23.3 C
Vitória
terça-feira, 16 abril, 2024

Clima quente e umidade fazem a dengue avançar no Espírito Santo durante o verão

Porém, segundo o último boletim epidemiológico da Secretaria da Saúde, o número de casos registrados por semana já diminuiu desde o início de 2018.

As chuvas de verão, o calor e a negligência formam a receita ideal para a infestação de doenças transmitidas pelo Aedes aegypti. Nos primeiros 42 dias do ano epidemiológico, a Secretaria Estadual de Saúde contabilizou, no Espírito Santo, 964 casos de infecção causada pelo mosquito.

O período em que foram coletadas as informações é entre 31 de dezembro de 2017 e 10 de fevereiro de 2018. A grande maioria dos casos que foram registrados é de pessoas que contraíram dengue (859 casos). Na mesma época, foram 32 situações de infecção pelo zika vírus, além de 73 incidências da febre chikungunya.

- Continua após a publicidade -

Apesar do número alto, o número de casos, principalmente os de dengue, caiu no levantamento da última semana consultada. Saindo de 155 notificações até 6 de janeiro, os registros de dengue foram os mais altos de 7 a 13 do mesmo mês, com 194 ocorrências. Uma quantidade bem inferior foi divulgada para o período entre 4 e 10 de fevereiro, com apenas 38 casos.

Número de casos por semana epidemiológica

A Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) divulga toda semana o boletim epidemiológico de dengue, zika e chikungunya. Confira a tabela com a indicação das notificações em números absolutos por semana epidemiológica.

 

  Semana epidemiológica Notificações
1 31/12/2017 – 06/01/2018 155
2 07/01 – 13/01 194
3 14/01 – 20/01 187
4 21/01 – 27/01 178
5 28/01 – 03/02 107
6 04/02 – 10/02 38
Total acumulado 859

Fonte: Secretaria de Estado da Saúde

Ano passado

Só em 2017, a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) registrou 13.657 casos de dengue, zika e chikungunya no território capixaba. A maior incidência foi da dengue, que atingiu mais de 11 mil pessoas entre 1º de janeiro e 30 de dezembro do ano passado. Outra doença transmitida pelo mosquito Aedes aegypti é a febre amarela, que levou 100 pessoas a óbito no Espírito Santo em 2017.

O governo estadual confirmou 330 casos da variedade silvestre da doença. Porém, ainda não houve novos registros este ano, apesar dos diversos casos divulgados que foram identificados em estados como São Paulo e Rio de Janeiro.

Entre para nosso grupo do WhatsApp

Receba nossas últimas notícias em primeira mão.

Matérias relacionadas

Continua após a publicidade

EDIÇÃO DIGITAL

Edição 220

RÁDIO ES BRASIL

Continua após publicidade

Vida Capixaba

- Continua após a publicidade -

Política e ECONOMIA