E quando a decisão for vender a empresa familiar?

Uma decisão estratégica que em certos momentos se apresenta à família é: manter ou vender o negócio familiar?

Ao se verem diante de conflitos familiares, falta de preparo, vocação ou interesse da nova geração, ou mesmo de condições adversas do mercado, muitas famílias falam em se desfazer de suas empresas.

Embora a venda seja uma possibilidade a ser considerada, trata-se de decisão que deve ser muito amadurecida, após esgotadas todas as alternativas, tais como o auxílio de profissionais na reconstrução da coesão familiar, a injeção de mais capital pelos sócios, a negociação da saída de um ou de mais sócios, a entrada de novos sócios.

É importante considerar, também, que a venda de uma empresa não é simples e leva tempo. Normalmente, ela se desdobra em duas fases: a preparação e o processo de venda.

Uma fase de preparação bem estruturada leva, em média, um ano, e nela devem-se considerar as seguintes etapas:

1) determinação do timing ideal para acessar o mercado. Entenda que não basta querer vender; o mercado precisa estar minimamente receptivo, para que a venda se concretize;

2) Determinação dos principais drivers de valor, ou seja, identificar os principais indicadores responsáveis pela geração de valor da empresa e medi-los;

3) Estruturação de um plano de sucessão da gestão. A transição da gestão é um movimento crucial para o sucesso da empresa, após a venda. Ter um plano estruturado de sucessão da gestão é um elemento que valoriza o negócio;

4) Produção de informações contábeis fidedignas, de preferência auditadas;

5) Montagem do time de M&A, destacando-se o banco ou boutique de fusões e aquisições, os advogados e a empresa especializada em valuation;

6) Construção de um plano para a família após a venda.

Passada a preparação, começa o processo de venda propriamente dito, que envolve:

1) A montagem do data room, isto é, a reunião e consolidação de todas as informações sobre a empresa necessárias à análise pelos potenciais compradores;

2) A abordagem a potenciais interessados;

3) A negociação das condições e termos do negócio e

4) O fechamento da operação, com a assinatura do contrato de compra e venda e a troca do controle.

Essas são algumas ideias de como conduzir a venda do negócio, mas lembre-se que a venda é uma solução apenas depois de exauridas todas as alternativas de ação para a manutenção do negócio no núcleo familiar.


Leia mais

EMPRESAS FAMILIARES BEM-SUCEDIDAS
CULTURA FAMILIAR

Conteúdo Publicitário