22.1 C
Vitória
quarta-feira, 6 julho, 2022

Especialista dá dicas para startups captarem investimentos

As startups apostam em tecnologia e ideias inovadoras. Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Wagner Rubim é especialista em finanças e atua em uma venture builder, que desenvolve startups no interior do Estado

Por Amanda Amaral

A cena de tecnologia e inovação no Espírito Santo cresce a cada dia. Uma prova é o lançamento este ano do Fundo de Investimentos em Participações (FIP) do Governo do Estado, o Funses 1, cujo propósito é investir em empreendedores com iniciativas tecnológicas. Pensando neste cenário de fomento, o especialista em finanças, Wagner Rubim, dá dicas para startups que estão pensando em captar investimentos.

Um dos principais desafios que uma startup enfrenta é a preparação para lidar com fundos de investimentos. Rubim, que participou na criação do FIP do Fundo Soberano do ES (FIP FUNSES 1), também é Estrategista de Venture Capital em uma venture builder, a Bbutton Ventures.

“A estruturação e a organização financeira de uma startup precisa estar presente desde seu nascimento, pois uma das principais características dessas empresas é sua capacidade de crescimento acelerado. A ausência de controles eficientes não só prejudica seus resultados como também diminui a confiança dos investidores nos números apresentados/projetados; afetando diretamente no cálculo da taxa de desconto a ser aplicada em sua valoração, uma vez que a incerteza provocada pelo descontrole financeiro refletirá no aumento dos riscos da operação”, explica.

Desenvolvimento do interior

Também chamadas de “fabrica de startups”, as venture builders são empresas que constroem, desenvolvem e investem nesse modelo de negócio. No caso da Bbutton, o foco é o desenvolvimento do interior do Estado e ela atua em várias frentes: acelera o crescimento de startups; conecta e capacita investidores; e contribui com o desenvolvimento em inovação de corporações com modelos tradicionais.

A Bbutton é uma venture build com foco no desenvolvimento de startups no interior do Estado. Foto: Divulgação/Prefeitura de Linhares

A empresa entende que o FIP Funses 1 fortalecerá o desenvolvimento de pequenos negócios locais,além de apresentar novas oportunidades de emprego, o que irá contemplar não apenas os grandes centros, mas também às cidades do interior. Por isso, vale a pena conferir as dicas para quem tem uma idéia inovadora e pretende empreender nos próximos anos.

Confira as dicas do especialista:

1) É necessário conhecer profundamente os números. É importante que o empreendedor conheça as métricas do seu negócio para que tenha segurança na hora de fazer projeções e para identificar pontos de melhoria atuais. Além disso, as métricas são essenciais para determinar o valor do negócio, sem o qual não é possível captar um investimento.

2) Outra dica é criar uma modelagem financeira. Ela prevê a performance financeira de um negócio; é o que permite mensurar resultados baseados no desempenho histórico da empresa e pressupor futuras ações e números. Essa ferramenta fará o acompanhamento orçamentário e será um norte que vai auxiliar na hora de desenvolver decisões estratégicas, ou até mesmo investimentos.

O Estrategista de Venture Capital da Bbutton, Wagner Rubim, faz alerta sobre o descontrole financeiro. Foto: Divulgação

3) Para avançar e desenvolver o negócio de maneira segura, também é preciso fazer previsões (custos, imprevistos, impostos, mercado, crescimento, etc). Essa ação ajuda a entender a situação financeira da empresa e como ela estará daqui um tempo.

4) Outro ponto importante é saber o perfil do investidor com o qual a empresa vai se relacionar, entender mais sobre o interlocutor. Perfil profissional, onde investe, seus interesses, estudos, entre outros. Assim,é possível saber como se portar e o que apresentar a ele de forma que irá despertar a sua atenção e interesse.

5) Quando for fazer o pitch deck do negócio para um investidor, aqueles minutos serão decisivos para fechar, ou não, um contrato. O Pitch Deck é a apresentação do que é o seu negócio. É importante ter uma apresentação sólida e clara e mostrar o valor do negócio e seus diferenciais competitivos, seu potencial de mercado, projeções futuras, e claro, o que se pretende fazer com o recurso captado. É preciso destacar o crescimento da empresa, bem como o portfólio, assim como falar dos serviços já prestados e mostrar como o avanço do negócio corrobora com a criação da credibilidade.

6) Também é importante se conectar com outros atores do mercado que poderão ajudar na aceleração do amadurecimento da startup, economizando um tempo que pode ser vital à sobrevivência da iniciativa.

Fonte: Bbutton Ventures.

 

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Continua após publicidade

Fique por dentro

Vida Capixaba

Continua após publicidade