22.9 C
Vitória
sexta-feira, 5 junho, 2020

Forró poderá ser considerado patrimônio imaterial

Leia Também

Crise tem maior impacto em negócios liderados por empreendedores mais velhos

Durante a pesquisa realizada pelo Sebrae e a FGV, foram ouvidos 10.384 empresários do setor, entre 30 de abril e 5 de maio, e mostrou que entre os entrevistados com 56 anos ou mais.

Prefeitura da Serra reduz burocracia para mais dez negócios

Na instrução normativa publicada na última segunda-feira (1°) foram incluídas mais 10 atividades na lista que já continha 150.

Petrobras eleva preço do gás de cozinha nas refinarias

O aumento também está relacionando ao consumo do gás de cozinha durante a pandemia, já que o isolamento social tem levado às famílias a cozinharem mais em casa.

Dia Mundial do Meio Ambiente estimula ações de preservação do planeta

Para comemorar a data, instituições privadas, ONG's, prefeituras, e outras, se unem para fazer ações de conscientização em tempo de pandemia.

A ideia do instituto é buscar matrizes culturais e transformá-las em patrimônio até 2020

O Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) deseja transformar o forró em um patrimônio cultural imaterial até 2020. Para isso, o instituto criou uma pesquisa que está sendo realizada em nove Estados para descobrir a raiz e a forma de expressão que além de gêneros musicais.

A pesquisa já foi realizada no Distrito Federal, Rio de Janeiro e São Paulo, nos quais usam o som da sanfona, zabumba e do triângulo como forma de expressão cultural.

O maestro Marcos Farias, filho da cantora Marinês (1935-2007) e afilhado de Luiz Gonzaga (1912-1989), o Rei do Baião, e outros músicos apreciaram a ideia. Isso porque, para ele, muitos grupos e artistas que se denominam “de forró” fazem adaptações de cumbia e zouk (de países hispânicos sul-americanos e caribenhos).

Luiz Gonzaga, o rei do Baião. – Foto: Divulgação

O diretor do Departamento de Patrimônio Imaterial do Iphan, Hermano Queiroz, afirmou que “o objetivo do registro não é dar autenticidade a uma narrativa”. Ele destacou que “o patrimônio cultural é dinâmico”.

Além disso, a intenção não é saber a matriz do ritmo, mas, sim, “mapear todos olhares e narrativas sobre esse bem imaterial’ e permitir que músicos de diferentes lugares se conheçam e passem a “ter a compreensão de que embora espraiados em todo o território cultural são irmãos”.

Origem do nome

Há uma possível explicação acerca do nome forró. De acordo com o maestro Marcos Farias, o compositor e instrumentista Sivuca (1930-2006) defendia a tese de que a palavra tem como origem a expressão em inglês de “for all”.

Entretanto, o termo havia começado no século 19 por causa da presença de trabalhadores ingleses, mas a origem da palavra forró foi atualizada no século 20.

Já o etnomusicólogo Carlos Sandroni, professor do Departamento de Música da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) e responsável pela pesquisa do Iphan, discorda. Ele acredita que a palavra forró foi usada “para designar uma festa popular com dança, com música e com bebida”.

Segundo a edição de dicionário de 1912 tem a palavra forrobodó. Na edição do ano seguinte, já tem forrobodó e forró. Ao que tudo indica forró é uma abreviação de forrobodó”, que, segundo o filólogo Evanildo Bechara, forrobodó é originado da palavra galega forbodó.

Foto: Divulgação / Fenfit

Itaúnas

No Espírito Santo, a pacata vila de Itaúnas, localizada em Conceição da Barra, é conhecida como a “Capital do Forró”. Todos os anos é realizado o tradicional Festival Nacional de Forró de Itaúnas (Fenfit) que surgiu em 2001, como incremento ao movimento forró pé-de-serra da década de 80.

O evento acontece em julho e reúne, em média, 3 mil pessoas. Por lá, passam artistas nacionais e locais e já revelou grupos como Falamansa, Rastapé e Trio Virgulino. Hoje, o forró em Itaúnas ocorre, principalmente, em feriados, temporadas de férias e recesso escolar, Reveillon e Carnaval.

*Da redação com informações da Agência Brasil


Leia mais:

Continua após a publicidade

ES Brasil Digital

esbrasil_177
Continua após publicidade

Fique por dentro

Inflação para famílias de baixa renda cai 0,30% em maio, diz FGV

Com o resultado, o índice acumulou alta de 0,81% no ano de 2020. Em 12 meses, o indicador acumulou avanço de 2,59% Por Daniela Amorim (AE)...

Dia Mundial do Meio Ambiente estimula ações de preservação do planeta

Para comemorar a data, instituições privadas, ONG's, prefeituras, e outras, se unem para fazer ações de conscientização em tempo de pandemia.

Produtos com até 50% no Dia Livre de Impostos

E por conta da pandemia do novo coronavírus, os estabelecimentos inovaram. Neste ano, o Dia Livre de Impostos será on-line.

Projeção de alta do crédito bancário em 2020 passa de 4,8% para 7,6%, diz BC

Já a projeção de crescimento do crédito livre em 2020 passou de 8,2% para 10,6%. No caso dos recursos direcionados, a projeção foi de zero para alta de 3,5%.

Vida Capixaba

Prefeitura de Vila Velha e BNDES firmam parceria para modernizar parque de iluminação da cidade

Inicialmente, o sistema substituirá as 35 mil luminárias em toda a cidade, com lâmpadas com tecnologia de LED, além de telegestão, instalação de tecnologia de monitoramento remoto das luminárias.

Tendência nos anos 1960, cinema drive-in chegará a Vitória

O cinema drive-in chegará a Vitória na segunda quinzena de junho, no estacionamento da Faculdade Estacio de Sá, em Jardim Camburi.

Vitória organiza Circuito Cultural com exposição on-line

Os alunos do Núcleo de Fotografia do Circuito Cultural, equipamento da Secretaria Municipal de Cultura de Vitória (Semc) fizeram trabalhos que estão sendo disponibilizados por meio de uma exposição on-line. 

Vila Velha instala câmeras de alta definição em ruas

Os equipamentos serão instalados em pontos estratégicos da cidade. A primeira instalação teste com uma das novas câmeras ocorreu na última sexta-feira (29), no Farol de Santa Luzia. 
Continua após publicidade