22.7 C
Vitória
terça-feira, 16 abril, 2024

Ibovespa cai 7,6% e coronavírus causa mais um circuit breaker

Mercado tem mais um dia de pânico e banho de sangue em meio às preocupações com a doença respiratória

Após o anúncio da Organização Mundial de Saúde (OMS) classificando o coronavírus como uma pandemia,o mercado financeiro entrou em pânico. Nesta quarta-feira (11), o Ibovespa fechou em queda de 7,64% a 85.171 pontos, após o segundo circuit breaker da semana.

Contudo, após o anuncio do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, houve algum alívio. O presidente americano afirmou que o governo usará todo o seu poder para combater a Covid-19. Com a queda de hoje, a Bolsa voltou a níveis do dia 26 de dezembro de 2018, quando o benchmark terminou cotado a 85.136 pontos.

- Continua após a publicidade -

Trump afirmou ainda que fará coletiva de imprensa explicando todas as medidas que tomará para conter o impacto econômico da doença que já matou milhares de pessoas mundo afora. Os índices Dow Jones e S&P 500 recuaram 5,86% e 4,89% respectivamente.

O dólar comercial subiu 1,61% a R$ 4,7468 na compra e a R$ 4,7484 na venda. O dólar futuro para abril tem alta de 1,83%, para R$ 4,7385. Hoje, o Banco Central anunciou que interrompeu a oferta de dólar à vista e voltará a fazer leilões de swap.

Na Europa, as bolsas começaram a cair à tarde e fecharam no negativo. Durante toda manhã os índices subiam em meio às falas da presidente do Banco Central Europeu (BCE), Christine Lagarde. De acordo com o presidente, há risco dessa crise ser como a de 2008 e, portanto, a autoridade monetária precisaria agir. Uma reunião do BCE está agendada para amnhã.

Além disso, o banco central da Inglaterra cortou inesperadamente a taxa básica de juros em 0,50 ponto porcentual.

A União Europeia anunciou que usará 25 bilhões de euros para combater os efeitos do coronavírus, que obrigou a Itália a adotar medidas radicais para evitar a propagação da doença. O número de casos do coronavírus superou 110 mil no mundo e mil nos EUA.

Por aqui, o Ministério da Economia reduziu a projeção para o Produto Interno Bruto (PIB) de 2020 para um crescimento de 2,1%, ante 2,4% anteriormente.

*Da redação, com informações InfoMoney

Entre para nosso grupo do WhatsApp

Receba nossas últimas notícias em primeira mão.

Matérias relacionadas

Continua após a publicidade

EDIÇÃO DIGITAL

Edição 220

RÁDIO ES BRASIL

Continua após publicidade

Vida Capixaba

- Continua após a publicidade -

Política e ECONOMIA