26.9 C
Vitória
domingo, 24 outubro, 2021

Entidade capixaba que atende idosos em situação de rua ganha prêmio nacional

No dia 29 de setembro, a Sociedade Cultural e Beneficente Monsenhor Alonso, de Vitória, receberá a premiação com outros importantes trabalhos sociais no país

Por Munik Vieira

O intenso e dedicado trabalho realizado há 10 anos pela Sociedade Cultural e Beneficente Monsenhor Alonso, de Vitória, rendeu à entidade uma importante premiação nacional neste ano.

A instituição, fundada e dirigida pelo padre José Ayrola Barcellos para atender idosos moradores de rua de Vitória em situação de vulnerabilidade social, ficou entre os cinco contemplados pelo prêmio Zilda Arns de Direitos Humanos 2021.

A premiação, promovida pela Câmara dos Deputados, é um reconhecimento às instituições e personalidades que atuam na defesa e promoção dos Direitos da Pessoa Idosa. A indicação ao prêmio foi feita pela Deputada Federal Norma Ayub e a solenidade de entrega será no 29 de setembro.

Com 56 anos de sacerdócio e recordista na realização de batizados e casamentos na Grande Vitória, o Padre Ayrola comemora a conquista. “Estamos muito gratos por esse reconhecimento. Entendemos que estar presente nessa luta significa, sobretudo, trabalhar incansavelmente em defesa do direito intransmissível da população idosa que se encontra em condições de fragilidade socioeconômica”, afirmou.

Padre Ayrola. Foto: Reprodução

A instituição receberá a premiação ao lado de outros importantes nomes do trabalho social no país, como o padre Júlio Lancellotti (SP) e as Obras Sociais Irmã Dulce (BA).

A instituição

O Centro de Acolhida Monsenhor Alonso – Lar do Idoso (filial da Sociedade Cultural e Beneficente Monsenhor Alonso) foi fundado pelo Cônego José Ayrola Barcellos, que esteve há muitos anos à frente da Catedral de Vitória, com o objetivo de acolher idosos em vulnerabilidade social. A entidade tem cumprido o seu papel, desde então, sem nenhum aporte financeiro de organismos públicos, mantendo-se somente com doações de colaboradores. No entanto, devido ao advento da pandemia da Covid-19 e a escassez dos recursos, a instituição teve que recorrer às entidades governamentais para dar suporte e continuidade às atividades.

Assim que acolhidos, os idosos participam ativamente de atividades culturais e de lazer, em parceria com uma ampla equipe de voluntários que auxiliam no desenvolvimento do protagonismo, independência e autocuidado, características que, por sua vez, promovem a convivência mista dos residentes de diversos graus de dependência.

A natureza do acolhimento é de longa permanência, pois os idosos que compreendem a faixa etária acima de 60 anos institucionalizados na Sociedade se encontram em situação de vulnerabilidade social. Eles são provenientes de abrigos, casas-lares de alta complexidade ou encaminhados pelo Ministério Público ou CREAS.

Atualmente, o Centro de Acolhida Monsenhor Alonso, está em sua capacidade máxima de atendimento, prestando acolhimento a 12 idosos. Todos os acolhidos têm assistência à saúde garantida pelo SUS e pelo município de Vitória.

O prêmio

O prêmio Zilda Arns de Direitos Humanos, cujo nome se dá em nome é em homenagem a Dra. Zilda Arns Neumann, uma das fundadoras da Pastoral da Criança, foi criado em 2017 pela Câmara dos Deputados para prestar reconhecimento às pessoas e instituições que trabalham diariamente na defesa dos direitos humanos das pessoas idosas.

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Continua após publicidade

Fique por dentro

Vida Capixaba

Continua após publicidade