O ano que iria… Mas não foi!

Bolsonaro tomou posse em 1º de janeiro de 2019, após ser eleito com mais de 57 milhões de votos

Muitas foram as promessas, mas as realizações ficaram muito aquém do esperado

O ano de 2019 começou cheio de expectativas com a posse de Jair Messias Bolsonaro como presidente do Brasil. Ao menos para os 57 milhões de brasileiros que apostaram no discurso conservador do capitão reformado do Exército e em suas promessas de reestruturação liberal na economia.

O primeiro ano de Bolsonaro no poder, no entanto, foi marcado por tragédias ambientais. Ainda no primeiro mês de 2019, antes do fim do recesso no Congresso Nacional, o Brasil foi impactado por mais um desastre: o rompimento da barragem de Brumadinho, em Minas Gerais. Em setembro, o vazamento de óleos atingiu diversas praias do Nordeste e Sudeste do país, inclusive do Espírito Santo.

Para o presidente do Conselho Regional de Economia do Espírito Santo (Corecon-ES), Ricardo Paixão, 2019 também foi um ano difícil do ponto de vista econômico. Dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio (Pnad) Contínua divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) no final de novembro mostraram que a taxa nacional de desemprego é de 11,8%, atingindo mais de 12 milhões de pessoas. No Espírito Santo, o patamar ficou em 10,6%, cerca de 228 mil pessoas.

“Todos os anos temos um conjunto de jovens que entram no mercado de trabalho. Para a economia ir bem, é necessário que o mercado absorva essa mão de obra. E para que a economia cresça e absorva esses jovens, é necessário que o governo tome medidas para diminuir o seu déficit fiscal. O ano foi difícil também porque conseguimos aprovar apenas a reforma da Previdência”, afirma Ricardo.

Diante desse cenário, o conselheiro efetivo do Corecon-ES Vaner Correa Simões Júnior destaca a importância da aprovação das novas regras para a aposentadoria no Brasil. “A reforma foi a grande sacada deste ano. Os investidores estavam muito ressabiados, já tínhamos perdido notas nas agências e estávamos com o orçamento fiscal debilitado. O governo utiliza muito recurso para pagar a Previdência, e esse débito estava aumentando cada vez mais”, afirmou o economista.

Para o secretário de Estado de Desenvolvimento, Marcos Kneip, apesar da conjuntura adversa do mercado interno e da desaceleração do mercado internacional, a economia capixaba conseguiu superar barreiras em 2019.

“O equilíbrio fiscal, com emissão de nota A pela Secretaria do Tesouro Nacional desde 2012, permitiu ao Espírito Santo a manutenção de um ambiente de negócios saudável e competitivo neste ano, mesmo com questões nacionais relacionadas à reforma previdenciária e tributária, que deixaram investidores mais cautelosos. O Estado cresceu 2,5% no segundo trimestre, na comparação com o primeiro trimestre, enquanto o PIB do Brasil avançou apenas 0,4% na mesma comparação”, analisa.

No dia 1º de janeiro, Renato Casagrande e Jacqueline Moraes tomaram posse, respectivamente, como governador e vice-governadora do Espírito Santo, com a promessa de manter as contas em dia sem deixar os investimentos de lado.

Casagrande assume o cargo de governador do Espírito Santo pela segunda vez
Estado Presente

Uma das primeiras medidas do governo Casagrande, já em fevereiro, foi a retomada do Programa Estado Presente em Defesa da Vida, que incluiu a criação da Delegacia de Investigação do Comércio Ilícito das Armas, Munições e Explosivos (Desarme) e do Observatório de Segurança Pública e a reativação da Patrulha Comunidade. O objetivo é reduzir os índices de violência, principalmente em crimes letais como homicídio, feminicídio, latrocínio e lesão corporal seguida de morte.

Ao todo, 140 bairros de 43 territórios são atendidos pelo programa, que atua no controle da criminalidade e na prevenção da violência: 22 na região metropolitana e 21 no interior do Estado.

Força Nacional em Cariacica

Também para enfrentar a criminalidade no país com ações conjuntas da União, estados e municípios, o governo federal, por meio do Ministério da Justiça e Segurança Pública, lançou o projeto “Em Frente, Brasil”. Um dos cinco municípios escolhidos foi Cariacica, na região metropolitana, que recebeu em agosto um grupo da Força Nacional formado por 100 agentes – 80 militares e 20 civis.


Cariacica recebeu em agosto um grupo da Força Nacional formado por 100 agentes – 80 militares e 20 civis

Em outubro, o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, esteve no município e garantiu que a corporação permanecerá em Cariacica, sem prazo para a retirada dos agentes.

Codesa

O governo federal anunciou que vai privatizar 17 estatais, entre elas a Companhia Docas do Espírito Santo (Codesa), que administra o Porto de Vitória. A previsão é que o leilão da Codesa seja realizado no primeiro trimestre de 2021.

E por falar em porto, o de Vitória recebeu a maior livraria flutuante do mundo. Entre os dias 10 e 29 de outubro, o navio Logos Hope foi visitado por mais de 83 mil pessoas, que puderam conferir mais de 5 mil títulos com diferentes temáticas, incluindo ciência, culinária, esportes, artes, idiomas, infantis e literatura cristã.

Logos Hope no Porto de Vitória
Aeroporto de Vitória

Com um lance final de R$ 437 milhões, a suíça Zurich Airport Latin venceu o leilão dos aeroportos de Vitória e de Macaé, no Rio de Janeiro, e será responsável pela operação de pista, terminal de passageiros, aluguel de lojas e demais espaços a partir de 2020. A Zurich Airport já atua em sete aeroportos no mundo: Florianópolis (Santa Catarina), Macaé (Rio de Janeiro), Confins (Minas Gerais), Bogotá e Curaçao (Colômbia), Caribe e Zurique (Suíça).


A suíça Zurich Airport Latin venceu o leilão dos aeroportos de Vitória e de Macaé
ES-Rússia

Foi aberto em 2019 no Espírito Santo o escritório de representação da Câmara Brasil-Rússia de Comércio, Indústria e Turismo para consolidar ainda mais as relações comerciais entre o Espírito Santo e aquele país. O escritório funcionará na Enseadá do Suá, em Vitória, e terá a missão de estabelecer parcerias com os setores mais estratégicos da economia capixaba, como o petróleo e gás, cacau, café, rochas ornamentais e açúcar, entre outros.

ES Gás

Um dos destaques de 2019 foi a criação da ES Gás, uma nova companhia de distribuição de gás do Espírito Santo. Trata-se de uma estatal de economia mista, com dois sócios: o Estado, com 51% da participação, e a BR Distribuidora, com 49%. A previsão é que as operações se iniciem em 2020. “A ES Gás já nasce dentro dos moldes do novo mercado de gás do governo federal, o que nos abre uma janela de oportunidades muito grande, inclusive a possibilidade de parcerias com empresas internacionais”, afirma o secretário de Estado de Desenvolvimento, Marcos Kneip.


Mais uma vez o Pavilhão de Carapina, na Serra, foi palco de eventos das áreas de rochas ornamentais, metalmecânico, petróleo e gás, produtos, serviços, tecnologias e soluções e de 23 mil profissionais do varejo. Para o presidente do Conselho Regional de Economia do Espírito Santo (Corecon-ES), Ricardo Paixão, esses eventos são importantes, pois possibilitam o fechamento de contratos vantajosos ao Estado e aos agentes econômicos locais.

“Além de colocar o Espírito Santo no cenário nacional, os eventos fazem bem para economia local porque aumentam a procura por produtos e prestações de serviços, gerando empregos”, explica Ricardo Paixão.

SARAMPO

O ano de 2019 também foi marcado por um surto de sarampo no Brasil. Segundo dados do Ministério da Saúde, foram notificados cerca de 53,8 mil casos suspeitos da doença viral contagiosa que pode ser transmitida ao tossir, espirrar e falar. Desse total 11,9 mil foram confirmados; 15 pessoas morreram. No Espírito Santo, de acordo com a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), 282 registrados foram descartados, dois foram confirmados e cinco seguem em investigação.

Em 2019, foram notificados cerca de 53,8 mil casos suspeitos de sarampo no Brasil
ESPORTES

O ano de 2019 foi de muitas conquistas para o esporte brasileiro.
O país bateu recorde de medalhas nos Jogos Pan e Parapan-Americanos de Lima, no Peru. Os atletas nacionais subiram ao pódio 479 vezes, e nove capixabas conquistaram 14 medalhas nos Jogos de Lima.

LUTO NA COMUNICAÇÃO

A área de comunicação no Espírito Santo teve grandes perdas em 2019: o radialista Aloísio Ovelha e o jornalista e professor universitário Carlos Alberto Moreira Tourinho.
Ovelha morreu no início de janeiro, com infecção generalizada. Em junho de 2017, o radialista sofreu um AVC, ficou internado por meses e nunca mais se recuperou para retornar ao trabalho na Rádio Gazeta, onde atuava desde 1989.

Tourinho faleceu após um mal súbito na Praia da Costa, em Vila Velha, quando curtia um domingo de sol com a família. Doutor em Ciências da Comunicação pela Universidade do Minho, em Portugal, teve passagens pela TV Gazeta e pela Record News/ES e era professor de graduação e pós-graduação da Universidade Vila Velha (UVV).

Leia Também

Conteúdo Publicitário