Chuvas no ES: ministro e governador visitam cidades castigadas

ministro-Canuto
O ministro do Desenvolvimento Regional, Gustavo Canuto, visitou o Estado e assistiu uma apresentação do diagnóstico das cidades capixabas. - Foto: Divulgação

Municípios ainda sofrem com a ação das enchentes. Castelo e Cachoeiro de Itapemirim também receberam um grande volume de chuvas no último sábado (25)

Todos os esforços estão sendo feitos para garantir a reestruturação dos municípios atingidos pelas fortes chuvas que assolam o Espírito Santo desde o dia 17 de janeiro. Para isso, o ministro do Desenvolvimento Regional, Gustavo Canuto, veio ao Estado nesse domingo (26), e confirmou apoio para a reconstrução das cidades afetadas.

A partir das 15 horas, o ministro e o governador Renato Casagrande sobrevoaram as áreas das cidades mais afetadas, sobretudo, a região Sul e por volta das 18 horas se reuniram no Palácio Anchieta com uma equipe para acompanhar um diagnóstico e definir estratégias do que será feito quanto aos alagamentos.

“Agora vamos para uma segunda fase, que é justamente de reconstrução. Com o restabelecer das rodovias e a reconstrução dos sistemas de água e esgoto“, afirmou o ministro.

Canuto-e-Casagrande
O ministro Canuto e o governador Casagrande sobrevoaram regiões afetadas pelas chuvas. Foto: Divulgação

O governador Renato Casagrande destacou que os levantamentos quanto aos prejuízos causados pelas chuvas continuam e que, no momento, a prioridade são reconstrução de pontes, habitações, rodovias estaduais e infraestrutura urbana.

Saiba mais:

“Teremos agora nessa semana a possibilidade da construção efetiva dos planos de trabalho e, posteriormente, dos projetos que vamos debater com o Governo Federal as obras de reconstrução efetiva das cidades. São obras importantes em cada em um dos municípios afetados”, disse o líder do executivo.

Auxílio

O governo federal possui cerca de R$ 90 milhões disponíveis para liberação imediata para a reconstrução das cidades fortemente afetados pelas chuvas, segundo o ministro Canuto. Outras estratégias também estão sendo adotadas, como a antecipação do pagamento do Bolsa Família para famílias atingidas que estão inscritas no programa. Pessoas afetadas também poderão fazer saques no Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS).

Casagrande disse que entre as ações promovidas pelo governo do Estado está a reativação do Cartão Reconstrução, que vai permitir a doação de R$ 3 mil em dinheiro às famílias com renda até três salários mínimos que foram atingidas pela chuva para compra de material de construção e eletrodomésticos.

governador iconha
O governador Renato Casagrande informou que o auxílio reconstrução ajudará as famílias atingidas pelas chuvas. – Foto: Governo do Estado

Para isso, a pessoa precisa estar registrada no Cadastro Único (Cadiúnico) e receber até três salários mínimos de renda familiar. Desta forma, quem ganha acima desse valor, terá um financiamento com juros da Selic, que corresponde a 4,5% ao ano, 12 meses de carência e 48 meses para quitação de dívidas.

“Com o auxílio, será devolvida uma espécie de ICMS para compensar o pagamento do estoque perdido. Também vamos adiar a cobrança desse imposto de circulação para o mês de junho, parcelado em 6 vezes, e isentar o recolhimento do ICMS para a compra de equipamentos e máquinas”, disse Casagrande.

E completou, ainda. “Vamos permitir que o empresário utilize o crédito das mercadorias que ele comprou, em operações futuras. Queremos dar todas as condições para que o comerciante e o empresário possam retomar sua atividade econômica”, frisou ele.

Calamidade

Além dos municípios de Iconha, Vargem Alta, Alfredo Chaves e Rio Novo do Sul, mais 22 cidades estão com alerta de calamidade pública. No último sábado (25), Cachoeiro de Itapemirim enfrentou a maior cheia da história.

Por meio de coletiva de imprensa, o prefeito do município, Victor Coelho, disse que os locais afetados foram: Distritos de Coutinho, Pacotuba, Conduru e São Vicente. Por lá, a Defesa Civil Municipal contabilizou 321 pessoas desalojadas e 353 pessoas desabrigadas.

Confira a coletiva de imprensa que o prefeito de Cachoeiro de Itapemim, Victor Coelho, concedeu:

Além disso, há a atuação dos 25 homens utilizando 3 caminhões foi durante o ápice da tragédia em Cachoeiro de Itapemirim. Eles agora dão apoio a outras cidades do Sul do Espírito Santo, destacou o major cabo Siwamy dos Reis.

Em Castelo, na noite do sábado, o nível do rio subiu de tal forma que chegou ao teto da rodoviária da cidade. Cerca de 150 pessoas estão desabrigadas e a avenida principal do município foi completamente tomada pela água. O prejuízo é muito grande e ainda incalculável para os moradores e comerciantes de do município.

Vítimas

O número de vítimas das enchentes só aumenta. De acordo com o boletim emitido pela Coordenadoria Estadual de Proteção e Defesa Civil do Corpo de Bombeiros, até o momento 8.977 estão fora de suas residências, sendo 7.665 desalojadas e 1.312 desabrigadas.

O número de pessoas mortas subiu para nove e de feridos para seis. A Defesa Civil continua buscando por pessoas que estão desaparecidas nessas regiões.

Leia Também: