24.9 C
Vitória
domingo, 22 maio, 2022

Energia elétrica e passagens aéreas puxam inflação

Acumulado do IPCA nos últimos 12 meses é de 8,99%. Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

Inflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) subiu 0,96% em julho, o maior resultado para o mês desde 2002, quando a alta foi de 1,19%

por Samantha Dias 

Na Grande Vitória, o aumento da inflação em julho foi de 0,88%. O IPCA mede o reajuste nos preços para as famílias com renda entre um e 40 salários mínimos.

O acumulado do ano no ES é de 5,23%, e nos últimos doze meses, registrou variação de 9,61%, acima da média nacional. No ano, o indicador acumula alta de 4,76% no Brasil e, em 12 meses, 8,99%, ficando acima do registrado nos 12 meses imediatamente anteriores (8,35%).

Segundo o IBGE, oito dos nove grupos pesquisados apresentaram alta no mês de julho e puxam inflação, com o maior impacto vindo do aumento de 3,10% na habitação, grupo pressionado pela alta de 7,88% na energia elétrica. Ainda em Habitação, os preços do gás de botijão (4,17%) e do gás encanado (0,48%) também subiram.

Vale lembrar que a Aneel aumentou em 52% no mês passado o valor adicional da bandeira tarifária vermelha patamar 2 em todo o país.

A segunda maior variação veio do grupo Transportes (1,52%), que também puxam a inflação. As passagens aéreas aumentaram 35,22% depois da queda de 5,57% em junho. O transporte por aplicativo passou de -0,95% para 9,31% de um mês para o outro e o aluguel de veículo foi de 3,99% em junho para 9,34% em julho.

Os combustíveis aceleraram 1,24% em julho, depois de subirem 0,87% em junho. A gasolina teve alta de 1,55% no mês e acumula reajuste de 39,65% em 12 meses. O etanol caiu 0,75% no mês, mas teve aumento de 57,27% em 12 meses. O óleo diesel subiu 0,96% no mês e 36,35% em 12 meses.

Alimentos e bebidas

O grupo alimentos e bebidas subiu 0,60%, acima da taxa de junho (0,43%). O item alimentação no domicílio passou de 0,33% em junho para 0,78% em julho, puxado pela alta do tomate (18,65%), do frango em pedaços (4,28%), do leite longa vida (3,71%) e das carnes (0,77%).

“Ao longo dos últimos 12 meses tivemos uma alta nos combustíveis e na energia elétrica, itens que pesam bastante no orçamento das famílias. A gasolina é o item com maior peso no IPCA. As carnes também, todos esses fatores contribuíram para esse aumento”, explicou o analista da pesquisa, André Almeida.

O único grupo que teve queda nos preços em julho foi o de saúde e cuidados pessoais. Ficou 0,65% mais barato com a redução dos preços dos planos de saúde (-1,36%), após a autorização da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) do reajuste negativo de -8,19%, justificada pela diminuição da utilização de serviços de saúde suplementar durante a pandemia.

Com informações da Agência Brasil 

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Continua após publicidade

Fique por dentro

Vida Capixaba

Continua após publicidade