Conheça Amarildo Casagrande, indicado para presidência do Banestes

José Amarildo Casagrande trabalhou por 39 anos no Banco do Brasil, desde estagiário ao cargo de superintendente Estadual de Minas Gerais. do Amazonas, do Espírito Santo e de Brasília (Fotografia - Ademir Ribeiro/Secom)

O economista Maurício Duque deve ocupar a presidência do conselho administrativo do banco

O governador do Estado, Renato Casagrande (PSB), anunciou na manhã desta quarta-feira (06), pelas suas redes sociais, a indicação de José Amarildo Casagrande para o cargo de diretor-presidente do Banco do Estado do Espírito Santo (Banestes). O economista e ex-secretário de Estado da Fazenda, Maurício Duque, também foi indicado pelo governador para ocupar a presidência do Conselho de Administração do banco.

Em transmissão ao vivo, no Palácio Anchieta, em Vitória, Casagrande explicou que indicou o nome de Amarildo ao Conselho do Banestes que, por sua vez, encaminhará a indicação ao Banco Central para apreciação. O governador aproveitou o momento para explicar que o futuro presidente não seu parente, apesar de ter o mesmo sobrenome.

Assista a transmissão

Quem é o novo presidente

José Amarildo Casagrande, 54 anos, casado, pai de três filhos. Natural do município Alegre. Formado em Administração, trabalhou por 39 anos no Banco do Brasil. Seu primeiro vínculo com o Banco foi como estagiário, na cidade de Araruama, Rio de Janeiro. Encerrou sua carreira como superintendente Estadual de Minas Gerais. Passou ainda pelas superintendências do Amazonas, Espírito Santo e Brasília.

Segundo o governador, Amarildo Casagrande “terá a tarefa de liderar no banco um avanço tecnológico, uma motivação para os nossos servidores, trabalhadores. Terá a tarefa de fazer com que neste ambiente competitivo que é o mercado financeiro, nós possamos ter um banco com cada vez mais resultados”, afirmou.

Maurício Duque, Silvo Grillo – presidente interino do banco -, Renato Casagrande e José Amarildo Casagrande (Fotografia – Ademir Ribeiro)

O governador destacou ainda, a importância do Banestes no contexto do desenvolvimento do Estado. “O banco, nos últimos anos, tem sido gerenciado, desde o período em que nós estivemos à frente do governo com muito profissionalismo, com foco nos resultados e como instrumento de desenvolvimento. O maior acionista é o Governo do Estado. Então, o Banestes é um banco comercial que tem que apresentar resultado, mas é um banco que precisa estar integrado a todo o nosso processo e nossa estratégia de desenvolvimento”, disse.

O economista Maurício Duque, já participou e já presidiu o Conselho do Banestes. O governador desejou sucesso aos indicados e agradeceu o trabalho do diretor de tecnologia do Banestes, Silvio Grilo, que está respondendo interinamente pelo banco. Ele seguirá à frente da instituição até que o nome de Amarildo Casagrande seja aprovado pelo Banco Central. “Obrigado, Silvio, pela sua colaboração, conduzindo o banco neste momento e o banco está funcionando perfeitamente com toda a estabilidade”, afirmou.

Conteúdo Publicitário