23.8 C
Vitória
sexta-feira, 3 dezembro, 2021

Criança realiza sonho de ‘trabalhar’ como gari em Vitória

Momento fofura do dia! O pequeno Bryan Fellype, de seis anos, realizou o sonho de ‘trabalhar’ com os coletores de lixo que atuam na região de Resistência, em Vitória

Por Munik Vieira

“Eles são coletores, meus amigos”, disse Bryan aos profissionais. A admiração era tanta, que a equipe da Central de Serviços decidiu, forma inédita, homenageá-lo e entregar um uniforme igual ao da equipe para o garoto.

Bryan e o amor pelos garis

Coletores de lixo e Bryan. Foto: Divulgação Central de Serviços

Bryan, que é uma criança com autismo, criou sua própria rotina de ir até a varanda da casa, todos os dias, aguardar a chegada do caminhão da coleta domiciliar, feita pela Prefeitura de Vitória. Do alto da sacada, o pequeno saúda os coletores: “Amigo! Amigo! Meu amigo. Motorista! Oi, amigão!”, fala que Bryan fez questão de repetir na manhã dessa quinta-feira (14), ao receber o uniforme e conhecer de perto o caminhão dos coletores – Gabriel Luiz, Bruno de Jesus, John Wesley Robson Canuto e Eduardo Pereira, o motorista.

Alegre e visivelmente emocionada, a família do menino Bryan contou como nasceu essa história de amor por esses coletores. “Desde os três anos de idade, o Bryan demonstrava admiração pelos garis (sic) ops! coletores”, disse Liliane Alice dos Santos de Almeida, a mãe da criança. Mas, nos últimos tempos quando viemos morar aqui, em Vitória, no bairro Alto Resistência, é que criou essa ligação de amor e amizade”, contou.

Segundo a tia do menino, Larissa dos Santos Almeida, é só ouvir o barulho do caminhão que ele sai correndo para ver os amigos.

“Acho que, como aqui em Vitória existe uma rotina, o caminhão passa todos os dias entre 9h30 e 10 horas, ele já sabe. Então, ele acorda e vai correndo esperar na varanda. Os coletores são amorosos com ele, são comunicativos, cumprimentam e brincam. Acho que foi assim que ele pegou amor pelos coletores”, disse acreditar a avó Sirleide Jesus dos Santos Almeida. Dona Sirleide chegou a dizer que entre brincar no parque e correr atrás do caminhão junto com os amigos coletores, sem dúvidas, o Bryan escolhe ficar com os amigos da coleta domiciliar.

Para os coletores, a declaração de amor e admiração do Bryan pela equipe e pela profissão que realizam é muito gratificante. “Toda vez que alguma pessoa nos enxerga com respeito e nos reconhece como profissionais, trabalhadores nos faz bem. Agora, vindo de uma criança é muito mais impactante e importante. Eu tenho orgulho do meu trabalho”, comentou o motorista, Eduardo Pereira, que há sete anos atua na profissão, o mais antigo na equipe.

O secretário da Central de Serviços, secretaria responsável pelos serviços de limpeza e manutenção da cidade, Leonardo Amorim, disse que a história do menino Bryan traz ainda mais responsabilidade para a secretaria. “Percebemos que nosso trabalho é ainda mais gigante. Nosso papel vai além de manter a cidade limpa e organizada. Estamos construindo história, relações de gratidão, de respeito ao próximo e inspirando novas gerações”, comentou Amorim.

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Continua após publicidade

Fique por dentro

Vida Capixaba

Continua após publicidade