14.9 C
Vitória
quarta-feira, 29 junho, 2022

Estudantes capixabas estão na final da Olimpíada Nacional de História

olimpíada de história
Escola Almirante Barroso, em Vitória. Foto: Reprodução/Google Maps

Espírito Santo no topo! Uma das equipes da Escola Estadual Almirante Barroso, de Vitória, foi classificada para a final da Olimpíada Nacional de História do Brasil.

Por Munik Vieira

Com isso, o grupo foi considerado como a melhor equipe do Espírito Santo nessa competição.

Os professores reuniram esforços para incentivar, ajudar e facilitar o acesso à Olimpíada de História, pois acreditam que esse evento é um instrumento importante, tanto no estudo e ensino de história quanto no desenvolvimento e potencialização do senso crítico dos alunos.

A temática da prova deste ano foi o Bicentenário da Independência e desafiou os estudantes a analisarem o processo de formação histórica do Brasil e a compreenderem a importância do ato de ler, compreender e interpretar os fatos ocorridos ao longo do tempo, com responsabilidade, visão crítica e transformadora, para evitarem repetir momentos traumáticos da história.

“Nesse momento em que a educação vive vários desafios, é motivo de orgulho que uma equipe da Rede Estadual represente com primazia a educação pública. Chegamos à final trilhando um caminho de superação, companheirismo e trabalho em equipe, com o apoio da família e da escola, uma vez que compreendemos a importância de valorizar cada pessoa que contribuiu nessa incrível jornada”, disse a professora Neuza Soares Carneiro.

Equipe

Foto: Reprodução PMV

A equipe é formada pelos alunos Lucas Eduardo, Jéssika Donadonas e Julieta Gutierrez, todos do 4° ano do Ensino Médio, e pelos professores Guilherme Schneider, de História, e Neuza Soares Carneiro, de Altas Habilidades. Durante todo o processo, eles superaram os desafios e alcançaram esse inédito resultado para a escola, sendo a equipe considerada a melhor do Estado pela pontuação alcançada nas atividades desenvolvidas no decorrer do evento, entre escolas particulares, públicas e instituições federais.

Para o professor Guilherme Schneider, esse resultado é fruto de um trabalho desenvolvido há pelo menos quatro anos com os alunos e, mais antigo ainda, se tratando da participação na Olimpíada. “São muitas horas de trabalho além da sala de aula, em reuniões, pesquisa e escrita com diversas equipes, e que agora são representadas pelo sucesso alcançado por esses alunos. Chegar à final como a melhor equipe do Estado, mesmo concorrendo com escolas particulares e institutos federais, superou todas as expectativas”, disse.

Final

A prova final será aplicada na próxima segunda-feira (16). “A equipe já pode ser considerada vitoriosa. Acima de tudo, são exemplos de resistência, pois isso é fruto de um trabalho de professores que acreditam em um mundo melhor, uma educação de qualidade, nas práxis do protagonismo juvenil e na importância da pedagogia do afeto”, acrescentou a professora.

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Continua após publicidade

Fique por dentro

Vida Capixaba

Continua após publicidade