22.1 C
Vitória
terça-feira, 9 agosto, 2022

ES: Cooperativas estimam R$ 160 milhões em investimentos

"Avançamos em discussões estratégicas", disse o superintendente do Sistema OCB/ES, Carlos André de Oliveira. Foto: Divulgação/OCB/ES

Em entrevista à ES Brasil, o superintendente do Sistema OCB/ES, Carlos de Oliveira, divulgou os investimentos para 2022

Por Amanda Amaral

Até o final de 2022, as 119 cooperativas capixabas estimam investir juntas em torno de R$ 160 milhões em seus negócios, segundo o superintendente do Sindicato e Organização das Cooperativas Brasileiras no Espirito Santo (Sistema OCB-ES), Carlos André Santos de Oliveira.

Em entrevista à ES Brasil, ele comentou sobre o crescimento do cooperativismo no Estado e como as mudanças tecnológicas impactam o movimento, que hoje representa aproximadamente 5% do Produto Interno Bruto (PIB) do Estado, segundo o último Anuário do Cooperativismo Capixaba divulgado pelo Sistema OCB-ES.

Carlos de Oliveira também comentou sobre os problemas enfrentados com relação à infraestrutura e o desafio para a interiorização da internet.

Quais os principais avanços realizados pela OCB-ES no primeiro semestre de 2022?

O Sistema OCB/ES, como um todo, conquistou muitos avanços na primeira metade de 2022. Uma dessas grandes vitórias foi a aprovação e sanção da Lei n° 11.618/2022, que adequou as regras de segurança para as cooperativas de crédito ao que prevê a legislação federal, resultado da proposição e atuação direta da OCB/ES em atendimento a uma demanda dessas cooperativas.

Outras legislações que vão beneficiar o movimento cooperativista também estão sendo acompanhadas de perto e se caminhando graças ao nosso envolvimento. Avançamos em discussões estratégicas com diversos atores para ampliar as oportunidades para as cooperativas, mostrando linhas de crédito, programas e iniciativas que podem sem acessadas por elas. E o principal é que estamos dando sequência às iniciativas perenes que já vínhamos realizando, proporcionando ao cooperativismo cumprir o seu papel econômico e social ao mesmo tempo em que se desenvolve e fortalece.

Como as cooperativas estão se posicionando quanto à introdução de novas tecnologias?

O cooperativismo busca sempre estar na vanguarda em diversas frentes e não é diferente quando falamos em tecnologia. Cada vez mais elas entendem a necessidade de estarem alinhadas ao que há de mais moderno no mercado e antenadas às novidades que surgem, cada uma em seu ramo de atuação. Nos últimos anos, tivemos marcos significativos, com atendimentos virtuais com cada vez mais qualidade via aplicativos e até com a telemedicina, criação de aplicativos, investimento no e-commerce, educação a distância, estruturas modernizadas, entre outros.

Essas foram mudanças que vieram para ficar no cooperativismo, mas que não vão parar. Afinal, um movimento que é criado por e para as pessoas precisa ouvir as suas demandas para poder entregar o que elas querem, com a qualidade que merecem, a responsabilidade que esperam e dentro do prazo que desejam.

Quais os avanços na área de inovação e economia criativa?

A inovação tem feito parte do cotidiano das cooperativas historicamente, mas durante a pandemia a busca por soluções criativas se tornou algo ainda mais visível. Tivemos cooperativas, por exemplo, que desenvolveram sites focados na comercialização pela internet, principalmente porque a circulação de pessoas diminuiu. Nas cooperativas educacionais, o ambiente online foi a saída para manter o processo de ensino-aprendizagem e demandou um poder de adaptação extremamente rápido.

Os aplicativos também ganharam mais espaço, facilitando o acesso aos produtos, serviços e informações das cooperativas, com avaliação positiva por parte do público. A telemedicina também foi outro grande salto, sem falar da diversificação de áreas de atuação para suprir as necessidades que surgiram com a diminuição de alguns serviços.

Qual o maior entrave hoje para o crescimento das cooperativas?

O investimento previsto pelas cooperativas capixabas até o final de 2022 é de aproximadamente R$ 160 milhões. Foto: Cooabriel

Costumo elencar dois pontos principais para esse entrave. O primeiro são as rodovias. Precisamos entender que a economia do país circula por nossas estradas e, para que consigamos um fluxo melhor, precisamos ter rodovias de qualidade e amplas para o transporte das nossas cargas e das pessoas, para conectar o país. O segundo ponto é a ampliação da internet para todos os cantos. Hoje o mundo acontece em rede e, sem o acesso a ela, torna-se difícil conhecer o que há de novo e inovar, comercializar e se relacionar com o público. A observação desses dois pontos e a busca de soluções para eles, com toda a certeza, teria um impacto extremamente positivo para o cooperativismo.

Em valores, qual a estimativa da OCB-ES em investimentos para 2022?

Ainda estamos levantando alguns dados recentes, mas as informações consolidadas até o momento por meio do nosso Censo Cooperativista apontam que há a previsão de um investimento aproximado de R$ 160 milhões. Esses são valores que as cooperativas respondentes ao censo pretendem investir nos seus negócios em 2022.

Quais os planos da OCB-ES para o segundo semestre de 2022?

O nosso objetivo ao longo do segundo semestre é seguir entregando produtos e serviços de qualidade para as cooperativas poderem atuar, tendo o reconhecimento da sociedade e um ambiente propício para o seu fortalecimento. Para isso, continuaremos os nossos diálogos com os diversos poderes e instituições públicas e privadas para garantir que as pautas e demandas do nosso movimentem caminhem e possam gerar frutos positivos.

Na área de capacitação, buscaremos sempre trazer conhecimentos e informações atualizadas e relevantes para as cooperativas, contribuindo para o seu desenvolvimento da teoria à prática. Também vamos seguir estimulando um processo de gestão e governança cada vez mais profissional e responsável, em nível empresarial de excelência, para que as cooperativas possam fechar o ano entregando resultados positivos para os seus c

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Continua após publicidade

Fique por dentro

Vida Capixaba

Continua após publicidade