FGTS começará a ser pago nesta sexta-feira (13)

Foto: Reprodução

O limite dos saques das contas do fundo serão de até R$ 500 e começam a ser liberados a partir de hoje

Os trabalhadores já podem ficar atentos ao saque do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). O Governo Federal anunciou que, a partir desta sexta-feira (13), começará a pagar o valor de até R$ 500 para as contas ativas (dos contratos de trabalho atuais), até 31 de março de 2020.

O valor será depositado automaticamente para pessoas nascidas em janeiro, fevereiro, março e abril, que têm conta poupança na Caixa. Quem nasceu em maio, junho, julho e agosto, receberá a partir do dia 27 de setembro de 2019. Já os trabalhadores nascidos em setembro, outubro, novembro e dezembro, receberão partir do dia 09 de outubro de 2019.

Além disso, o crédito automático só será realizado para quem abriu conta poupança até o dia 24 de julho de 2019. O beneficiário também poderá cancelar o recebimento. Saiba como!

Segundo a Caixa Econômica, atualmente, existem cerca de 260 milhões de contas ativas e inativas de FGTS. Deste total, cerca de 211 milhões, em torno de 80%, têm saldo de até no máximo R$ 500.

Quem tem direito?

Pode sacar o FGTS, o trabalhador que for demitido de seu emprego sem justa causa. O saque também pode ser feito em outras condições como: aposentadoria; pessoas desempregadas por mais de três anos (podem sacar a partir do mês do aniversário); financiamento imobiliário; acordo de rescisão de contrato de trabalho (libera 80% do fundo); doenças graves ou terminais; morte do titular da conta; desastres naturais que destruam a casa do trabalhador (caso o Governo tenha decretado estado de calamidade).

Caso seja liberado o valor hoje, quem tem até R$ 5 mil no fundo, pode pegar 35% do saldo; trabalhadores com até R$ 10 mil terão autorização para sacar 30%. Acima de R$ 50 mil, o trabalhador só poderia sacar 10% do saldo total. O governo ainda discute o percentual de quem tem entre R$ 10 mil e R$ 50 mil no FGTS.

Para saber se tem direito ao benefício, o trabalhador pode se dirigir a uma agência da Caixa Econômica Federal, apresentando documento oficial (como RG, CPF e carteira de trabalho).

A consulta também pode ser feita online. Basta acessar o site da Caixa e cadastrar uma senha de acesso, além de inserir o número do NIS/PIS. No extrato, é possível consultar informações de contas anteriores. Com a mesma senha de acesso, é possível consultar o saldo por meio do aplicativo do FGTS, disponível para IOS e android.

Cronograma

O pagamento aos não correntistas da Caixa seguirá o seguinte cronograma:

Fonte: Caixa Econômica Federal

*Da redação, com informações da Agência Brasil


Leia mais: 

Conteúdo Publicitário