24.9 C
Vitória
domingo, 28 novembro, 2021

Queda do preço do petróleo impacta economia. Entenda!

De acordo com especialistas, a “guerra” entre Arábia Saudita e Rússia pelos valores dos preços dos barris de petróleo pode causar queda da arrecadação e lucro da Petrobras

A Arábia Saudita, maior produtor de petróleo do mundo, decidiu reduzir os valores dos barris em até 30% em retaliação a Rússia desde a última sexta-feira (06). E, de acordo com especialistas, esta redução causará fortes impactos na economia mundial.

Esta foi a maior queda registrada desde 1991. O preço do barril, que já caiu 10%, despencou mais de 20% na abertura dos mercados asiáticos. Ou seja, hoje o barril já está sendo negociado a US$ 35.

Os mercados financeiros, que estão em alerta por conta do novo coronavírus (Covid-19), se mantém apreensivos. Por aqui, a Petrobras perderá em questões de arrecadação e nos lucros, tendo que reduzir seus valores, operando com o valor de R$ 174,91 o barril.

Retaliação

O desacordo aconteceu porque a Rússia não aceitou a proposta da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) em reduzir os valores por causa do impacto causado pela epidemia do coronavírus. Desta forma, os barris passaram de R$ 49 a R$ 45.

Os sauditas afirmam que vão aumentar a produção e reduzir ainda mais o valor em retaliação aos russos. Contudo, essa “guerra” prejudicará muitos países, entre eles o Brasil, que deverá reduzir os preços para vender o produto.

O economista Vaner Simões destaca que sem a China, o Japão e a Índia, seus principais clientes, o Brasil pode perder muito. “Se não há venda, não há lucro. Com essa briga entre os maiores produtores, a Petrobras terá que reduzir os valores até serem nivelados e isso pode levá-la cada vez mais para baixo”, diz ele.

russia e arabia
O presidente russo, Vladimir Putin (à esq.) cumprimenta o príncipe herdeiro da Arábia Saudita, Mohammed bin Salman, em Moscou. – Foto: Yuri Kadobnov/AFP

Bolsas de valores

A “guerra” iniciada pela Arábia Saudita na última semana fez com que as ações caíssem nas bolsas de valores. A Petrobras já perdeu cerca de 80 bilhões de reais em valor de mercado na bolsa brasileira B3.

Segundo o analista do banco de investimentos BTG Pactual, Thiago Duarte, na manhã desta segunda-feira (09), o contrato futuro de petróleo tipo Brent, que serve de referência para os preços praticados pela petrolífera, recuava 19,9%, para 36 dólares o barril, na bolsa de Londres.

Além disso, a ação preferencial da estatal terminou o último pregão cotada a 24,10 reais. %”, Economista-chefe da corretora Necton, André Perfeito, ressalta que segundo sua equipe de análise técnica, “o papel tem pontos de resistência relevantes nos níveis de 20 reais e 17 reais. A queda pode ficar entre 12,4% e 25,5”.

Dólar

Moedas de países emergentes e de produtores de petróleo, como o Brasil, operam em forte queda. O dólar opera em R$ 4,77 hoje e pode pressionar a inflação e inibir investimentos. Sendo assim, maquinários e equipamentos importados ficam mais caros.

Vaner Simões acredita que a alta do dólar não será bom para o país. “Não estamos vendendo nada. A China, que é a maior importadora de nossos produtos, está fechada por causa do coronavírus. Do que adianta ter o dólar alto se ninguém importa?”, indagou o economista.

Já o professor de relações internacionais da Universidade de Vila Velha (UVV), Helvécio de Jesus Junior, destaca que a alta do dólar pode influenciar positivamente. “Para os pequenos e grandes investidores isso é muito bom. Alguns aproveitam a oportunidade, pois, para eles, os índices são favoráveis”, afirma.

Ele acrescenta que o dólar pode chegar a R$ 5 e que este cenário já era esperado. “Com a valorização da moeda, auxiliará na exportação. De tudo não é ruim”, avalia Helvécio.

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Continua após publicidade

Fique por dentro

Vida Capixaba

Continua após publicidade