23.8 C
Vitória
domingo, 27 setembro, 2020

Crise acelera processo de digitalização do mercado imobiliário

Mais Artigos

Eleições Municipais: Vereadores e Prefeitos

É fundamental, nas eleições, escolher e votar em candidatos que estejam comprometidos com nossas cidades

O boom no turismo regional no mundo pós-pandemia do coronavírus

Estratégias para diferenciação e melhor aproveitamento da imensa demanda por hotéis e pousadas

Cuidado com a imagem da sua empresa!

Uma organização, pequena ou grande, está baseada primordialmente naquilo que é o seu objetivo

Economia brasileira: vítima dos personalismos de governo

É lamentável ter que testemunhar episódios como o da criação do TRF-6 Por Arilda Teixeira Aqueles que acreditam que a combinação de república democrática com economia...

Segundo pesquisa da Sociedade Brasileira de Varejo e Consumo (SBVC), 52% dos entrevistados estão comprando mais em sites e aplicativos durante a quarentena

A pandemia da Covid-19 tem provocado mudanças profundas na sociedade. E sempre que há transformações no comportamento humano, as empresas também são, naturalmente, instigadas a se reinventarem. Elas precisam estar alinhadas à nova forma dos seus clientes pensarem, sentirem, agirem, consumirem e se relacionarem entre si e com suas marcas.

No caso do mercado imobiliário, este cenário deflagrou a urgente necessidade de aceleração do processo de digitalização do setor. Mais do que nunca, o consumidor está ainda mais aberto para viver e aprofundar suas experiências de consumo pela internet.

Segundo pesquisa da Sociedade Brasileira de Varejo e Consumo (SBVC), 52% dos entrevistados estão comprando mais em sites e aplicativos durante a quarentena. No entanto, o dado relevante desse estudo é o fato de que 70% desses entrevistados manifestaram interesse em continuar comprando mais online do que faziam antes.

Um levantamento do Grupo Zap, realizado apenas com pessoas interessadas em imóveis, mostrou que 38% dos entrevistados desejam visitas transmitidas por ferramentas de vídeo e 37% gostariam de fazer um tour 360º no imóvel ofertado. Porém, de acordo com a pesquisa, o percentual de empresas que oferecem essas soluções está abaixo da demanda.

Ao que tudo indica, o ambiente virtual passou a ser o real, suprindo quase completamente a necessidade de se estar in loco em bancos, supermercados e até mesmo em imobiliárias. Se após a pandemia, o mundo voltará a ser como era antes, é difícil prever. O que sabemos de concreto é que a crise ocasionada pela Covid-19 deixará como legado um ambiente de negócio mais híbrido, onde os mundos on-line e off-line se complementarão, possibilitando que soluções digitais sejam cada vez mais naturalizadas e percebidas pelos consumidores como uma vantagem, um recurso facilitador do seu dia a dia.

O mercado imobiliário já caminhava em direção a este futuro, mas teve seus passos alargados com a pandemia do Novo Coronavírus. O que era, até então, desenvolvido de forma experimental nas empresas, agora se tornou parte de sua estratégia de sobrevivência no mundo dos negócios. De uma hora para outra, toda a indústria imobiliária, sobretudo o segmento de intermediação de compra, venda e locação, teve suas operações fortemente impactadas pela restrição do contato pessoal com clientes. Impactos estes que mudarão de forma permanente e positiva a relação do cliente com o segmento.

O desafio agora é oferecer um ambiente virtual inovador que permita ao consumidor tomar sua decisão de compra ou locação com a mesma clareza e eficiência oferecida no atendimento presencial. É necessário consolidar essa transformação digital, construindo ferramentas inteligentes que permitam, não só apresentar produtos e serviços, como também aperfeiçoar a gestão burocrática dos contratos.

Um dos entraves já superados pelo o setor é a escrituração de imóveis. Por força da pandemia, o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) permitiu o registro do imóvel on-line. Aqui no Espírito Santo, o serviço já tem sido prestado pelos cartórios. Este novo momento também imporá aos bancos um franco processo de digitalização dos requerimentos de análise, liberação e financiamento imobiliário.

As empresas que aproveitarem esse momento para buscar novas soluções sairão um passo à frente para superação da crise e, consequentemente, vão inaugurar uma nova era de consumo. Neste novo cenário, que fique claro, será imprescindível a presença humana e a qualificação da mão de obra. São as pessoas que estarão por trás das máquinas oferecendo todo o suporte necessário para garantir o êxito das transações imobiliárias. A Ademi-ES não tem medido esforços para contribuir e difundir boas práticas entre as empresas associadas.

Sandro Carlesso é presidente da Associação de Empresas do Mercado Imobiliário do Espírito Santo (Ademi-ES).

ES Brasil Digital

Continua após publicidade

Fique por dentro

Agências da Caixa não abrem neste sábado

Diferentemente das últimas três semanas, as agências da Caixa Econômica Federal não abrirão neste sábado (26) para saques do auxílio emergencial e do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS).

Economia: pedidos de seguro-desemprego caem 11,6% na 1ª quinzena de setembro

O custo de cada parcela adicional é estimado em R$ 8,35 bilhões, segundo cálculos da equipe econômica obtidos pelo Broadcast

‘Vamos fazer programa de substituição tributária’, diz Guedes

Ricardo Barros (PP-PR), afirmou ainda que não haverá aumento de carga tributária na proposta de reforma que o governo construirá

Conab avalia que Brasil terá segunda maior safra de café em 2020

O 3º Levantamento da Safra 2020 de Café, divulgado hoje (22), em Brasília, pela Companhia Nacional do Abastecimento (Conab), foi estimado em 61,6 milhões...

Vida Capixaba

Doenças tireoidianas no idoso e a associação entre Covid-19 e a tireoide fazem parte de evento científico

De 30 a 31 de outubro ocorrerá o 19º Encontro Brasileiro de Tireoide (EBT), pela primeira vez online, em razão da pandemia da covid-19....

Cirurgia inédita no Estado para tratar tumores de pulmão

O procedimento é inovador! Chamado de lobectomia uniportal por vídeo, o procedimento será realizado no dia 26 de setembro. 

Farol Santa Luzia e Igreja do Rosário são reabertos com novas regras de visitação

A reabertura dos pontos turísticos capixabas acontece aos poucos e na última quarta feira (23) mais dois, localizados em Vila Velha, reabriram para visitação depois de ficarem fechados por meses, em consequência da pandemia do novo Coronavírus.

Difícil controlar o estresse na pandemia?

Na semana em que se comemora o dia Dia Mundial de Combate ao Estresse (23) resultados de estudos comprovam que nos últimos seis meses, devido à pandemia do COVID, a demanda por medicamentos para estresse, depressão e insônia, aumentou.