22.9 C
Vitória
sábado, 15 junho, 2024

ES: 47 produtos artesanais já podem ser vendidos em todo o país

O Espírito Santo é o segundo, dentre os demais estados brasileiros, com mais produtos certificados atrás apenas de Minas Gerais

Por Amanda Amaral 

O Espírito Santo já conta com 47 produtos artesanais de origem animal certificados pelo Selo Arte, que permite a venda em todo território nacional. O Estado é o segundo, dentre os demais entes federados, com mais produtos certificados atrás apenas de Minas Gerais, segundo o Instituto de Defesa Agropecuária e Florestal do Espírito Santo (Idaf).

- Continua após a publicidade -

Ao todo, 15 agroindústrias participam da certificação, que é concedida pelo Idaf. Para receber o selo, o empreendimento deve estar registrado no Serviço de Inspeção Municipal (SIM), no Serviço de Inspeção Estadual (SIE), no Serviço de Inspeção Agroindustrial de Pequeno Porte (SIAPP) ou no Serviço de Inspeção Federal (SIF).

Produto Artesanal

Também é necessário que o produto seja elaborado artesanalmente, a partir de técnicas predominantemente manuais. As matérias-primas utilizadas devem ser de produção própria ou de origem determinada. A fabricação deve ser individualizada e genuína, mantendo a singularidade e as características tradicionais, culturais ou regionais.

São cinco categoriais: cárneos, lácteos, pescados, ovos e produtos de abelhas e derivados. Entre os certificados estão o socol, presunto cru, copa, pernil de cordeiro, lombo defumado, mel e outros.

Produzido em Venda Nova do Imigrante, pela família da produtora rural, Thaís Zambão Falqueto, na agroindústria Tio Vé, o socol possui o primeiro o Selo Arte no Espírito Santo. A propriedade já realiza a venda do produto para diversos estados.

“Tudo começou com o meu pai que comprou um porco para o consumo da família e usou o lombo, que é a parte mais nobre do animal para fazer o primeiro socol, que é receita de família. Com o dinheiro da primeira venda do socol, ele comprou mais porcos e começou o seu negócio, que hoje é liderado por nós dois. Para mim, manter esse processo é manter a nossa história, a nossa tradição, cultura e características. Hoje o nosso socol não é só um produto, é um aperitivo fino, produzido por uma família e vendido em diversos estados, por conta do Selo Arte”, ressaltou a produtora.

Turismo Capixaba e Desenvolvimento Rural

A Instrução Normativa nº 17, que regulamenta a certificação, foi publicada em outubro do ano passado. Na última semana, foram entregues os Selos Artes nº46 e 47 para as agroindústrias Apiário Fiorin e Caprinova. Para o diretor-presidente do Idaf, Leonardo Cunha Monteiro, a concessão do Selo Arte é tida como projeto prioritário do Governo do Estado.

ES: 47 produtos artesanais já podem ser vendidos em todo o país
O diretor-presidente do Idaf, Leonardo Monteiro, entregou a certificação para o Apiário Fiorin e a Caprinova. Foto: Divulgação/Idaf

“Em menos de seis meses, o Espírito Santo se tornou o segundo Estado com a maior quantidade de produtos com Selos Artes no País, o que garante aos proprietários dos estabelecimentos o aumento da produtividade e renda. Também impacta positivamente no desenvolvimento rural e no turismo capixaba, além do fomento à economia. O produtor que deseja requerer o Selo Arte, pode procurar o Idaf, que está realizando todo o processo em tempo ágil, para beneficiar essas agroindústrias”, afirmou.

Para o secretário de Estado da Agricultura, Abastecimento, Aquicultura e Pesca, Mário Louzada, o Selo Arte, possibilita alavancar as agroindústrias do Estado. “Quando surgiu o Selo Arte, vimos que era a oportunidade que faltava para as agroindústrias crescerem ainda mais e trouxemos imediatamente para o Idaf executar, pois já realizava um trabalho excepcional com as agroindústrias de pequeno porte, por meio do Siapp e Susaf”, disse Louzada.

Com informações de Rafaely Lyra, do Idaf

Entre para nosso grupo do WhatsApp

Receba nossas últimas notícias em primeira mão.

Matérias relacionadas

Continua após a publicidade

EDIÇÃO DIGITAL

Edição 221

RÁDIO ES BRASIL

Continua após publicidade

Vida Capixaba

- Continua após a publicidade -

Política e ECONOMIA