22.9 C
Vitória
domingo, 21 abril, 2024

Golpe da ‘falsa carta de crédito’ causa prejuízo de R$ 500 mil na Grande Vitória

Cinco pessoas que fazem parte de uma organização criminosa foram identificadas pela Polícia Civil do Espírito Santo. No entanto, suspeitos estão foragidos

Por Munik Vieira

A organização é suspeita de praticar o golpe da “falsa carta de crédito” contra mais de 20 pessoas, na Grande Vitória, causando o prejuízo de, aproximadamente, meio milhão de reais.

- Continua após a publicidade -

Os suspeitos vieram de Minas Gerais e se instalaram no Espírito Santo, em junho de 2020, permanecendo até janeiro deste ano. Eles alugavam salas comerciais de alto padrão, para dar credibilidade ao golpe e fazerem o número maior de vítimas. É o que conta o titular da Delegacia Especializada em Crimes de Defraudações e Falsificações, delegado Douglas Vieira.

“Eles abriram a sala para dar mais credibilidade. Entretanto, mudavam de local, entre 30 e 60 dias, para fugir da ação da polícia e do consumidor, para que quando fossem cobrar, eles não estivessem mais lá”, conta o delegado.

Entenda o golpe aplicado

As investigações apontavam que o golpe funcionava da seguinte maneira: por meio de propaganda na mídia ou nas redes sociais, os estelionatários prometiam a liberação do crédito total (carta de crédito) para a compra de determinado bem, geralmente um veículo, mediante o pagamento de uma quantia a título de entrada, de R$ 5 mil a R$ 45 mil, fazendo com que as vítimas acreditassem estar adquirindo uma cota contemplada de consórcio de R$ 35 mil e R$ 250 mil.

“Depois que o contrato era assinado e o pagamento feito, as vítimas eram orientadas a aguardar até 60 dias para a transferência da carta de crédito para o nome delas. Passado esse tempo, tais transferências não aconteceram, os telefones de contato não respondiam mais e no endereço da “empresa” revendedora as vítimas se depararam com as portas fechadas”, ressaltou o delegado Douglas Vieira.

Evite cair em golpes

– Desconfiem da venda de carta de crédito contemplada;

– Não acreditam na entrega posterior de crédito;

– Não acreditam na entrega posterior de bem.

Os suspeitos continuam foragidos e, por isso, a Polícia Civil, destaca que a população pode auxiliar na investigação por meio do telefone Disque-Denúncia 181.

Entre para nosso grupo do WhatsApp

Receba nossas últimas notícias em primeira mão.

Matérias relacionadas

Continua após a publicidade

EDIÇÃO DIGITAL

Edição 220

RÁDIO ES BRASIL

Continua após publicidade

Vida Capixaba

- Continua após a publicidade -

Política e ECONOMIA