24.9 C
Vitória
quarta-feira, 27 outubro, 2021

Bariátrica e o desafio diário da mudança de hábitos

Mais Artigos

A cirurgia é um projeto de vida que vai abrir as portas para várias possibilidades

Por Gibran Sassine

Mais do que um procedimento que vai ajudar a reduzir medidas e taxas de gordura do organismo, a cirurgia bariátrica é, para muitos, muito mais que uma intervenção cirúrgica

É um sonho, um projeto de vida que vai abrir as portas para várias possibilidades, tantas vezes inviabilizadas pela obesidade.

Algumas mulheres sonham em perder peso para engravidar, outros querem se livrar dos problemas de saúde que a obesidade lhes trouxe com o tempo, ou simplesmente desejam caber naquele número menor de roupa e desfrutar de uma vida literalmente mais leve.

Felizmente, a medicina trouxe avanços que trazem mais conforto e segurança para o paciente obeso. A cirurgia bariátrica é uma alternativa no tratamento da obesidade grave, em casos de falhas seguidas no tratamento clínico. E, atualmente, a técnica robótica desponta como um grande avanço por oferecer mais segurança, recuperação mais rápida e menos dor.

Por outro lado, a tão sonhada cirurgia também pode trazer frustrações, não pela sua eficiência, mas pela forma como o paciente vai proceder após ser submetido ao procedimento.

O reganho de peso pode até estar ligado a fatores técnicos ou metabólicos, mas na grande maioria das vezes se dá devido a uma não mudança de hábitos do paciente.

A cirurgia bariátrica, por mais eficiente que seja, não é um milagre que vai manter o peso desejado a qualquer custo. Por isso, além da grande responsabilidade do médico em não medir esforços para que que a cirurgia seja bem-sucedida, é preciso a contrapartida do paciente em se manter firme nos seus propósitos.

Sabemos que a mudança de hábitos não é fácil para ninguém e não é vergonha ou fraqueza buscar ajuda. É por isso que a recomendação é que o paciente bariátrico seja acompanhado por uma equipe interdisciplinar, para que corpo e mente estejam alinhados em prol do mesmo objetivo.

E mudança de hábitos não combina com imediatismo. Por isso, é fundamental saber que o caminho pode até ser longo, mas os resultados virão e é aí que se conclui que tudo valeu a pena.

Ciente de que é necessário, além da vontade própria, a ajuda de uma equipe multiprofissional, é preciso reconsiderar alguns hábitos cotidianos.

Primeiro, estar atento à rotina e à necessidade de enquadrá-la à nova realidade. Incorporar novos hábitos que não incluam necessariamente programas gastronômicos é um exemplo. Com isso, novas possibilidades podem ser agregadas, como encontro com amigos para andar de bicicleta; sair para tomar uma água de coco ou curtir uma caminhada no final do dia, e por aí vai.

Mudar de hábitos não se trata de simplesmente de privar-se do que gosta, mas descobrir muitas outras alternativas de atividades prazerosas que ainda não havia experimentado.

E lembrar-se de que não existem pequenas conquistas. Não esqueça de comemorar cada avanço e valorizar seus esforços diários. Isso fará diferença hoje e por toda vida!

Gibran Sassine é médico cirurgião do aparelho digestivo.

 

 

 

Continua após publicidade

Fique por dentro

Vida Capixaba