22.7 C
Vitória
quarta-feira, 1 dezembro, 2021

Carlos Wagner Borges: “Uma Mãe Prevenida Vale Uma Vida”

Tenente-coronel do Corpo de Bombeiros do ES explica como uma ferramenta online pode ajudar os país a garantir a saúde dos filhos

Acidentes podem acontecer com qualquer pessoa. Todos nós estamos sujeitos a presenciar uma situação que nos exigirá a capacidade de prestar o correto socorro, fruto de um simples escorregão ou da curiosidade excessiva de uma criança.

Ninguém discorda que a cultura de prevenção e o aprendizado podem salvar muitas vidas, uma realidade presente no dia a dia do trabalho do Corpo de Bombeiros do Espírito Santo. E tendo essa certeza como alicerce, a instituição realizou ao longo de 2019 um intenso programa de prevenção.

Responsável por diferentes projetos nesse sentido, o tenente-coronel Carlos Wagner Borges vivenciou dentro da própria casa uma situação de emergência em que, por estar preparado, foi capaz de salvar a vida do próprio filho, de apenas 1 ano de idade. Nesta entrevista, ele conta o que tem sido feito para garantir que mais e mais vidas sejam salvas. Confira!

O que aconteceu com seu filho?

O Cadu estava aprendendo a andar e começou a brincar com a prima Thayná, de 3 anos, quando tropeçou no tapete e foi projetado com a cabeça em um móvel de vidro, suporte para a televisão. O vidro fez um corte do olho direito até o lado esquerdo da testa, e o pescoço ficou preso com o restante do vidro quase cortando a garganta. Muito sangue, porque a região afetada é muito vascularizada.

Depois dessa experiência, como surgiu o projeto “Uma Mãe Prevenida Vale Uma Vida”?

O acidente com meu filho aconteceu em 2001, quando eu era tenente. Em 2008, conversando com minha esposa, ela disse que, se eu não estivesse em casa, nosso filho teria morrido. Naquele momento, bateu uma profunda tristeza, porque sabia que, em média, 4 mil crianças morrem todos os anos vítimas de acidentes domésticos. Então minha esposa perguntou: “Por que você não cria um projeto de prevenção para que mães saibam o que fazer em situações como essa?”. Assim, em 2010, surgiu o projeto “Mãe Prevenida Vale uma Vida”, mas não tive apoio para implementá-lo. Quatro anos depois, houve o lançamento do projeto no Bairro Barramares, Vila Velha, mas faltou investimento. Finalmente, em 2019, assumiu o comando do Corpo de Bombeiros Militar o coronel Alexandre dos Santos Cerqueira, que autorizou a retomada do projeto “Mãe Prevenida Vale uma Vida”. A partir daí, com investimentos, já foram treinadas mais de 5 mil mães. A iniciativa está sendo divulgada em todo o Brasil, despertando interesse de vários estados. Essa divulgação ocorre por meio de nossa plataforma digital; basta enviar um WhatsApp para o número (27) 99664-9716, com um olá, e você passa a receber dicas de prevenção, bem como nosso guia rápido de primeiros socorros.

O aplicativo Dicas de Prevenção é apenas para mães?

Para toda a população. Além das orientações às mães, essa plataforma digital serve para orientar a comunidade em casos de eventos naturais como tempestades e possibilidade de deslizamento de terra em determinada região. É um canal de integração para que a sociedade nos ajude a proteger, cuidar e salvar vidas. Nosso desejo, com a criação desse instrumento, é termos mais proteção e menos choro.

E em que consiste o projeto Residência Segura?

Muitos acidentes ocorrem na cozinha, especialmente as queimaduras. Vimos que a população não sabe que o kit gás (mangueira e válvula reguladora de pressão) tem vencimento a cada cinco anos. Resolvemos então trocar de forma gratuita esse kit gás em áreas de risco social e baixo poder econômico, levando segurança e prevenção. Utilizamos a mídia nessa áreas para mostrar a todo o Estado que precisamos verificar a data de validade de nossos kit gás, manter nossas casas com melhor prevenção a incêndios e, assim, evitar que nossas crianças sejam vítimas de queimaduras.

Desde o início da Operação Verão 2019/20, o que se tem registrado nas praias, lagoas e rios no Estado?

As ocorrências são inúmeras, especialmente nos municípios com balneário. Desde o início da Operação Verão (até o dia 20 de janeiro), realizamos 21.549 abordagens preventivas, 396 resgastes, 68 atendimentos pré-hospitalares, 32 auxílios a embarcações. Foram registrados 336 casos de crianças perdidas, 72 afogamentos e 10 óbitos – duas pessoas no mar, quatro em lago, lagoa ou represa, três em rio e uma em cachoeira. As mortes foram registradas em Anchieta (1), Conceição da Barra (1), Fundão (1), Guarapari (1), Linhares (1), São Mateus (2), São Roque do Canaã (01) e Serra (2).

Considerando o risco maior de acidentes em rios e lagoas (por conta da densidade da massa de água), que cuidados adicionais são necessários?

• Nunca permitir que crianças entrem em ambiente de rio (existem correntezas fortes submersas que você não vê, mas que tira a vida de seu filho.
• Nunca ingerir bebida alcoólica e entrar para nadar.
• Nunca entrar sem colete salva-vidas.
• Respeitar os limites do corpo (muitos sem condicionamento físico buscam nadar de uma extremidade a outra de rios e lagos e acabam morrendo por falta de condicionamento.

No verão, o número de salva-vidas é reforçado. E após a estação, como ficam as praias do nosso litoral?

A responsabilidade de contratação dos guarda-vidas é do poder público municipal. O Corpo de Bombeiros Militar faz o treinamento e a supervisão desse serviço. O poder público municipal precisa entender que a vida é o nosso bem mais precioso e aprimorar esse serviço, principalmente na Grande Vitória, onde a população vai à praia o ano todo.

“Todos os anos, 4 mil crianças morrem vítimas de acidentes domésticos… Basta enviar um WhatsApp para (27) 99664-9716, com um olá, e você passa a receber dicas de prevenção”

Os números da criminalidade caíram. O Corpo de Bombeiros contribuiu para essa redução?

Acreditamos que sim. Em todas as nossas ações, buscamos sempre levar o cidadão capixaba ao entendimento de que a vida é o nosso bem mais precioso, mostrar que vale a pena viver. Acreditamos que a aplicação de políticas públicas com foco na sociedade, na melhoria da qualidade de vida da população, faz com que as desigualdades sejam diminuídas e assim a criminalidade, de maneira natural, tende a cair.

Além da forte relação do Corpo de Bombeiros com a missão de salvar vidas, o que mais levou à ação Travessia Pela Vida, prevista para o dia 8 de março?

A Travessia pela Vida nasceu no coração da comunidade. Igrejas, sociedade civil organizada, o povo do bem, não aguenta mais tanta violência, tanto desrespeito à vida. Buscando contribuir para a diminuição da violência em várias áreas, decidimos organizar esse evento de conscientização para que possamos viver em uma sociedade melhor. A travessia visa à prevenção à violência contra a mulher, a criança e o adolescente. E também a prestar orientações para evitar acidentes domésticos e prevenir suicídios, epidemia que mata uma pessoa a cada dois dias aqui no Espírito Santo. Prevenção a acidentes de trânsito, que têm tirado a vida de muitas pessoas por ano, e ainda um alerta sobre os índices alarmantes de afogamentos em nosso Estado.


Conhecimento salva vidas

Já se deparou com alguma situação de acidente e você não conseguir fazer nada? A primeira iniciativa é salvar a pessoa, mas é preciso conhecimento e saber como agir. Essa é a ideia do livro “Mãe prevenida vale uma vida”. Baixe o livro aqui e tenha acesso a um guia rápido de primeiros socorros”. Baixe aqui

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Continua após publicidade

Fique por dentro

Vida Capixaba

Continua após publicidade