Ex-presidente peruano comete suicídio para evitar prisão

Foto reprodução

Alan García atirou contra a cabeça. Ele era acusado de corrupção no caso que envolve a Odebrecht

O ex-presidente do Peru, Alan García, morreu após atirar contra a própria cabeça na manhã desta quarta-feira (17) quando ia ser detido pela polícia em sua casa no bairro de Miraflores, em Lima. Ele era acusado de corrupção em caso envolvendo a Odebrecht.

García foi encontrado com vida e levado com urgência ao Hospital Casimiro Ulloa, na capital peruana. O diretor do hospital, Enrique Gutiérrez, afirmou que, ao dar entrada na unidade, García tinha dois orifícios de bala no crânio, “um de entrada e um de saída”.

O ministro da Saúde, Zulema Tomás, disse por meio de entrevista coletiva, que o ex-presidente foi operado e ressuscitado, após sofrer três paradas cardiorrespiratórias na sala de cirurgia. Acabou por não resistir e a Divisão Criminal do Peru (Diningri) “anunciou que Alan García está morto”.

O atual presidente do país, Martin Vizcarra, prestou condolências aos familiares de Garcia por meio de uma mídia social.

ORDEM DE PRISÃO

Nesta quarta-feira, os agentes da Divisão de Investigação de Crimes de Alta Complexidade chegaram à residência do ex-presidente para cumprir a ordem de prisão contra ele. As fontes indicaram que ele já foi encontrado ferido.

O ex-presidente estava sendo investigado por supostos subornos na construção de um trem para Lima, projeto da construtora brasileira Odebrecht. Foram presos o ex-secretário geral da Presidência, Luis Nava, e o ex-vice-presidente, Miguel Atala.

Alan Garcia

Alan Gabriel Ludwig García Pérez (Lima, 23 de maio de 1949) era advogado e político peruano, presidente de seu país por duas vezes, entre 28 de Julho de 1985 e 28 de Julho de 1990 e entre 28 de Julho de 2006 e 28 de Julho de 2011.

*Da redação com informações de agências.

Conteúdo Publicitário