Governo revoga decreto para uso das Forças Armadas

Temer revoga decreto de ontem que autorizava ação das Forças Armadas para Garantia da Lei e da Ordem no DF. Em meio a uma manifestação inicialmente pacífica, a Esplanada dos Ministérios se transformou em palco de vandalismo e destruição do patrimônio público.

O presidente Michel Temer revoga decreto de ontem (24) que autorizava o emprego das Forças Armadas em Brasília para Garantia da Lei e da Ordem no Distrito Federal. O decreto de revogação foi publicado em edição extra do Diário Oficial da União.

Em meio a uma manifestação pacífica, um grupo radical incendiou prédios dos ministérios, quebrou portas e janelas de vidro e destruiu equipamentos e documentos. Até mesmo a Catedral Metropolitana de Brasília foi palco de vandalismo.

O objetivo do governo ao autorizar a presença das Forças Armadas foi de garantir a integridade dos prédios públicos na Esplanada dos Ministérios e a segurança de servidores. A decisão foi tomada após cerca de 50 mascarados promoverem um quebra-quebra durante a manifestação Ocupa Brasília. Mais de 45 mil pessoas protestavam pacificamente contra o governo do presidente Michel Temer e as propostas de reformas.

A revogação foi publicada enquanto Temer estava reunido, no Palácio do Planalto, com diversos ministros. Raul Jungmman (Defesa), Eliseu Padilha (Casa Civil), Moreira Franco (Secretaria-Geral da Presidência da República), Antônio Imbassahy, (Secretaria de Governo) e general Sérgio Etchegoyen (Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República), participaram da reunião.

O decreto foi criticado pelo governador do Distrito Federal, Rodrigo Rollemberg que, em comunicado, se declarou “surpreso” com a medida adotada por Temer. Na nota, Rollemberg lamentou a violência durante a manifestação.

GLO

A GLO – Garantira de Lei e da Ordem – é regulada pela Constituição Federal. Ela autoriza provisoriamente os militares a atuarem com poder de polícia até o restabelecimento da normalidade.

Na quarta-feira, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), pediu a presença da Força Nacional de Segurança na capital. O governo então determinou que tropas federais protegessem os prédios da Esplanada dos Ministérios.

O Palácio do Planalto disse que a decisão do presidente Michel Temer de usar as Forças Armadas foi tomada com base na informação de que não havia policiais da Força Nacional suficientes para atender à solicitação de Maia.

“[…] o Presidente da República, após confirmada a insuficiência dos meios policiais solicitados pelo Presidente da Câmara dos Deputados, decidiu empregar, com base no Artigo 142 da Constituição Federal, efetivos das Forças Armadas com o objetivo de garantir a integridade física das pessoas […]”, diz um trecho da nota divulgada no início da noite de ontem.

 

Conteúdo Publicitário

Aproveite as promoções especiais na Loja da ES Brasil!

Deixe seu comentário

Please enter your comment!
Favor insira seu nome