16.7 C
Vitória
sexta-feira, 29 maio, 2020

Covid 19: Como ficam as mensalidades escolares?

Leia Também

Como montar um cantinho lúdico e organizado para as crianças

Com as crianças em casa em tempo integral, as famílias se deparam com o desafio de manter a rotina de atividades escolares e brincadeiras.

Governo e instituições firmam parceria e restauram 20 respiradores

Os respiradores consertados serão levados às unidades hospitalares de referência no tratamento da Covid-19. Segundo o governo do Estado, a restauração dos equipamentos não gerou custos administrativos.

Maia diz que auxílio emergencial deve ser prorrogado, mas teme redução de valor

O presidente da Câmara dos Deputados afirmou que há um embate explícito dentro do governo, e do próprio Parlamento, entre priorizar investimentos públicos e privados.

Orquestra Sinfônica Sul Espírito Santo realizará apresentações on-line

A primeira apresentação da série "[email protected] Sinfônica In Live", será na próxima quinta-feira (04), a partir das 20h, pelas mídias sociais do projeto social Casa Verde.

A suspensão das aulas, como medida de contenção da disseminação do coronavírus, vêm afetando várias relações contratuais, como é o caso da prestação de serviços educacionais, das instituições de ensino privado.

Muitos pais têm questionado sobre o que fazer diante deste cenário e da obrigação contratual do pagamento das mensalidades. “Devo continuar pagando as mensalidades?” “Posso pedir a devolução do valor pago?” “A escola pode reduzir os valores, suspender as cobranças?”

O momento de incerteza que vivemos traz muitas dúvidas, tanto para os contratantes do serviço de prestação de ensino, como para os contratados prestadores.

Diante desta situação, a negociação é medida sensata e obrigatória! É chegado o momento de pais e escolas empenharem seus esforços para um acordo equilibrado, com base no princípio da solidariedade social e da cooperação mútua, mandamentos constitucionais que incidem tanto nas relações de consumo como nas privadas.

Estamos diante de um motivo de força maior, que contratante e contratado não deram causa, mas que infelizmente, está refletindo na vida de todos.

É fato notório que muitos pais que são profissionais liberais estão sem rendimento ou tiveram seus salários reduzidos por trabalharem na iniciativa privada, refletindo diretamente no orçamento familiar, e manter as mensalidades escolares nos moldes contratados gera um cumprimento excessivamente oneroso nesse contexto extraordinário.

Ocorre que a pandemia não autoriza que o contratante suspenda o pagamento das suas obrigações. Não existe norma que autorize essa sustação no Código Civil, tampouco no Código do Consumidor. Não há essa opção!

Por outro lado, a instituição de ensino encontra-se tolhida do cumprimento contratual, por uma questão de proteção à saúde pública, mas continua com seus encargos e obrigações, principalmente no que tange ao pagamento dos salários dos professores.

As escolas têm se esforçado para minimizar os prejuízos, com o ajuste do calendário escolar, a proposição da reposição das aulas em período de férias, o oferecendo  algumas atividades online e aulas a distância, entretanto, não estão conseguindo cumprir os conteúdos e a carga horária de acordo com os mandamentos do Ministério da Educação.

Assim, visando minimizar o impacto econômico-financeiro que o covid-19 têm provocado na vida de todos nós, é importante que se esgotem as tentativas de negociação.

A parte que se furtar a negociação estará descumprindo com o princípio da boa-fé objetiva que é o ponto de equilíbrio nas relações de consumo.

Se não houver solução negociada, há a possibilidade de se requerer judicialmente a revisão do contrato, onde cada caso concreto será apreciado à luz da nossa legislação.

É importante dizer, que aquele que têm condições de manter o pagamento regular das mensalidades escolares, o faça, cumprindo assim o seu papel social de cidadão responsável, com a lealdade e a cooperação contratual que dele se espera.

Essa tempestade vai passar, e nós necessitamos preservar o vínculo contratual para depois da crise. Pense nisso!

Liliana Vicente Chaia
Advogada, Professora e especialista em Direito Civil e Processo Civil

Continua após a publicidade

ES Brasil Digital

esbrasil_176
Continua após publicidade

Fique por dentro

Pesquisa revela que empresas capixabas de TI apostam na superação da crise causada pela pandemia

O foco foi identificar as principais dificuldades, sugestões e expectativas diante os desafios que a pandemia, provocada pela Covid-19, impôs ao mercado de tecnologia do Espírito Santo.

Marcos Troyjo é eleito presidente do Banco do Brics

Troyjo sucederá o indiano Kundapur Vaman Kamath, primeiro a comandar o NDB, criado na reunião de cúpula do Brics de Fortaleza, em 2014

Aneel tenta reduzir reajustes tarifários para ex-distribuidoras da Eletrobras

Os contratos de concessão dessas distribuidoras, que foram vendidas em leilões realizados há dois anos, previa a possibilidade de que os novos operadores pedissem Revisão Tarifária Extraordinária (RTE) para reconhecer os investimentos realizados na área de atuação das empresas

Com crise, mercado financeiro projeta rombo fiscal recorde este ano

Dados divulgados nesta segunda-feira, 25, pelo Banco Central mostram que a expectativa de déficit primário do setor público para o ano subiu de 7,80% para 8,00% do Produto Interno Bruto (PIB).

Vida Capixaba

Golden Tulip Porto Vitória inaugura espaço exclusivo para lives

O objetivo é disponibilizar infraestrutura tecnológica de ponta para encontros virtuais, como shows e transmissões corporativas, além de ensaios de grupos musicais. 

“Blitz do Bem” entrega kits de limpeza e máscaras, na Serra

Nesta quarta-feira (27), uma equipe do Departamento de Operações de Trânsito (DOT), em parceria com a Guarda Civil Municipal e a Secretaria de Saúde do município, distribuiu kits de limpeza e máscaras de proteção.

Observatório online ajuda a fortalecer a gastronomia regional

Com coordenação e execução da instituição, o Observatório busca realizar ações de pesquisa e de documentação sobre as cadeias produtivas, os sistemas alimentares, e demais temas referentes à culinária.

Robô virtual de Vila Velha oferta cursos gratuitos pelo Whatsapp

O primeiro curso divulgado é o “Empreenda Vila Velha Digital”, desenvolvido pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico (Semdec).
Continua após publicidade