23 C
Vitória
sábado, 27 fevereiro, 2021

Auxílio emergencial elevou em 24% renda pré-pandemia, mostra pesquisa

Segundo estudo, dado destaca a pobreza e a desigualdade do país. Saiba mais!

As pessoas que recebem o auxílio emergencial, pago pelo governo federal durante a pandemia de covid-19, tiveram seus rendimento aumentados em 24% em relação ao que recebiam usualmente antes da pandemia. Os dados, divulgados hoje (30), são do Centro de Estudos em Microfinanças e Inclusão Financeira da Fundação Getulio Vargas (FGV).

O impacto do auxílio emergencial é maior no caso dos empregados informais, cuja elevação de renda proporcionada pelo auxílio chegou a 50%, passando de uma média de R$ 1.344 (pré-pandemia) para R$ 2.016.

“Para aqueles que receberam o auxílio emergencial, o acréscimo de renda mais do que compensou, pelo menos até o momento, as perdas de renda derivadas da crise. Isso não significa que o auxílio emergencial seja excessivo, mas sim que o nível de pobreza e desigualdade do Brasil é muito alto”, destaca o texto do estudo.

O levantamento mostra que alguns profissionais foram mais afetados pela pandemia, como cabeleireiros e manicure, que perderam, sem levar em conta o auxílio emergencial, 42% da renda usual. Vendedor ambulante (-38%), motorista (-36%), vendedor a domicílio (-33%), e artesão, costureiro e sapateiro (-33%), também tiveram quedas acentuadas em seus rendimentos.

De acordo com o estudo, o auxílio emergencial já foi pago a cerca de 64 milhões de brasileiros, de um total de 104 milhões de solicitações. “O número de pessoas que solicitaram o auxílio mostra que o volume de recursos do Bolsa Família pode não ser suficiente. Existe uma parcela da população que é bastante vulnerável, que não está sendo atendida”, destacou o coordenador do Centro de Estudos em Microfinanças e Inclusão Financeira da FGV, e um dos autores do estudo, Lauro Gonzalez.

“São pessoas que não são pobres suficientemente para estarem no Bolsa Família, mas que são pobres também, estão sujeitas aos efeitos negativos de choques, como esse que a gente teve na pandemia. Um mecanismo mais adequado [para corrigir isso] seria alguma coisa na linha de uma renda básica, abrangendo um número maior de pessoas”, acrescentou.

O levantamento foi feito com dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) Covid-19 realizada em junho de 2020 pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Benefício

O benefício foi criado pelo governo federal para tentar reduzir os efeitos negativos na economia causados pela pandemia novo coronavírus, que obrigou o mundo a suspender diversos setores da atividade econômica. O auxílio é destinado a trabalhadores informais, microempreendedores individuais (MEIs), autônomos, desempregados e famílias integrantes do programa Bolsa Família. A parcela é R$ 600 ou de R$ 1,2 mil, para mães solteiras.

*Da Redação, com informações da Agência Brasil.

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Banco Central aprova indicação de novo presidente do Bandes

Munir Abud assume o Bandes com o objetivo de ampliar e atualizar os produtos e serviços oferecidos para as empresas de todos os portes do Espírito Santo

Baixe o programa de declaração do Imposto de Renda 2021

O período de envio das informações à Receita Federal começa na próxima segunda-feira (1º) e segue até 30 de abril.

Bolsonaro diz que há muita coisa errada na Petrobras e que Silva e Luna arrumará

O chefe do Executivo afirmou que o "novo presidente", o seu indicado para a presidência da empresa, general Joaquim Silva e Luna, irá dar...

Nova Lei de Falências: facilidades para recuperação judicial e otimismo para a economia

A novidade surge como alternativa para ajudar também empresários capixabas

2020: um ano perdido?

Um período que será estudado nos livros de história. O ano em que caímos e nos fizemos mais fortes em meio à crise e...

Guedes diz que ‘cartão vermelho’ de Bolsonaro não foi direcionado a ele

O ministro lembrou que, desde início, o presidente disse que não queria consolidar programas sociais para criar o Renda Brasil, e que foi uma decisão política

ES Brasil Digital

ESBrasil-185
Continua após publicidade

Fique por dentro

Desemprego em 2020 é o maior registrado desde 2012 no Brasil

Informações do IBGE mostram que taxa de desocupação média no ano passado representa 13,4 milhões de pessoas sem trabalho.

Banco Central aprova indicação de novo presidente do Bandes

Munir Abud assume o Bandes com o objetivo de ampliar e atualizar os produtos e serviços oferecidos para as empresas de todos os portes do Espírito Santo

Caixa lança cartão Elo Diners Club com benefícios e pontuação

  A empresa oferece isenção na primeira anuidade para os clientes que contratarem o serviço nos três primeiros meses do lançamento Por Luísa Laval (AE) A Caixa...

Lira diz que PEC não é salvo-conduto para parlamentares cometerem crimes

O Congresso erra quando não se posiciona e não esclarece os fatos Por Thiago Faria, Elizabeth Lopes e Sofia Aguiar (AE) O presidente da Câmara dos...

Vida Capixaba

Setor Multimídia da Biblioteca Pública do Espírito Santo oferece cursos gratuitos

As inscrições já estão abertas e seguem até o dia 25 de março

Expo Condomínio Completo apresenta protocolos sanitários e de biossegurança

Desde novembro de 2020, grandes eventos já vêm acontecendo no Espírito Santo

COVID-19: Quais as consequências para quem optar por não tomar a vacina?

Desde que foi anunciado o início da vacinação contra a COVID-19, capixabas passaram a se dividir em dois grupos. Os que querem e os que não querem

Cooabriel participa de reunião com OCB, Mapa e Banco Central

A Cooabriel participou, com mais duas cooperativas capixabas do Ramo Agropecuário, de uma reunião no dia 18 de fevereiro com a ministra da Agricultura, Tereza Cristina, e o presidente do Banco Central, Roberto Campos
Continua após publicidade