25.5 C
Vitória
segunda-feira, 17 janeiro, 2022

Dia Mundial de Luta contra a Aids: mais solidariedade, menos preconceito

No estado, no ano de 2019 foram notificados 1.195 casos novos de HIV/Aids. Destes, 911 eram do sexo masculino

Por Wesley Ribeiro 

Dezembro começa com uma data importante, o Dia Internacional de Luta contra a AIDS. A ideia de uma data para chamar a atenção da comunidade internacional sobre as medidas de prevenção e tratamento da doença, assim como o de reforçar a solidariedade e combater o estigma e a discriminação em relação às pessoas que vivem com o vírus HIV surgiu em 1987.

Durante a Assembleia Mundial de Saúde, com o apoio da Organização das Nações Unidas (ONU), ficou decidido que este dia seria 1º de dezembro. A conscientização é uma poderosa ferramenta contra a Aids e contra o preconceito. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), cerca de 37,7 milhões de pessoas conviviam com o HIV no final de 2020, mais de dois terços delas na África.

A UNAids, programa de combate ao HIV e à aids, da Organização das Nações Unidas (ONU) sediado em Genebra, afirmou na segunda-feira que a pandemia de covid-19 está minando a reação à aids em muitos locais, e que os serviços para pessoas que usam remédios contra HIV sofreram transtornos em 65% dos 130 países pesquisados.

No Espírito Santo

No estado, no ano de 2019 foram notificados 1.195 casos novos de HIV/Aids, com taxa de incidência de 29,9 casos de HIV para cada 100.000 habitantes. Destes, 911 eram do sexo masculino (76,3%) e 284 do sexo feminino (23,7%), demonstrando uma razão de sexo de 3,2 homens para cada mulher infectada.

A principal forma de transmissão do vírus foi por relações sexuais (99%) no ano de 2019. O maior aumento de casos novos em 2019 ocorreu entre pessoas do sexo masculino, na faixa etária de 20 a 39 anos (603 casos), com 24% de aumento comparado ao ano de 2014 (485 casos).

Mas o que é AIDS?

A Síndrome da Imunodeficiência Adquirida (AIDS) é causada pelo vírus da Imunodeficiência Humana (HIV). O HIV é um vírus que se instala no corpo humano de tal forma que ele não consegue se livrar, obrigando a pessoa a conviver para sempre com ele.

Transmitido pelo contato com sangue, sêmen ou fluidos vaginais infectados, o HIV afeta especificamente as células do sistema imunológico, que sem o tratamento antirretroviral (TARV) torna o organismo, ao longo do tempo, incapaz de lutar contra infecções (AIDS).

Muitas pessoas que estão infectadas com o HIV não têm nenhum sintoma durante 10 anos ou mais, por essa razão, a única forma de saber se a pessoa está infectada com o vírus é por meio do teste e, caso a pessoa tenha sido exposta a uma situação de risco é recomendado solicitá-lo.

A única forma de prolongar a vida das pessoas infectadas pelo HIV é com o tratamento antirretroviral, pois até o momento, não há previsões de cura.

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Continua após publicidade

Fique por dentro

Vida Capixaba

Continua após publicidade