Imagem corporativa é patrimônio de qualquer negócio

Imagem Corporativa por Sérgio Carlos de Souza

Na vida empresarial a maior prioridade é a imagem. Ela precisa ser preservada através de diversas ações de reparo e prevenção.

Imagem corporativa é patrimônio de qualquer negócio. E engloba a marca, mas vai muito além dela.

Qualquer organização gira em torno de um patrimônio, material e imaterial. Por patrimônio material tem-se uma vastidão de coisas. Entre elas, instalações, equipamentos, estoque, contas a receber, investimentos etc. Já o patrimônio imaterial envolve imagem, marca, participação de mercado, potencial futuro, etc.

Um patrimônio material danificado pode ser recuperado de diversas maneiras e, dependendo da situação, até rapidamente. Ao passo que o imaterial, ao sofrer um revés, talvez seja irrecuperável.

Imagem corporativa é patrimônio

Exatamente por isto há de se dar atenção especial à preservação do patrimônio imaterial. Acima de tudo à imagem corporativa. A contabilidade da empresa está disponível para poucas pessoas. Já a imagem está exposta para qualquer um: consumidores, concorrentes, autoridades, empregados. Qualquer um pode fazer a sua particular avaliação e julgamento de uma imagem corporativa.

Vamos a exemplos:

  •  Uma empresa se vê às voltas com um sem número de demandas na Justiça do Trabalho. Isto pode afetar a imagem do negócio? Claro, e muito!
  • Dificuldades de caixa: em particular nos tempos de crise, tem sido frequente o número de empresas assoladas pelo fluxo negativo de caixa. Como consequência, começam a ocorrer atrasos de pagamentos. Bancos, Fisco, fornecedores de produtos e serviços, toda essa massa começa a ver a corporação de maneira desconfiada. Onde vai dar isto? Falência, recuperação judicial, golpe? Os comentários devastadores vão tomando marcha.
  • Problemas com clientes: descumprimento de prazos, produtos e serviços defeituosos, falhas nas entregas, atendimento pós-venda lento e não resolutivo. Problemas operacionais? Sim, mas com alcance meteórico em desfavor da imagem corporativa

Não há como deixar a imagem à míngua. A imagem há de ser preservada através de diversas ações de reparo e prevenção. Road shows, presenciais, documentais e eletrônicos, devem ser realizados. Aos formadores de opinião e a todos os que, de uma forma ou outra, poderão influenciar positiva ou negativamente na (des) construção da imagem. Contra-ataques precisam ser minuciosamente planejados. No entanto, é preciso observar a legalidade e se cercar dos melhores profissionais (advogados, marqueteiros etc.). Mas,definitivamente, precisa ser realizado de maneira firme e ousada.


Sérgio Carlos de Souza é sócio fundador de Carlos de Souza Advogados. Especialista e advogado militante em Direito Empresarial, Ambiental, Penal e Família.

Conteúdo Publicitário