23.8 C
Vitória
sexta-feira, 3 dezembro, 2021

Gestão da comunicação multiplica resultados

Mais Artigos

Falar é terapêutico e a chance de opinar sobre o trabalho que executa transforma em sujeito do sucesso coletivo quem antes seria apenas mais um empregado despersonalizado

Por Gilberto Medeiros

Em tempos de comunicação hipersegmentada, com um público cada vez mais atomizado pelo uso das tecnologias da informação e da comunicação (TICs) – motores da economia da atenção, tornou-se excruciante a tarefa da administração do relacionamento institucional.

E o sucesso de empresas, privadas ou públicas, está condicionado à capacidade de seus gestores relacionarem-se com as comunidades de seu ecossistema: colegas de trabalho, fornecedores, clientes e as instituições de regulação.

Em um próximo nível, cabe aos gestores de comunicação estimularem o bom diálogo interno, do chão de fábrica até o diretor mais graduado. Falar é terapêutico e a chance de opinar sobre o trabalho que executa transforma em sujeito do sucesso coletivo quem antes seria apenas mais um empregado despersonalizado. Organizar e fomentar o fluxo de informações é como lanterna que clareia o caminho adiante.

Da porta da empresa pra fora, é preciso estar atento ao seu relacionamento com a imprensa e à frequência da publicidade de seus produtos da empresa  – mas também de seus valores, de sua visão e de sua missão.

Imprensa – As jornadas de trabalho são extenuantes para os dois lados desse tipo de comunicação. É preciso que o profissional que trabalha em assessoria de imprensa tenha a dimensão de que a pressão sobre o profissional que trabalha em redação é muito grande.

Se a comunicação institucional se apresentar amistosamente para a imprensa; se mostrar composta por profissionais que se reconhecem como colegas de quem está nas redações; e são confiáveis para fornecer informações corretas, a empresa também será vista com maior simpatia pelos jornalistas.

Um bom relacionamento com as redações jornalísticas faz milagres. Às vezes, muitas vezes, é como a gente ganha tempo para completar o atendimento. Tempo que é o suficiente para formular ou completar uma resposta oficial e que faz a reportagem terminar de maneira mais positiva para a instituição.

Propaganda – A propaganda tem nuances de comunicação próprias e, por isso mesmo, alcança níveis de aproximação outras que não as mesmas do jornalismo. Puxe aí pela memória que não é difícil: quantos bordões massificados pela propaganda você memorizou ao longo da vida? Numerosos, tenho certeza! E pelo jornalismo? Nenhum, tenho certeza também. É como diz a garotada: cada um em seu quadrado!

Diferentemente do jornalismo, o quadrado da propaganda é provocar a aproximação por meio do encanto, da geração de afeto. À propaganda é permitido que seja hiperbólica – dentro dos limites éticos – para obter o resultado comunicacional esperado. E isso é também fundamental para um bom relacionamento institucional de empresas e órgãos públicos com a sociedade.

O encantamento proporcionado pela propaganda, no entanto, nunca deve ser superior ao que se pode ser comprovado pela clientela por meio do jornalismo. Esse equilíbrio vai resultar em credibilidade. Venda o sonho, mas mostre para quem paga o boleto a sua capacidade para realizá-lo. Estamos no tempo em que a cada discurso deve corresponder uma entrega.

Mensurar e avaliar – Mensurar a produção e avaliar os resultados devem ser constantes em comunicação organizacional, seja para empresas do mundo corporativo, seja para aquelas do setor público – sobretudo por manusearem recursos para empreendimentos da sociedade: saneamento, moradia, transporte, educação, saúde e por aí vai.

Analisar resultados em comunicação e o feedback obtido é como unha. Tem que olhar todo dia. As métricas corretas fornecem dados para tomadas de decisão importantes para a gestão da comunicação e dos recursos públicos. Até para a mudança de direção. Não é proibido mudar de discurso, mas se detectada a necessidade com maior rapidez e certeza, a mudança pode ser feita a tempo de evitar contratempos e despesas.

A mensagem que deixo, para quem chegou até aqui ou pulou direto para esse parágrafo, é: a comunicação é a única saída e a gestão de recursos, de relacionamento e dos processos de comunicação multiplica os resultados.

Seja gentil e eficiente em seus processos de comunicação espontânea, parceiro a gente precisa todo dia; invista recursos em uma propaganda que dialogue com seu público; aproveite a inteligência do consumidor de informações para melhorar os seus serviços de comunicação de forma que isso melhore a vida das pessoas.

Gilberto Medeiros é jornalista e autor de livros sobre Comunicação

Continua após publicidade

Fique por dentro

Vida Capixaba