13 passos para não cair na “Black Fraude”

Black Friday: siga as dicas para não cair na
As compras por impulso também são o grande problema dessa data (Foto - Fotos Públicas)

A Black Friday já é a quinta data mais importante do comércio varejista brasileiro

A Black Friday deste ano, marcada para o próximo dia 29, deverá movimentar R$ 3,67 bilhões. Esta é a previsão da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), divulgada nesta terça-feira (19). Caso os números se confirmem, haverá um aumento de 10,5% em relação às vendas do ano passado, que somaram R$ 3,32 bilhões.

O dia de promoções já é um dos mais aguardados no comércio, uma vez que já ocupa a quinta colocação como data que mais fomenta vendas no Brasil. Nesse quesito, ele perde para o Natal, o Dia das Mães, o Dia das Crianças e o Dia dos Pais, respectivamente.

Descontos tem que ser reais

Para a compra ser vantajosa, os consumidores precisam se atentar para alguns cuidados. Quem dá das dicas é o Procon da Serra.

Antes de sair comprando, o ponto mais importante é pesquisar e desconfiar. “A dica de ouro para esse período de grande movimentação e ofertas é pesquisar. Pesquisar preço, a reputação da loja e do site, quais são seus direitos para trocas ou em casos de não entrega da mercadoria. E também desconfiar de preços muito baixos, que destoam dos praticados por outros estabelecimentos comerciais”, afirmou a diretora do órgão, Nívia Passos.

Ela orienta que as pessoas tenham cuidado para não se endividar e que aproveitem a ação para comprar aquilo de que realmente estão precisando. “A recomendação é ter cautela. Há o entusiasmo com o dinheiro do FGTS que foi liberado, mas os consumidores só devem comprar o que for necessário”, observa.

Outro alerta que a diretora do Procon da Serra faz é para os prazos de entrega e montagem das mercadorias: “Como o fluxo de vendas costuma ser grande nesta data, as lojas terão uma sobrecarga para entrega e montagem. Acorde a data com a loja, peça para deixar registrado o dia e horário combinado e, para aqueles que já adiantam as compras de Natal, verifique se os produtos chegarão a tempo. A empresa tem que cumprir o tempo de entrega informado ao consumidor”.

Guia para não cair em uma “Black Fraude”

1 – Estipule o valor máximo que poderá gastar, para não extrapolar o previsto;

2 – Compare preços dos produtos em pelo menos duas ou três lojas diferentes;

3 – É extremamente importante conhecer a média de preço do produto que pretende adquirir;

4 – Desconfie se o desconto oferecido for muito alto e se o valor for muito abaixo dos estabelecimentos concorrentes. Observe se as mercadorias não são peças de mostruário, se não estão violadas, obsoletas ou encalhadas;

5 – Verifique se o site em que pretende realizar a compra é verdadeiro e confiável. Cheque todas as informações sobre a loja: se existe, seu endereço físico e o canal de relacionamento com o consumidor (telefone, e-mail). Verifique se já não existem muitas reclamações, como produto não entregue ou entregue fora do prazo;

6 – Pergunte sobre a loja a amigos e familiares. Busque opiniões de quem já comprou no local;

7 – Tome conhecimento sobre sites que fazem comparativos de preços. Você pode usá-los para facilitar na busca pelo melhor preço;

8 – Cuidado com e-mails de propaganda, que podem conter vírus e links que podem levar o consumidor a sites fraudulentos. O recomendado é entrar no site oficial da loja por seu endereço on-line, e não por meio de links duvidosos;

9 – Também duvide de ofertas que só aparecem em redes sociais. Faça buscas direto no site oficial da loja;

10 – Para compras em lojas físicas, a troca não é obrigatória, ela é praticada de acordo com a política de cada loja. Antes de comprar, verifique se o produto poderá ser trocado, se necessário;

11 – Mesmo na Black Friday, o consumidor tem 7 dias para se arrepender, cancelar a compra, devolver o produto e ter o dinheiro de volta em compras feitas pela internet. Esse prazo é contado a partir da data da compra ou do recebimento do produto;

13 – Considere também o valor do frete para compras em lojas virtuais. Às vezes, o frete cobrado pode ser mais caro do que o próprio produto. Assim, compare em diferentes sites o valor total da compra (produto + frete).

Leia também
Conteúdo Publicitário