23.3 C
Vitória
domingo, 14 DE julho DE 2024

Eletrobras e Suzano juntas na produção de hidrogênio verde e combustíveis sintéticos

O acordo em torno do uso de matérias-primas renováveis prevê a evolução de estudos conjuntos para a produção de hidrogênio renovável e combustíveis sintéticos sustentáveis

Por Redação

A Eletrobras, maior empresa de energia elétrica da América Latina, e a Suzano, maior produtora mundial de celulose, firmaram parceria para o desenvolvimento de soluções sustentáveis a partir do aproveitamento de CO2 biogênico gerado em Unidade de Produção da Suzano. O acordo em torno do uso de matérias-primas renováveis prevê a evolução de estudos conjuntos para a produção de hidrogênio renovável e combustíveis sintéticos, visando, por exemplo, a substituição de combustíveis fósseis em diversos modais logísticos.

- Continua após a publicidade -

“Esse acordo estabelece a base para o desenvolvimento de uma cooperação estratégica, com ênfase na produção de combustíveis sustentáveis, e visa atender à crescente demanda por hidrogênio de baixo carbono e derivados no mercado nacional e internacional”, afirma o vice-presidente de Comercialização e Soluções em Energia da Eletrobras, Ítalo Freitas.

As discussões entre Eletrobras e Suzano para a assinatura do memorando de entendimento tiveram início no segundo semestre de 2023. A evolução das pesquisas estabelecerá a viabilidade técnica e econômica para a construção de uma unidade de produção de combustíveis sintéticos.

“Pretendemos avançar nos estudos em parceria com a Eletrobras para reforçar o diferencial competitivo do Brasil na bioeconomia mundial. A produção de e-metanol, um combustível proveniente de insumos renováveis como o CO2 biogênico e hidrogênio de baixo carbono, e que é um dos candidatos mais prováveis para substituir combustíveis fósseis na indústria marítima, por exemplo, contribuiria expressivamente para a transição energética e descarbonização global”, diz o Diretor de Energia da Suzano, Paulo Squariz.

A produção de combustíveis sintéticos a partir de CO2 biogênico e hidrogênio renovável é uma rota que apresenta demanda potencial e escalabilidade. O CO2 biogênico gerado a partir da queima de biomassa e licor negro provenientes do processo de produção de celulose nas fábricas da Suzano pode ser capturado e misturado com o hidrogênio renovável, gerado a partir da eletrólise da água, para produzir combustível sintético e limpo, em especial o e-metanol.

Parceria

A parceria reafirma o compromisso da Eletrobras com a transição energética, com o desenvolvimento sustentável, com a inovação e a excelência. Além do acordo com a Suzano, a Eletrobras formalizou recentemente memorandos de entendimento com outras empresas e com governos estaduais para a produção de hidrogênio renovável no Brasil.

A Suzano, por sua vez, tem forte atuação no mercado de energia verde e é referência global na fabricação de bioprodutos desenvolvidos a partir do eucalipto. Das árvores plantadas para fins industriais, além da liderança em celulose, papel e embalagens e bens de consumo, a companhia já produz lignina, celulose microfibrilada (MFC) e outros materiais utilizados na fabricação de itens como fios têxteis, borracha e insumos químicos.

Na geração de energia verde, a companhia se destaca por ser uma das maiores produtoras de energia proveniente de biomassa do Brasil. Atualmente, a capacidade instalada de geração de energia da Suzano totaliza 1,3 gigawatts, número que saltará para aproximadamente 1,7 gigawatts quando entrar em plena operação o Projeto Cerrado, uma nova fábrica de celulose em construção no município de Ribas do Rio Pardo (MS).

Entre para nosso grupo do WhatsApp

Receba nossas últimas notícias em primeira mão.

Matérias relacionadas

Continua após a publicidade

EDIÇÃO DIGITAL

Edição 222

RÁDIO ES BRASIL

Continua após publicidade

Vida Capixaba

- Continua após a publicidade -

Política e ECONOMIA