22.9 C
Vitória
domingo, 29 novembro, 2020

“O day after eleitoral”

Mais Artigos

O mundo da política seguirá fervilhando – discussão sobre o orçamento de 2021, a prorrogação ou não do auxílio emergencial

Por André Pereira César

Passado o primeiro turno das eleições municipais, os olhos se voltam de imediato para as alianças e composições visando a segunda rodada, que ocorrerá dia 29 próximo – e para depois, já que o calendário político é extenso e complexo.

Podemos fazer três cortes básicos sobre os resultados de domingo, 15 de novembro. O primeiro com foco no presidente Jair Bolsonaro e no bolsonarismo; o segundo, abordando a esquerda e a centro-esquerda; por fim, o último com olhar sobre o centro e a centro-direita.

Ao se olhar o presidente da República e seu grupo, o saldo final é negativo. Os candidatos apoiados pelo Planalto nas principais cidades tiveram desempenho pífio – por exemplo, Belo Horizonte, Manaus e Recife, além de São Paulo, com o eterno “coelho” Celso Russomanno (Republicanos). Mesmo no Rio de Janeiro, a candidatura de Marcelo Crivella (Republicanos) tem poucas chances no segundo turno, frente ao favoritismo de Eduardo Paes (DEM). Chega-se à conclusão que Bolsonaro se precipitou ao anunciar seu apoio muito cedo. Gol contra.

Quando se fala de esquerda/centro-esquerda, é necessária a divisão em dois grupos. De um lado está o PT, que claramente perdeu espaço nos grandes centros – até o momento, não elegeu prefeito algum entre as 100 maiores cidades do país – e vê questionada a capacidade de sua principal liderança, o ex-presidente Lula, em carrear votos para os candidatos do partido. De outro, as demais legendas (PSOL, PCdoB, PDT e PSB), que buscam crescer junto ao eleitor médio. Destaque especial para o PSOL, que tem em Guilherme Boulos uma nova liderança nacional. Ao PT, será fundamental ganhar em Vitória e em Recife.

Já o centro/centro-direita obteve ganhos importantes no pleito. O antigo “trio de ferro” que sustentava o governo de Fernando Henrique Cardoso (PSDB) – MDB, DEM e PSDB – no plano geral, saiu fortalecido das urnas, conquistando importantes cidades e com chances de ainda ampliar esse quadro. Há ainda o Centrão, que saiu vencedor com o PSD e o PP. O bloco certamente será estimulado a elevar (legitimamente, diga-se) o preço de seu apoio ao presidente Bolsonaro. A conferir.

Enfim, o segundo turno apenas consolidará um quadro já mais que esboçado. O mundo da política seguirá fervilhando – discussão sobre o orçamento de 2021, a prorrogação ou não do auxílio emergencial e a eventual criação do programa Renda Cidadã, as reformas e a sucessão das Mesas do Congresso Nacional. Tudo em meio à provável segunda onda da pandemia, uma economia claudicante e um governo à deriva.

Em suma, a sucessão presidencial está logo ali, na esquina. Os motores já roncam por 2022.

André Pereira César é Cientista Político e sócio da Hold Assessoria Legislativa

ES Brasil Digital

Capa ES Brasil 182
Continua após publicidade

Fique por dentro

Governo busca saída legal se tiver de prorrogar pagamento do auxílio

O governo terá de incorporar mais de R$ 20 bilhões de despesas com o impacto do aumento da inflação e da prorrogação

Bruno: espaço para extensão de auxílio é muito reduzido

"A medida que está reduzindo auxílio e aterrissando no Bolsa Família, a economia vai retomando", disse o secretário do Tesouro

MJ leiloa 434 cabeças de gado usado para lavagem de dinheiro

Segundo o ministério, o leilão é resultado da alienação antecipada decretada pela 7ª Vara Federal da Seção Judiciária de Mato Grosso

País quer elevar comércio com a Índia, diz Guedes

"Nossos olhos brilham como vemos acordos como o da Ásia, que integram toda a região", afirmou o ministro da economia

Vida Capixaba

Sabores da Terra: Até amanhã!

Feira sabores da terra reúne 715 empreendedores de diversos setores do Estado e fica aberta até domingo

MAES reabre com exposição Vix Estórias Capixabas

O Museu de Arte do Espírito Santo Dionísio Del Santo (MAES) reabre as portas totalmente reformado e renovado para o público capixaba, a partir da próxima quinta-feira (03)

Artesãos capixabas participam de Feria Nacional do Artesanato em BH

Oito artesãos capixabas irão participar da 31ª Feira Nacional de Artesanato de Belo Horizonte, em Minas Gerais, entre eles o mestre do congo Domingos Teixeira e o mestre Marcos Ambrósio  

Sescoop/ES comemora 21 anos

Organização crucial para a elevação dos índices de profissionalização e de gestão das sociedades cooperativas capixabas, o Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo no Espírito Santo (Sescoop/ES) completa, nesta quinta-feira (26), 21 anos de história e realizações.