27.2 C
Vitória
sexta-feira, 23 abril, 2021

Fábrica capixaba de embalagens de ovos fortalece atuação na Serra

A fábrica FBL se tornou uma das principais fornecedoras para a cadeia produtiva de avicultura de postura no estado

Por Dayane Paradizzo

Uma empresa capixaba que produz embalagens de crivos para ovos vem se destacando e fortalecendo sua atuação no mercado. A FBL Indústria de Embalagens, localizada na Serra, atua há cerca de cinco anos no segmento e surgiu do desejo de um dos sócios-fundadores – são 3, que levam as iniciais de seus sobrenomes na sigla da empresa – de abastecer as granjas da região de Santa Maria de Jetibá, cidade que é destaque nacional na produção de ovos.

Isso porque a cadeia produtiva de avicultura é uma das principais do agronegócio capixaba. De acordo com dados da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), o Espírito Santo se destaca no cenário nacional como o segundo maior produtor do Brasil, com 9,5% na participação na produção brasileira (que representa 4,3 milhões de ovos ao ano).

Mirando em modernização e em um crescimento da produção, a empresa conta com o apoio do Banco de Desenvolvimento do Espírito Santo (Bandes), através de uma linha de crédito. O gerente comercial do Bandes, Miguel Porcaro, explica que o investimento é direcionado à aquisição de equipamentos.

“O Bandes auxiliou na conclusão do processo de implantação da fábrica, com a aquisição dos equipamentos para a linha de produção das embalagens de crivos, que são feitas com papelão reciclado, com respeito ao meio ambiente. Em função disso também, a linha de crédito utilizada foi a linha de incentivo à Economia Verde”, explicou.

Porcaro destaca também o papel da empresa na economia capixaba: “A empresa e sua instalação na economia do Estado fortalecem a cadeia, reduz custos de logística, o transit time, e o tempo de estocagem dos produtores. Ela fortalece toda essa cadeia local”. De acordo com o Bandes, o projeto de modernização da fábrica deve movimentar R$ 2,4 milhões, sendo R$ 1,3 milhão provenientes do financiamento junto ao banco.

O diretor financeiro da FBL, Luiz Paulo Guimarães Faustini, afirma, porém, que 2020 foi um ano desafiador para a empresa, impedindo o planejamento de uma expansão da linha de produção para o início deste ano: “A mudança do mercado e do dólar nos colocou muitas barreiras. Em uma época de escassez de matéria-prima, deve-se pensar duas vezes antes de lidar com um aumento do consumo dela, e também com o dobro do aumento de seu valor. Mais além, a guerra de preços em 2020 tornou-se muito mais acirrada e, para a FBL – com produtos de maior valor agregado e que perto das concorrentes é ainda uma criança -, a batalha se mostrou dura de vencer.”

Apesar disso, Faustini destaca que o apoio do Bandes foi de grande importância no período, para pensarem em alternativas e soluções. “Podemos dizer que sobrevivemos ao ano pandêmico e, para 2021, estamos com grandes propostas e novas estratégias que, se tudo ocorrer como planejado, voltaremos a abordar nosso plano de expansão antes que se completem 12 meses”, conta.

- Publicidade -

Matérias relacionadas

ES Brasil Digital

Continua após publicidade

Fique por dentro

Vida Capixaba

Continua após publicidade