará o pior desempenho mensal desde 1998.

Dicas gratuitas para superar a crise econômica da Covid-19

Evento trará estratégias e ações com os participantes para sobreviver à crise econômica e ter sucesso no pós-crise causada pela doença.

Negociação é o caminho para aluguel de pontos comerciais

A negociação com responsabilidade pressupõe real demonstração das consequências da crise e percepção recíproca para encontrar um ponto de equilíbrio das partes.

Indústria têxtil e de confecção já sofrem os impactos da pandemia

No Espírito Santo, a situação já é considerada crítica, de acordo com o presidente da Câmara da Indústria de Vestuário, José Carlos Bergamin.

Vida Capixaba

Sesi Cultura Online: Nano Vianna e André Prando

Para estrear as lives do Sesi Cultura online, dois ícones da música capixaba estarão se apresentando hoje. André Prando e Nano Vianna

Podcasts para empreendedores ouvirem durante o isolamento social

Uma das opções para o período de isolamento social é ouvir podcasts, formato que ganhou o gosto do brasileiro:em 2019. Veja as dicas!

Participe da 3ª Corrida Amaes Azul!

A corrida em solidariedade a causa do autismo tomará a 3ª Ponte, num trajeto de 10.800 km entre Vitória e Vila Velha. Será no dia 19 de julho

Desafios da carreira artística serão debatidos na internet

O ator e diretor Abel Santana vai realizar no decorrer desta semana  uma série de lives (ao vivo) nas mídias sociais, com diversos convidados de renome.
Continua após publicidade