ArcelorMittal Tubarão instala wind fences na Sol Coqueria

A ArcelorMittal Tubarão vai implantar wind fences (barreiras de vento) no pátio de carvão que abastece a Sol Coqueria, localizada dentro do seu parque industrial, no município de Serra. As telas terão 450 metros de extensão e cerca de 20 metros de altura (uma vez e meia a altura das pilhas). Os trabalhos de instalação não vão interferir nas operações de movimentação no local e serão realizados a partir de julho, com conclusão programada para dezembro deste ano.

A expectativa da empresa é de que, aliado a outras ações de controle ambiental empreendidas no local, como a umectação dos carvões por sistemas de aspersão, o grau de eficiência das wind fences atinja percentuais da ordem de 75% a 80%. Medições específicas dessa eficiência serão realizadas pela empresa periodicamente.

Embora possua as mesmas características dimensionais de outras barreiras de ventos instaladas no Estado, as wind fences da ArcelorMittal Tubarão terão como diferencial a sua concepção estrutural, considerada avançada em relação à outras já implantadas. A instalação representará investimentos de US$ 3,6 milhões.

Adaptação ao espaço

“A opção pelas wind fences é a melhor alternativa neste caso pois não há espaço físico disponível para o plantio de um cinturão verde, como acontece em outras áreas da empresa”. explicou o gerente de Meio Ambiente da empresa, Guilherme Correa Abreu. Ele acrescentou que todos os pátios de manuseio de matérias-primas na ArcelorMittal Tubarão já possuem cinturão verde implantado. “O pátio de carvão da Sol Coqueria, originado a partir da expansão para 7,5Mt, é o único que, por configuração, não comporta um cinturão nos mesmos moldes dos existentes. Daí a implantação da wind fence, um projeto que efetivamente começou no final de 2008 e agora está sendo consolidado”, disse.

Atualmente, a ArcelorMittal Tubarão possui cerca de 7,5 km² de cinturão verde, com mais de 2,6 milhões de árvores e arbustos, e altura média de 18 metros. “A empresa sempre deu preferência à instalação de barreiras de árvores, pois, além da composição paisagística que proporcionam, elas reduzem a ação dos ventos, os ruídos e a emissão de gás carbônico. Também ajudam a recompor a fauna e a flora”, informou o gerente.

Com a combinação de tecnologias como as wind fences, o cinturão verde e outras, como o recém-inaugurado e inédito na América do Sul Sistema Claus de Dessulfuração, a empresa já soma, desde o início de sua operação, investimentos de mais de US$ 750 milhões em equipamentos e sistemas de controle ambiental, além de cumprir todas as determinações legais estabelecidas pelos órgãos ambientais.

Reforço

O cinturão verde da ArcelorMittal Tubarão está sendo reforçado para melhorar, ainda mais, a sua eficiência no controle de emissões de partículas, através da complementação, com novas árvores em locais estratégicos, e com a redução da porosidade (espaço livre entre as espécies), principalmente nas regiões dos caules das árvores existentes.

Serão plantadas 50 mil novas mudas de plantas nas áreas de pátios de minério e carvão, num aumento de 15% na área de metragem quadrada desses pátios.

Hoje, o cinturão já possui eficiência da ordem de 70% a 75% no controle de emissões, comprovado em estudos realizados por Instituição capacitada (MRI – Midwest Research Institute). O reforço garantirá um incremento na eficiência da ordem de 5% a 10%, tornando-o equivalente à outras tecnologias de controle ambiental, como a wind fence.

 

Conteúdo Publicitário
Compartilhe

Aproveite as promoções especiais na Loja da ES Brasil!

Deixe seu comentário

Please enter your comment!
Favor insira seu nome