FGTS será liberado em agosto. Confira o valor dos saques!

Foto: Reprodução

O limite dos saques das contas do fundo serão de até R$ 500 neste ano 

Os trabalhadores já podem ficar atentos ao saque do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). O Governo Federal anunciou, nesta quarta-feira (24), que deve liberar o saque de até R$ 500 para as contas ativas (dos contratos de trabalho atuais), a partir de agosto deste ano até março de 2020.

O anúncio foi feito pelo ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni. Ele afirmou, ainda, que a medida vai injetar R$ 30 bilhões na economia neste ano e R$ 10 bilhões no ano que vem.

Segundo a Caixa Econômica, atualmente, existem cerca de 260 milhões de contas ativas e inativas de FGTS. Deste total, cerca de 211 milhões, em torno de 80%, têm saldo de até no máximo R$ 500.

Bloqueio

Segundo o porta-voz da Presidência da República, Otávio Rêgo de Barros, o governo federal deseja promover transparência, por isso poderá fazer um bloqueio de R$ 1,4 bilhão no orçamento de 2019, conforme anúncio realizado na segunda-feira (22).

Segundo ele, o bloqueio é necessário para que a chamada meta de déficit primário (despesas maiores do que receitas, sem contar juros da dívida pública) de até R$ 139 bilhões seja fixada neste ano.

“O fato de ter que contingenciar agora não significa por certo que, no futuro, tenhamos que inviabilizar as atividades de um ministério. Os técnicos da economia vêm buscando soluções para chegarmos ao fim do ano com o orçamento previsto”, destacou o porta-voz do governo.

Quem tem direito?

Pode sacar o FGTS, o trabalhador que for demitido de seu emprego sem justa causa. O saque também pode ser feito em outras condições como: aposentadoria; pessoas desempregadas por mais de três anos (podem sacar a partir do mês do aniversário); financiamento imobiliário; acordo de rescisão de contrato de trabalho (libera 80% do fundo); doenças graves ou terminais; morte do titular da conta; desastres naturais que destruam a casa do trabalhador (caso o Governo tenha decretado estado de calamidade).

Caso seja liberado o valor hoje, quem tem até R$ 5 mil no fundo, pode pegar 35% do saldo; trabalhadores com até R$ 10 mil terão autorização para sacar 30%. Acima de R$ 50 mil, o trabalhador só poderia sacar 10% do saldo total. O governo ainda discute o percentual de quem tem entre R$ 10 mil e R$ 50 mil no FGTS.

Para saber se tem direito ao benefício, o trabalhador pode se dirigir a uma agência da Caixa Econômica Federal, apresentando documento oficial (como RG, CPF e carteira de trabalho).

A consulta também pode ser feita online. Basta acessar o site da Caixa e cadastrar uma senha de acesso, além de inserir o número do NIS/PIS. No extrato, é possível consultar informações de contas anteriores. Com a mesma senha de acesso, é possível consultar o saldo por meio do aplicativo do FGTS, disponível para IOS e android.

Conteúdo Publicitário