30 C
Vitória
domingo, 17 janeiro, 2021

Mercado Cambial e as Entrelinhas da Taxa de Juros no Brasil

O pano de fundo da batalha do Banco Central (BC) para controlar o aumento da taxa de câmbio  é o compromisso com a meta de inflação

E o pano de fundo de se perseguir a meta é o papel da estabilidade monetária para manter a taxa básica de juros mais baixa; o mercado brasileiro retomar a credibilidade; o investimento retornar; e se praticar taxas de juros de mercado mais civilizadas.

Assunto instigante e mal contado. Estão escapando fatores-chave para explicar o nível das taxas de juros praticadas no País.

Os países desenvolvidos praticam as taxas mais baixas. Os subdesenvolvidos, mais altas.

Mas entre os subdesenvolvidos, elas são mais altas naqueles em que o desequilíbrio fiscal é maior e o aparato regulatório deficiente; e é menor, ainda que mais alta que a dos países desenvolvidos, naqueles que há responsabilidade fiscal e regulação adequada.

O Brasil é subdesenvolvido, tem desequilíbrio fiscal, e aparato regulatório deficiente.

Este contexto sofre a influência também das estruturas de mercado. Neste caso, a do mercado bancário – um oligopólio homogêneo e concentrado. Uma das estruturas com as maiores barreiras à entrada, consequentemente, maiores obstáculos à competição, e maior poder para definir preço (taxa de juros). Poder de monopólio.

Mesmo assim é uma falha de mercado que pode ser corrigida com regulação adequada.

Sob estas perspectivas, é possível reduzir o custo do dinheiro com mudança de comportamento – vontade política para corrigir distorções.

Das falas sobre os motivos para juros elevados no Brasil ouve-se: (i) inadimplência; (ii) carga tributária; (iii) custo de captação; e (iv) concentração bancária.

Os dois primeiros são explícitos. Mas sobre os dois últimos ainda há o que explicar.

Por isso este assunto está mal contado.

O primeiro é porque temos um consumidor compulsivo da poupança doméstica: o Estado. Seus sucessivos déficits geraram uma dívida cuja necessidade de financiamento absorve 71% da poupança privada do País. Com isso, diminui a disponibilidade de recursos emprestáveis, tornando o custo de captação elevado.

Se o déficit estivesse sendo gerado por gastos com investimentos produtivos – infraestrutura, política de ensino, pesquisa, por exemplo – não preocuparia porque, no médio prazo, seria revertido pelas receitas tributárias geradas pelo crescimento que produziria. De forma análoga, se a gestão pública fosse eficiente – qualidade dos serviços prestados – e confiável – não contivesse prevaricação e fisiologismo que oneram o orçamento e o tornam deficitário – o prazo de vencimentos dos títulos públicos seriam maiores e portanto, o custo de financiamento também.

O segundo, é porque BC e CADE foram omissos.  O BC como regulador; o CADE como defensor da concorrência.

Suas omissões viabilizaram as fusões desenfreadas a partir do Plano Real, até chegar ao ponto de 5 bancos dominarem quase 80% da intermediação bancária no País.

Os juros no Brasil são altos porque se criaram condições para que fossem.

Estamos colhendo o que plantamos.


Arilda Teixeira é Economista e professora da Fucape

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Ainda colocando os pingos nos is

A gestão da saúde pública fazendo o dever de casa - bom senso, probidade administrativa e pensar no coletivo – deixará de ser entrave e passará a ser solução para o crescimento

Colocando o pingo nos Is

A situação que a economia brasileira enfrenta é absolutamente atípica: dois choques exógenos simultâneos, de oferta e de demanda, causados por fatores não econômicos, com fôlego para paralisar a economia.

O Servo de Cesar

Infelizmente, o comportamento de alguns dos imperadores do Brasil está longe daquele que a mensagem do servo sugere Diz o folclore que Cesar, o Imperador...

O Espírito Santo no ranking de competitividade dos estados brasileiros

Quanto mais estatísticas se produzirem, mais transparentes ficarão as escolhas A sétima edição do Ranking de Competitividade dos Estados Brasileiros trouxe úteis estatísticas para se...

As rodas da retomada do crescimento

Estatísticas apresentam sinais de melhora, mas são insuficientes para o desenvolvimento econômico As estatísticas do PIB trouxeram alento ao esboçarem reação na atividade econômica. Comparando-se...

Economia paralisada

Sabemos do baixo desempenho da economia brasileira no 1º trimestre/2019. Seja pela comparação entre ele e o primeiro trimestre de 2018 – em que...

ES Brasil Digital

ESBrasil-184 - Retrospectiva
Continua após publicidade

Fique por dentro

Produção agropecuária de 2020 alcança R$ 871 bilhões

as variáveis determinantes para os resultados estão relacionadas aos preços dos produtos no mercado interno

Balança comercial do agronegócio soma US$ 100,81 bilhões em 2020

esses setores foram responsáveis por 80% das exportações do agronegócio em 2020, contra os 78,9% de participação registrados em 2019

Conab estima colheita de 264,8 milhões de toneladas de grãos

A Conab ressalta que, neste quarto levantamento, houve uma revisão da periodicidade e metodologia do quadro de oferta e demanda de arroz

2ª onda não tem mesmas consequências econômicas da 1ª

Bruno Serra afirmou também que a instituição precisou adotar um grau de estímulo monetário "forte" no Brasil

Vida Capixaba

Festival verão sem aglomeração

O Festival de Verão sem Aglomeração acontece de 18 a 23 de janeiro

Vai um queijinho aí?

O município de Ibitirama ganhou sua primeira agroindústria, o negócio é uma queijaria e foi o primeiro estabelecimento de 2021

Aquaviário: Transporte parece mais perto!

Serão quatro estações em três cidades, duas em Vitória, uma em Vila Velha e outra em Cariacica

Edição Especial dos Cafés Campeões

Produtores foram homenageados pela Cooperativa Cooabriel
Continua após publicidade