Donald Trump absolvido pelo Senado

donald-trump
Donald Trump celebra sua absolvição e garante reeleição ao cargo de presidente. - Foto: Reuteurs

Trump foi absolvido do processo de impeachment por abuso de poder e obstrução do Congresso

As denúncias contra o presidente Donald Trump foram julgadas improcedentes pelo Senado. Nessa quarta-feira (05), o líder norte-americano foi absolvido do processo de impeachment por conta das acusações de abuso de poder e obstrução do Congresso.

As votações foram feitas separadamente. A primeira, referente ao abuso de poder, 48 senadores votaram a favor da condenação e 52 votaram pela absolvição. O senador pelo estado de Utah e correligionário do presidente, Mitt Romney, votou à favor da condenação de Trump surpreendendo a todos.

Durante seu discurso, Romney disse que o povo de sua cidade poderia ficar contra ele, mas que essa era a melhor decisão. “Meu veredito não removerá o presidente de seu cargo, mas haverá uma instância superior a esse julgamento: a decisão do povo americano. Os eleitores farão a decisão final”, disse ele.

Essa decisão fez com que ele entrasse para a história como o primeiro senador a votar pelo impeachment de um presidente do mesmo partido.

Já o artigo que trata de obstrução do congresso, 47 senadores votaram pela condenação (todos do partido democrata) e 53 votaram pela absolvição. Para que Trump fosse retirado do cargo eram necessários pelo menos 67 dos 100 votos da casa.

Denúncia

Todo o processo começou a partir de contatos que o presidente norte-americano teve com o presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, ao solicitar uma investigação sobre Hunter Biden, filho de seu possível rival político na corrida presidencial de 2020. Na época, Joe Biden era vice-presidente durante a administração de Barack Obama, e responsável por fazer acordos com a Ucrânia.

A suspeita de Trump era que Hunter Biden recebia valores exorbitantes por conta de relações com a Ucrânia, por meio de uma suposta rede de favorecimento criada durante o mandato de Joe Biden.

Desta forma, se o presidente ucraniano fizesse a “troca de favores”, Trump estaria condicionado à liberação de uma verba de ajuda militar de US$ 400 milhões.

Impeachment

A proposta de impeachment foi aberto na Câmara de Deputados americana, que é de maioria democrata – o partido opositor ao de Trump – no dia 18 de dezembro de 2019. Durante o processo, 13 testemunhas foram chamadas, 17 depoimentos foram colhidos, mais de 180 perguntas foram feitas e 193 vídeos foram usados para o julgamento. O processo gerou mais de 28 mil páginas de documentos.

Reeleição

Por meio das mídias sociais, Trump se manifestou com um vídeo em que mostra que será presidente “para sempre’. O presidente norte-americano também é cotado para ser a escolha do Partido Republicano para as eleições de 2020, apesar do anúncio oficial ainda não ter sido feito.