ONU condena ataque aéreo na Síria

Secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, condenou o intenso ataque aéreo que matou muitos civis sírios, incluindo crianças, e deixou o leste de Aleppo sem hospitais. 

O secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), Ban Ki-moon, condenou neste domingo (20) “os intensos ataques aéreo relatados nos últimos dias que mataram muitos civis sírios, incluindo crianças, e deixou o leste de Aleppo sem hospitais em operação.”.

Segundo um dos porta-vozes da Organização, Stephane Dujarric, o secretário-geral também condenou “os bombardeios indiscriminados que foram lançados em áreas da província de Aleppo e nas partes ocidentais da cidade, incluindo ataques às escolas, que deixaram muitas crianças mortas.” e pediu a todas as partes que garantam a liberdade de movimentação dos civis e da ajuda humanitária. “O secretário-geral lembra a todas as partes do conflito que atacar civis e infraestruturas civis é um crime de guerra,” disse o seu porta-voz. 

Dujarric acrescentou que Ban pediu para que todas as partes facilitem uma retirada imediata das pessoas e ajuda médica urgente aos doentes e feridos e seus familiares. “Estes são os requisitos básicos sob a lei humanitária internacional e a lei dos direitos e do cumprimento de uma obrigação para todas as partes”, acrescentou o porta voz. Segundo ele, a autoridade maior da ONU pediu ainda que “todos os lados interrompam imediatamente os ataques.”

Cento e dez pessoas foram mortas nas últimas horas devido a ataques aéreos no norte da Síria na cidade de Aleppo. “Os responsáveis por estas e outras atrocidades na Síria devem ser responsabilizados por seus atos,” disse Dujarric, em nome do secretário-geral. A SkyNews Arabia TV, citando ativistas, disse que 90 civis foram mortos pelos ataques aéreos da Rússia e Síria em áreas controladas por rebeldes no leste de Aleppo. Outros 20 civis foram declarados mortos durante conflitos que tiveram como alvo a cidade de Batabo, na zona rural de Aleppo. 

Ban Ki-moon, da Coreia do Sul, oitavo secretário-geral das Nações Unidas desde 1º de janeiro de 2007, traz para o cargo 37 anos de experiência adquirida ao longo de uma carreira notável no Governo e na cena mundial. No momento de sua eleição como secretário-geral, Ban era ministro das Relações Exteriores e do Comércio da Coreia do Sul.

Conteúdo Publicitário

Deixe seu comentário

Please enter your comment!
Favor insira seu nome