22.7 C
Vitória
quinta-feira, 6 agosto, 2020

Cooperativismo avança na contramão da crise!

Mais Artigos

Dividendos “isentos” são taxados em 34%

No Brasil, com mais de 60 tributos federais, estaduais e municipais, uma empresa gasta, em média, 62,5 dias ou 1.501 horas ao ano para pagar impostos

Roleta russa na educação

Em Vitória, a Câmara de Vereadores discute a proibição da volta às aulas nas redes pública e privada, enquanto vigorar o decreto de calamidade pública devido à Covid-19

LAVA JATO: correção de rumos ou ataque frontal?

O tabuleiro da política nacional incorporou no jogo os resultados da Operação Lava Jato, isso é inegável

É hora de brigar com a China?

A balança comercial neste ano tem um saldo de US$ 26,9 ante US$ 27,7 no mesmo período do ano anterior

Enio Bergoli é engenheiro agrônomo, coordenador de Política Agrícola da SEEA (Sociedade Espírito-Santense de Engenheiros Agrônomos), ex-secretário de Agricultura do Espírito Santo

Em 2016, serão R$ 4,8 bilhões de oferta de crédito e R$ 100 milhões de investimento interno das cooperativas. Até a década de 1990, as discussões sobre o cooperativismo no Brasil centravam-se principalmente em negócios do ramo agropecuário, pelo fato de representarem, em muitas regiões, uma das poucas possibilidades de agregação de valor à produção rural, além da inserção no mercado de pequenos e médios agricultores.

Atualmente o cooperativismo avança pelo mundo e pelo país, tanto nas discussões quanto nas ações, por meio de organizações agrícolas, de crédito, de consumo, de produção, de transporte, médicas, educacionais, de trabalho e outras que, apesar de suas particularidades, encontram-se sob uma doutrina baseada em valores de ajuda mútua, responsabilidade, democracia, igualdade, equidade e solidariedade.

Aqui no Espírito Santo, esse movimento vivencia, nos últimos anos, uma recuperação de imagem e de resultados efetivos, que foi construída com muito trabalho, dedicação e intercolaboração por mais de 130 cooperativas, quase 8 mil funcionários diretos e cerca de 240 mil cooperados.

Os números do setor relacionados à socioeconomia capixaba são impressionantes. São nove cooperativas entre as 20 empresas com maior rentabilidade de vendas, 75% do atendimento de urgência e emergência na área da saúde, além de segundo maior aplicador de recursos de crédito, só para citar alguns exemplos.

Em 2015, o cooperativismo do Espírito Santo faturou R$ 4,4 bilhões, um crescimento nominal de 63% em apenas quatro anos. Nesse mesmo período, o patrimônio líquido das cooperativas capixabas mais do que dobrou, saindo de R$ 784 milhões para quase R$ 1,7 bilhão.
Neste ano de 2016, o segmento vai na contramão da crise. Serão R$ 100 milhões de investimentos na infraestrutura interna das cooperativas e R$ 4,8 bilhões de crédito e financiamentos disponibilizados para todos os setores da economia, onde o Sicoob-ES tem relevante papel.

No campo social, a área cooperativa tem como meta até o fim deste ano entregar 234 habitações e realizar o transporte diário de 71 mil alunos, o que equivale a 75% de toda a rede pública estadual. São pelo menos 26 mil propriedades rurais capixabas que se vinculam diretamente ao movimento para garantir a comercialização de produtos agropecuários, a agroindustrialização e a assistência técnica aos agricultores.

Há uma correlação histórica positiva entre cooperativismo e tempos de crise, quando se aguçam os sentimentos de colaboração e solidariedade humana. Em decorrência, as pessoas se unem para ajudar umas as outras, visando à solução de problemas comuns. Portanto, ao avançar na contramão da crise, o cooperativismo confirma sua história e trajetória, destacando-se cada vez mais como uma opção e uma solução para o crescimento da economia em tempos difíceis. Afinal, solidariedade e cooperação são conceitos inseparáveis que devem ser cultivados em todas as épocas, em especial naquelas de crise.

Enio Bergoli é Diretor Geral do DER/ES e Coordenador de Política Agrícola da Sociedade Espírito-Santense de Engenheiros Agrônomos (SEEA)

ES Brasil Digital

Continua após publicidade

Fique por dentro

Balança comercial tem superávit de US$ 8,060 bilhões em julho

O resultado de julho foi mais do que o dobro registrado no mesmo mês do ano passado, quando foi positivo em US$ 2,391 bilhões

Educação é a maior despesa dos municípios capixabas

Levantamento da 26ª edição do anuário Finanças dos Municípios Capixabas, da Aequus Consultoria, publicado em julho de 2020, traz um apanhado detalhado da gestão...

Iluminação de Vila Velha: confira resultado do leilão

O parque de iluminação pública de Vila Velha (ES) será ampliado e modernizado pelo Consórcio SRE – IP Vila Velha, pelos próximos 20 anos.

Dia dos Pais: 47,8% das pessoas comprarão presentes on-line

De acordo com uma pesquisa, 57,6% das pessoas entrevistadas pretendem celebrar o Dia dos Pais; 21,5% ainda estão na dúvida sobre comemorar ou não.

Vida Capixaba

Novas pinturas do Homero Massena são descobertas

Uma equipe que trabalha na reforma e conservação do Museu Homero Massena, teve uma supresa! Por trás de várias camadas de tinta de uma...

Procon da dicas para compras no dia dos Pais

O Dia dos Pais será celebrado neste domingo (9) e o Procon Vila Velha dá uma série de dicas importantes para os consumidores, relativa...

Programação cheia no Drive-In de Jardim Camburi

Show de rock e apresentação de circo são algumas das atrações que prometem animar a programação neste fim de semana no Drive-In Por Leticia Vieira  Promessa...

Formemus 2020: programação 100% on-line

Conferência que promove debates sobre o segmento musical no Espírito Santo, no Brasil e no mundo, está confirmada para acontecer entre os dias 7...