20.9 C
Vitória
sábado, 8 agosto, 2020

Os Sinais do Mercado de Trabalho

Leia Também

Congresso decreta luto oficial de 4 dias após 100 mil mortes por covid-19

O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), informou neste sábado (8) que o Congresso decretou luto oficial de quatro dias em solidariedade "a todos...

Dia Nacional de Combate ao Colesterol com alerta

O dia 8 de agosto é comemorado o Dia Nacional de Combate ao Colesterol, data criada para a conscientização e prevenção de doenças cardiovasculares,...

Dia dos Pais terá que ser celebrado de uma maneira diferente neste ano

Desde o inicio da pandemia no Brasil, em meados de março, os encontros presenciais foram suspensos. Dia das Mães, Páscoa, e até mesmo os...

A reação do mercado de trabalho ainda é muito tímida

Os indicadores da PNAD do quarto trimestre de 2017 despertam esperança e inquietação.
Dentre os dez grupamentos de atividades econômicas, cinco cresceram (indústria; alojamento e alimentação; informação, comunicação, atividade financeira, imobiliária, administrativa; serviços; serviços domésticos); quatro ficaram estáveis (construção; comércio reparação de veículos automotores, motocicletas; Transporte, Armazenagem; Administração Pública); e um caiu (agropecuária).

Os rendimentos médios reais para todas as posições do mercado de trabalho (emprego com carteira, emprego sem carteira, trabalhador doméstico, empregado do setor público, empregador, e por conta própria), e também para os grupamentos de atividades, mantiveram-se constantes em relação a 2016. Mas a massa de rendimentos reais aumentou 3,6%.

Por outro lado, a taxa de desocupação reduziu-se apenas 0,2%, e a taxa de participação na força de trabalho está praticamente no mesmo patamar de 2016 – cerca de 62%.

Então, a reação do mercado de trabalho ainda é muito tímida. Principalmente porque a população em idade para trabalhar aumentou 1,1%, e a força de trabalho aumentou 1,8%.
A queda do desemprego explica-se mais pelos aumentos de vagas sem carteira assinada (5,7%), do trabalho por conta própria (4,8%) e de empregadores (6,4%); do que por abertura de vagas – o emprego com carteira assinada caiu 2%.

A timidez para geração de emprego reflete-se na remuneração da mão de obra. O rendimento médio real das pessoas ocupadas aumentou 1,6%; o dos trabalhadores com carteira assinada, 3,6%; e o dos trabalhadores sem carteira, caiu 1,8%.
O percentual de empregados com carteira assinada em relação à população empregada, caiu de 37,7% em 2016 para 36% em 2017. Em contrapartida, o de empregados sem carteira aumentou de 11,7 para 12%.

Dentre as cinco regiões do País, o Sul apresentou menor taxa de desocupação, 7,7%, igual à de 2016. Em segundo lugar vem Centro-Oeste, 9,4%, contra 10,6% de 2016. Em terceiro, o Norte, 11,3%, contra 17,2% em 2016. Em quarto, o Sudeste, 12,6%, contra 12,3% de 2016. E em quinto, o Nordeste, 13,8% contra 14,4 de 2016.

O Sudeste foi a única região em que a taxa de desocupação aumentou. Dentro dele, as menores taxas foram MG (10,6%) e ES(11,6%), que em 2016 eram, respectivamente, 11,1% e 13,6%. RJ e SP apresentaram taxas, respectivas, de 15,5% e 12,7%. Ambas maiores que as de 2016, respectivamente, 13,4% e 12,4%.

O percentual de empregados com carteira assinada em relação à população ocupada caiu em todas as regiões do País de 2016 para 2017. No Norte de 21,7% para 21,4%; no Nordeste, 26,3% para 25%; no Sudeste, 44,4% para 42,8%; no Sul,de 43,7 para 41,6%; e no Centro-Oeste, de 37,2% para 36,2%.
Em movimento inverso, o percentual de empregados sem carteira em relação à população ocupada aumentou no Norte, de 11,9% para 13,7%; no Nordeste de 5,6% para 17,3%; no sudeste de 9,8% para 10,3%; no Sul, de 8,3% para 8,7%. Só caiu no Centro-Oeste de 14,1% para 11,6%.

Com este quadro, ainda não dá para baixar a guarda!

Fonte: Revista dos Municípios Capixabas

O Sudeste é a região que tem o menor percentual de empregados do setor público em relação à população ocupada (10,5%). Dentro do Sudeste, o ES é o que tem o menor percentual (11,2%).


Arilda Teixeira – doutora em economista e profa. da Fucape

Continua após a publicidade

ES Brasil Digital

ESB 179 Digital
Continua após publicidade

Fique por dentro

Balança comercial tem superávit de US$ 8,060 bilhões em julho

O resultado de julho foi mais do que o dobro registrado no mesmo mês do ano passado, quando foi positivo em US$ 2,391 bilhões

Educação é a maior despesa dos municípios capixabas

Levantamento da 26ª edição do anuário Finanças dos Municípios Capixabas, da Aequus Consultoria, publicado em julho de 2020, traz um apanhado detalhado da gestão...

Iluminação de Vila Velha: confira resultado do leilão

O parque de iluminação pública de Vila Velha (ES) será ampliado e modernizado pelo Consórcio SRE – IP Vila Velha, pelos próximos 20 anos.

Dia dos Pais: 47,8% das pessoas comprarão presentes on-line

De acordo com uma pesquisa, 57,6% das pessoas entrevistadas pretendem celebrar o Dia dos Pais; 21,5% ainda estão na dúvida sobre comemorar ou não.

Vida Capixaba

Mostra on-line de arte e cultura em Vitória

A distância dos palcos não impediu que os alunos dos espaços culturais da Secretaria Municipal de Cultura (Semc) se apresentassem ao público em 2020. Durante...

Dia internacional da cerveja: mulheres ganham cada vez mais espaço

Apesar de ainda sofrerem preconceito, mulheres estão cada vez mais conquistando espaço no meio cervejeiro. A data é comemorada sempre na primeira sexta-feira de agosto,...

Curso gratuito de gestão

Empresa de tecnologia lançou o treinamento para formação de gestores com foco ERP devido a carência de bons gestores com capacidade para desenvolver o...

Espaço Baleia Jubarte reaberto

O Projeto Baleia Jubarte e a Secretaria Municipal de Meio Ambiente, junto com o Projeto TAMAR, prepararam um protocolo de segurança específico para o Espaço Baleia Jubarte e Centro de Visitantes
Continua após publicidade