18.8 C
Vitória
sábado, 20 agosto, 2022

Brasileiros desistem de casa própria e vão guardar dinheiro para emergências

Guardar dinheiro para emergências é o principal objetivo neste ano dos brasileiros. Foto: Divulgação

Pela primeira vez, a vontade de ter uma casa própria saiu da primeira colocação entre as prioridades dos brasileiros, que querem guardar dinheiro para emergências

por Samantha Dias 

Com a disparada nos preços dos alimentos, gasolina e gás, e com a instabilidade econômica provocada pela pandemia de covid-19, a prioridade dos brasileiros, neste momento, é economizar dinheiro para ter uma reserva de emergência. De acordo com pesquisa divulgada pela Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima), o desejo de comprar a casa própria ficou, pela primeira vez, atrás da intenção de criar uma reserva de emergência.

Preço do litro da gasolina chegando ao patamar de R$7,00, gás de cozinha mais caro, itens básicos do supermercado atingindo valores altíssimos e a bandeira de conta de luz subindo. Com todas essas mudanças acontecendo, os brasileiros já começam a pensar em alternativas para conseguir ter uma economia de emergência para não passar aperto.

A quarta edição da pesquisa “Raio X do Investidor”, elaborada pela Anbima em parceria com o Datafolha, revelou que 27% dos entrevistados disseram que vão reservar o dinheiro guardado em 2020 para uma situação de emergência, um aumento de 10% se comparado com o ano de 2019.

Desde a primeira edição da pesquisa, a compra de um terreno ficava sempre em primeiro lugar, porém, esse ano caiu, e só 26% disserem que a economia será para comprar um imóvel, sendo que em 2019 esse percentual era de 35%.

“Por ser um período de incertezas, os brasileiros costumam ter receio de que algum imprevisto aconteça e fiquem sem uma reserva de emergência para pagar as contas”, explica o educador financeiro Tiago Cespe.

Mas apesar de parecer algo simples, iniciar uma reserva de emergência não é algo tão fácil para quem não está acostumado abrir mão de certos gastos que fazem parte da rotina ou até mesmo para aqueles que costumam comprar tudo com cartão de crédito. “Para guardar dinheiro é necessário ter disciplina de modo a não correr o risco de ficar usando as economias para pagar pequenas despesas aleatórias que são capazes de reduzir drasticamente a quantia reservada para uma emergência”, explica Cespe.

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Continua após publicidade

Fique por dentro

Vida Capixaba

Continua após publicidade