21 C
Vitória
quinta-feira, 18 DE julho DE 2024

Indústria, aliada da infraestrutura e da capacitação profissional no ES

Federação das Indústrias do Espírito Santo tem atuado em diversas frentes para melhorar o ambiente de negócios logísticos do Estado

O Espírito Santo está situado a um raio de 1.200 quilômetros de 60% do Produto Interno Bruto (PIB) nacional. Além disso, quase 90% de tudo o que o Espírito Santo exporta vem da indústria capixaba, setor que representa 38,3% da economia estadual.

Os dados reforçam o quanto a infraestrutura e o sistema logístico são determinantes para o setor produtivo e, principalmente, para a indústria crescer cada vez mais e o Estado se posicionar como uma referência nacional e global.

- Continua após a publicidade -

“Esse é um tema de extrema relevância para o desenvolvimento. O ES é um estado pequeno em dimensões territoriais. Porém, ao mesmo tempo em que o mercado interno capixaba é limitado, devido ao tamanho da sua população, possui uma vocação natural para o comércio exterior. Isso porque o ES é um dos entes federativos brasileiros com maior grau de abertura econômica”, explica a presidente da Federação das Indústrias do Espírito Santo (Findes), Cris Samorini.

A industrial reforça que ter uma infraestrutura e uma logística eficientes contribui diretamente para expandir a atuação das empresas no mercado nacional e internacional, além de gerar cada vez mais riquezas no território capixaba.

“A melhoria da infraestrutura e como aproveitar a localização privilegiada que temos são temas que a Findes estuda e discute constantemente com a iniciativa privada e com o poder público” – Cris Samorini, presidente da Findes - Foto: Divulgação Findes
“A melhoria da infraestrutura e como aproveitar a localização privilegiada que temos são temas que a Findes estuda e discute constantemente com a iniciativa privada e com o poder público” – Cris Samorini, presidente da Findes – Foto: Divulgação Findes

“A melhoria da infraestrutura e como aproveitar a localização privilegiada que temos são temas que a Findes estuda e discute constantemente com a iniciativa privada e com o poder público. Dentro da Federação trabalhamos, por exemplo, com o nosso Conselho de Infraestrutura e Energia (Coinfra) e com o Observatório da Indústria. Temos ainda outras áreas que atuam de forma qualificada com estudos e pesquisas, além de especialistas preparados para debater questões tão decisivas para o desenvolvimento do Estado”, diz.

Assuntos estratégicos, como a duplicação das rodovias BR 101 e 262, o Contorno do Mestre Álvaro, projetos das ferrovias FCA e EF-118, a desestatização da Codesa, investimentos em portos como Imetame e Porto Central, a instalação da Zona de Processamento de Exportação (ZPE) são alguns exemplos da atuação contínua da Findes e suas entidades no contexto da melhoria da infraestrutura e do ambiente de negócios logísticos no Estado.

Educação conectada com a vocação logística

O diretor-geral da Findes, Roberto Campos de Lima, destaca que, por acreditar na importância desse tema, a Findes e o Senai dão um passo ainda maior nesse sentido: olhar para a qualificação na área de logística e de infraestrutura. “Diante desse cenário, a partir de 2025 vamos contar com um complexo educacional com diversos cursos voltados para as áreas de tecnologia, metalmecânica, logística, produção e gestão”, conta o executivo.

A nova unidade, que será chamada Senai Porto, vai funcionar em um dos galpões do Porto de Vitória, na capital capixaba – articulação construída em conjunto com a VPorts – e contará com outras empresas parceiras. “Teremos muitas novidades nos próximos meses, entre elas, cursos inéditos”, adianta Roberto.

“Não temos dúvidas de que fortalecer a infraestrutura e a qualificação profissional nessa área vai gerar não apenas mais oportunidades de negócios e empregos, como também dará ainda mais protagonismo global ao nosso Estado” – Paulo Baraona, recém-eleito presidente da Findes - Foto: Renan Donato
“Não temos dúvidas de que fortalecer a infraestrutura e a qualificação profissional nessa área vai gerar não apenas mais oportunidades de negócios e empregos, como também dará ainda mais protagonismo global ao nosso Estado” – Paulo Baraona, recém-eleito presidente da Findes – Foto: Renan Donato

De olho no futuro

O presidente eleito da Findes, Paulo Baraona, comenta que a Federação continuará se empenhando em melhorar cada vez mais a infraestrutura logística do Estado. “A escolha do local tem total sinergia com o que queremos para o futuro na indústria capixaba. Teremos uma unidade tech (tecnológica), com o olhar voltado para o uso de novas tecnologias e para fortalecer a presença das indústrias no mercado internacional”, explica.

Cris Samorini cita que outro ponto a destacar é o fato de a escolha do local também conversar com a valorização da histórica região do Centro de Vitória, contribuindo, inclusive, para dar mais dinamismo socioeconômico e cultural ao local. “Essa é uma forma de a Findes e do Senai ES estimularem a revitalização do centro da Capital. Estamos contribuindo para manter as características do Centro, mas também tendo um olhar para o futuro, para como desenvolver ainda mais o Espírito Santo.”

“Não temos dúvidas de que fortalecer a infraestrutura e a qualificação profissional nessa área vai gerar não apenas mais oportunidades de negócios e empregos, como também dará ainda mais protagonismo global ao nosso Estado”, complementa Baraona.

*Matéria publicada originalmente na revista ES Brasil 221, de maio de 2024. Leia a edição completa sobre portos aqui

Entre para nosso grupo do WhatsApp

Receba nossas últimas notícias em primeira mão.

Matérias relacionadas

Continua após a publicidade

EDIÇÃO DIGITAL

Edição 222

RÁDIO ES BRASIL

Continua após publicidade

Vida Capixaba

- Continua após a publicidade -

Política e ECONOMIA