21.8 C
Vitória
segunda-feira, 18 janeiro, 2021

JOSÉ
EUGÊNIO
VIEIRA

General Manuel Luís Osório

Leia Também

Pelo fim dos consensos políticos

De fato, conforme a filosofia de Aristóteles, somos seres racionais dotados da capacidade de avaliar, sob o ponto de vista lógico

Leis da atração dos votos: a fuga dos polos e a força centrípeta para 2022

As disputas municipais de 2020 entregam importantes recados do eleitorado a quem já se paramenta para a corrida presidencial de 2022.  Embora obviamente não crave sentenças, o resultado nas urnas mostrou que os extremos opostos não atraíram,

“Sucessão no Congresso e reforma ministerial”

a matemática muitas vezes não se aplica à política - no caso, as anunciadas alianças não representam que determinado partido

O patrono da Arma de Cavalaria do Exército Brasileiro

Manuel Luís Osório nasceu no dia 10 de maio de 1808, em Osório, Rio Grande do Sul, filho de Ana Joaquina Luiza Osório e Manuel Luiz da Silva Borges.

Foi criado na fazenda do avô materno. Seu pai era descendente de açorianos.
Filho de uma humilde família de 14 filhos era o quarto. Aprendeu a ler e escrever sem ter feito os estudos regulares.

No ano de 1823 (1º de maio), com quinze anos incompletos, alistou-se como voluntário na Cavalaria da Legião de São Paulo, atual 5º Regimento de Cavalaria Mecanizada.
Com a mesma idade, teve seu batismo de fogo à margem do arroio Miguelete, nas proximidades de Montevidéu, em um combate contra a cavalaria portuguesa.

Sua carreira militar continuava um ano após, agora designado cadete e posteriormente, alferes do 3º Regimento de Cavalaria da primeira linha. Em 1824, após dezesseis anos, inscreveu-se na Escola Militar. Teve sua inscrição anulada, pois foi chamado para enfrentar nova campanha, na Guerra Cisplatina, em 1825 e 1828.

Foi o único sobrevivente oficial de seu esquadrão a sobreviver à Batalha de Sarandi, mas também por salvar a vida de seu comandante, que proferiu: “Hei de legar-lhe, Alferes, a minha lança, porque a levará aonde tenho levado”.

Ainda em 1827, continuava em campanha pela região de Santana do Livramento.
Em outubro foi promovido a Tenente. Casou-se em 15 de outubro de 1835, com a Sra. Francisca Fagundes, aos 27 anos de idade, cujo consórcio gerou 4 filhos.

Prestou serviços militares de 1824 a 1876, portanto, durante 52 anos, tendo chegado a Marechal na sua longa carreira. Participou dos seguintes conflitos: Guerra da Cisplatina, Revolução Farroupilha, Guerra do Prata e Guerra do Paraguai. Pertencia ao PL – Partido Liberal, tendo sido eleito deputado provincial na 2ª Legislatura da Assembleia Legislativa Provincial do Rio Grande do Sul. Faleceu na cidade do Rio de Janeiro (RJ), no dia 4 de outubro de 1879, aos 71 anos de idade.


ES Brasil Digital

ESBrasil-184 - Retrospectiva
Continua após publicidade

Mais Endereços

Endereço da Historia: Ruas Carlos Martins e Fortunato Abreu Gagno

O simbolismo de um bairro criado a partir de um sonho e um sonho interrompido pela fatalidade de um acidente. O exemplo europeu de implantar...

Hugo Musso: Polivalente, conciliou ternura com trabalho

A época era outra, e não havia lugar para pessoas fracas. Somente os bravos e determinados conseguiam vencer os desafios que a natureza lhes...

Nestor Gomes, um fluminense autenticamente capixaba

Muitos dos homens que se destacaram na vida econômica e política capixaba vieram de fora para aqui plantar a bandeira dos seus sonhos. ...

Blogs e colunas

GM muda logo e promete lançar 30 elétricos até 2025

A GM está investindo US$ 27 bilhões (mais de R$ 148 bilhões, na conversão direta) nesta espécie de recomeço para a empresa

Donos de elétricos estão satisfeitos

De acordo com o resultado do estudo, nenhum dono de BMW 330e (versão híbrida plug-in do Série 3) trocaria de carro

Emicida incentiva jovens a brilharem em nova campanha da Estácio

Rapper é o protagonista e cocriador da campanha "Faz seu brilho", desenvolvida pela Artplan