Vitória: em um ano, cerco inteligente diminui crimes contra patrimônio

Os operadores da Central de Videomonitoramento repassam todas as informações do carro, tais como trajeto, cor e modelo, ao Ciodes, que solicita a abordagem pelas equipes da Guarda ou da Polícia Militar (Fotografia - Leonardo Silveira)

A diminuição de roubos e frutos de veículos chega a quase 50% em relação aos 12 meses anteriores

O Cerco Inteligente de Segurança de Vitória completa um ano com a apresentação de resultados satisfatórios. Segundo divulgação da Prefeitura de Vitória, houve uma queda de quase 50% no número de roubos e furtos de veículos na capital, a consequente redução no registro de crimes contra o patrimônio e a diminuição do valor do seguro de carros na capital.

A redução de 46,5% do número de furtos e roubos de veículos na capital se dá em uma comparação entre os três primeiros meses de 2018 e 2019:

Furtos e roubos de veículos em Vitória

Jan/2018108Fev/201896Mar/201897
Jan/201958Fev/201845Mar/201958
Fonte: Prefeitura de Vitória

O prefeito de Vitória, Luciano Rezende, comemorou os números. “Quando implantamos o Cerco Inteligente de Segurança, eu dizia que os roubos de carros em cidades do interior de São Paulo chegaram a diminuir 50%, e aconteceu o mesmo aqui em Vitória, pelas características da cidade, por ser uma ilha e ter todas as suas saídas ‘cercadas’. É não é só isso, nós conseguimos prender criminosos através da leitura e da interpretação da movimentação de carros suspeitos. O Cerco Inteligente compartilha informações com todos os órgãos de segurança pública, como polícias e Tribunal de Justiça, sendo um grande instrumento de segurança”.

Veículos recuperados

Até o momento, já são 135 veículos furtados ou roubados que foram recuperados com ajuda do Cerco Inteligente de Segurança. Já houve casos em que o veículo foi apreendido menos de uma hora depois de ter sido roubado.

Sempre que um carro é furtado ou roubado e o dono registra a ocorrência, imediatamente a placa do veículo vai para o sistema do Cerco Inteligente de Segurança. A partir daí, se o carro passar por alguma das 18 barreiras instaladas na capital, um alarme vai disparar na Central de Videomonitoramento.

Nesse momento, o veículo é fotografado pelo sistema e os agentes da Central avisam às equipes da Guarda Municipal e da Polícia Militar que estão na rua. Ele passa a ser acompanhado em tempo real pelas 230 câmeras de videomonitoramento da cidade. Todas as informações são passadas via rádio para os agentes do patrulhamento.

Dessa forma, a equipe que estiver mais próxima faz a abordagem ao condutor do veículo de forma rápida e depois encaminha a ocorrência para a Polícia Civil, que dá prosseguimento ao caso.

Em abordagens assim, já foi possível encontrar suspeitos de crimes, pessoas com mandados de prisão em aberto e diversas outras situações criminosas.

(Fotografia – Divulgação)
Redução de crimes contra o patrimônio

Na comparação dos três primeiros meses de 2019 com o mesmo período de 2018, também aconteceu uma redução no número de crimes contra o patrimônio. Na comparação entre janeiro, fevereiro e março do ano passado com este ano, a queda foi de 19%.

“Geralmente, o criminoso utiliza um veículo para cometer o crime. Quando apertamos o cerco para tirar veículos roubados de circulação, a tendência é de que os crimes diminuam. Porque se o suspeito passar por Vitória com esse veículo, será identificado nas barreiras e, provavelmente, preso. Por isso, acreditamos que a redução da criminalidade tem relação direta com o Cerco Inteligente de Segurança. Essa eficiência na identificação e na prisão dos criminosos inibe a prática do crime”, afirmou o secretário de Segurança Urbana, Fronzio Calheira.

Como funciona

São 18 barreiras, através das quais os veículos são visualizados por câmeras sempre que entram ou saem dessas áreas. No total, são 70 câmeras com sistema de monitoramento OCR (Reconhecimento Óptico de Caracteres), que leem as placas e fotografam os veículos, gerando um banco de dados com todos os carros que passam pelas barreiras. Automaticamente, os dados são cruzados com a base do Centro Integrado Operacional de Defesa Social (Ciodes), que tem as informações do carro.

Os operadores da Central de Videomonitoramento repassam todas as informações do carro, tais como trajeto, cor e modelo, ao Ciodes, que solicita a abordagem pelas equipes da Guarda ou da Polícia Militar.

Conteúdo Publicitário